23 de maio de 2007

Armas na América


Do enviado especial em Nova York - Bruno Ribeiro.


Bebé de dez meses consegue obter licença de porte de arma

Aos dez meses de idade, Howard David Ludwig ainda não fala, não come sozinho e não anda, mas as autoridades do estado norte-americano de Illinois consideraram que ele já é suficientemente crescido para ter uma licença de porte de arma. O documento exibe a fotografia da criança e um rabisco infantil no lugar da assinatura, especificando as suas medidas: 67 centímetros de altura e nove quilos de peso.
A ideia partiu do pai de Bubba – como é tratado em família –, Howard Ludwig, que preencheu a requisição online, pagou cinco dólares e obteve a licença.

A notícia é ainda mais surpreendente se considerarmos que o estado de Illinois tem das leis mais rigorosas a nível nacional no que toca ao uso de armas.

A emissão deste documento é da responsabilidade da Polícia Estadual de Illinois, cujo porta-voz especificou não haver um limite mínimo de idade para a requisição do documento.

Apesar de ter obtido o cartão que o autoriza a disparar uma arma de fogo, o pequeno Bubba terá que esperar até aos 18 anos até poder comprar uma caçadeira e até aos 21 para comprar um revólver. Mas esta imposição não será um problema para o pequeno “atirador” de fraldas. O seu avô já lhe ofereceu uma Beretta, que terá autorização legal para experimentar mal tenha forças para lhe pegar.

O pai fez saber, porém, que a arma vai ficar em casa do avô de Bubba até o rapaz completar 14 anos. “Não estou prestes a aprovar uma caçada sem supervisão”, afirmou o progenitor ao “Chicago Daily”, acrescentando que o cartão é um “adorável acrescento ao livro de memórias” de Bubba.

Esta notícia está a causar acesa polémica na blogosfera norte-americana, algumas semanas depois do massacre da Universidade de Virginia Tech, durante o qual um jovem sul-coreano matou a tiro 32 pessoas. Seung-Hui Cho conseguiu explorar uma falha nas leis estatais da Virgínia e obter armas, apesar de ter um historial de perturbações mentais.


Pai, perdoai-lhes, que não sabem o que fazem! Digo eu.

4 comentários:

Anónimo disse...

...e Illinois não é só isto.
Esta frase, aplicada ao Texas, mostra bem o "crescimento" americano.
Haja Bush ... e pistoleiros não faltam.
jc/.

Anónimo disse...

Não tenho palavras para qualificar estas atitudes..
Devem estar todos muito doentes..
Ou malucos..

I.R.

carla mar disse...

n vou comentar...
esta situação é repugnante :(
os policias do mundo são treinados, desde o berço...
NÃO tenho paciência p americanos malucos, loucos e doentes.

Rui Salvador disse...

A questão é que os EUA nasceram aos tiros e carregados de armas. Armas que ainda por cima são um óptimo negócio.
Por outro lado, nós por cá não temos a legislação norte-Americana, mas o que não falta neste país são armas de caça e armas de defesa ilegais e aos magotes. E a supervisão e lucro deste negócio partiu das forças policiais nacionais. Olaré!