19 de outubro de 2016

Raul Solnado - a vida não se perdeu!

Meu querido Raul!
Farias hoje oitenta e sete anos, numa vida recheada de emoções, aventuras, amores e espectáculos.
No teu palco, cabia a plebe e a nobreza, mas eram proibidas as "estórias" que me contavas.
Faltaste ao último encontro e, entre risos e sorrisos, as sardinhas ainda esperam por ti.
Sei que não gostavas de festejar os aniversários, por isso, à festança não aludo.
Meu querido amigo, a vida não se perdeu!
Faz o favor de ser feliz!



8 de setembro de 2016

Um jovem em Nova Iorque!




Há poucos dias, encontrava-me na fila para comprar bilhete para visitar o memorial onde repousa o que resta das torres gémeas, em Nova Iorque, quando à minha frente, uma bonita e elegante senhora, parecendo querer quebrar o quase silêncio de meia hora de espera, mete conversa comigo.
Percebendo que eu não era americano, diz-me que é francesa e que tem setenta e sete anos e o seu marido oitenta e dois.
Passámos então a falar francês.
Respondi-lhe que tinha sessenta e cinco anos e era português.
Trocámos então cortesias de circunstância, dizendo-me ela que eu era ainda um jovem.
O seu marido seguia dois metros à nossa frente, e como não falasse francês, nem sequer olhava para nós.
Entrámos juntos no museu e pouco depois ela diz-me:
- Peço-lhe desculpa, mas acho que o meu marido já não está a gostar muito de nos ouvir falar, ao que eu anuí e disse compreender.
A linda senhora, avançou até ao meu ouvido e em jeito de despedida, segreda-me:
- O meu marido é muito ciumento e quando me vê a falar com um jovem, fica cheio de ciúmes .

Sorri comigo mesmo e ... adorei o “jovem”.


4 de julho de 2016

Lá longe ... ao cair da tarde!

Às vezes ...
Devia ser assim, o final das nossa vidas!
Adorei caminhar para o infinito!



6 de maio de 2016

Alguns amigos - do Sporting!




Onde quer que existam amigos, aí estarei.
Ontem, tive a visita destes cinco amigos/atletas do Sporting!
À minha esquerda, Diego Cavinato, Marcão, e Alex Merlim (futsal) e à minha direita, Luís Viana e Esteban Abalos (Tuco) (Hóquei em Patins).
Com a varinha de condão do Merlim, apeteceu-me aspergir todos os ódios desportivos que vão minando o desporto.
Pela parte que me toca, e como benfiquista eterno, tento, todos os dias, endireitar o mundo!
Ainda não consegui!
 

30 de março de 2016

As saudades do Fundão!



Cada vez que vou passar uns dias à Beira Baixa, gosto de parar em todos os recantos que, de uma forma ou de outra, me fazem voltar à infância!
Não acrescento, "onde fui feliz", porque por todos os lados onde tenho passado, o fui!
Neste último fim de semana, acompanhado do meu compadre Fernando Braz, apeteceu-me visitar a estação da CP, do Fundão, local onde tantas vezes desci e apanhei o cavalo-a-vapor, quando ali estudava, no seminário. Lá, era o limiar da minha liberdade e da minha clausura, consoante a partida ou a chegada, já que só ia a casa, no Natal, na Páscoa e nas férias grandes.
Todo este preâmbulo, apenas para contar algo que mais parece uma anedota.
Depois da visita à estação, logo no princípio da avenida quase deserta, reparo na loja da foto, "ECO CAMPO" e por esta vender produtos agrícolas, resolvi entrar, sendo de imediato abordado por um simpático e afável senhor, que me perguntou se necessitava de algo.
- Bom dia, posso ajudar?
- Muito obrigado, mas não quero comprar nada! Ando apenas a matar saudades!
- Saudades? Então, muito prazer meu amigo. O meu nome é Luís! (era o patrão).
- E o meu é Joaquim, retorqui.
Trocávamos algumas impressões sobre as nossa origens, quando entra pela porta um presumível cliente, com mais aspecto de académico do que de agricultor, e que, meio ofegante, pergunta:
- Por favor, tem remédio para ratos?
O Luís, olha para ele, muito sério e responde:
- Sim, temos remédio para ratos, mas ... de que se queixam eles? Da cabeça? Do coração? Da vesícula?
O cliente, não entendeu a pergunta e ficou especado a olhar para nós os três.
Deve ter entendido a blague, porque eu e o Fernando, não aguentámos e desatámos a rir.
O cliente, completamente obnóxio, voltou a insistir na pergunta, acrescentando que tinha muitos ratos no quintal, ao que o Luís voltou a replicar, dizendo:
- Ah, o que vossemeçê  precisa é de veneno para os ratos! Tem lá muitos?
- MUITOS, explode o cliente! 
- Então leve esta embalagem! Custa 1,80 €!
- Não, não, dê-me cinco! 
Não quis ouvir mais nada. Despedi-me do Luís e fui gargalhar com o silêncio da avenida!

7 de março de 2016

Nuno Gomes - rendez vous!


Nuno Gomes - extraordinário jogador que foi, fabuloso ser humano que é!



Obrigado pelo almoço, Nuno!