31 de dezembro de 2010

Museu do Louvre e Feliz Ano Novo

Após mais um reunião da CE, alguns Ministros resolvem passar pelo Louvre para "aliviar" o stress e param meditativos perante um excelente quadro de Adão e Eva no Paraíso.

Desabafa Angela Merkel:
- Olhem que perfeição de corpos: ela esbelta e esguia, ele com este corpo
atlético, os músculos perfilados... São necessariamente estereotipos
alemães.

Imediatamente Sarkozy reagiu:
- Não acredito. É evidente o erotismo que se depreende de ambas as
figuras... ela tão feminina... ele tão masculino... sabem que em breve
chegará a tentação... Só poderiam ser franceses.

Movendo negativamente a cabeça, o Gordon Brown arrisca:
- Of course not! Notem... a serenidade dos seus rostos, a delicadeza da
pose, a sobriedade do gesto... Só podem ser ingleses.

Depois de alguns segundos mais de contemplação, Sócrates exclama:
- NÃO CONCORDO. Reparem bem: não têm roupa, não têm sapatos, não têm casa,
só têm uma maçã para comer... não protestam e ainda pensam que estão no
Paraíso... Não tenham a menor dúvida: são portugueses!

Neste paraíso esquecido, desejo a todos os meus amigos e visitantes um Ano Novo bem melhor do que o que ora se augura.


27 de dezembro de 2010

Desconfiar da GNR

A poucos dias de mais um novo ano e quase a perder a vontade de sorrir, aqui deixo uma brincadeira que bem pode ser verdade. Se o é ou não, fica à imaginação de cada um.

Dois agentes da GNR, na berma da estrada, vêem passar um tipo a mais de 120km/h.Diz um para o outro:

- Aquele não é o gajo a quem apreendemos a carta de condução, na semana passada, por excesso de velocidade?

- É sim - respondeu o segundo!
- Vamos caçá-lo!

Uns Km's mais adiante já com o tipo parado, um dos GNR, chega-se ao pé
dele pergunta-lhe:

- A sua Carta de Condução?
- Mau!
responde ele, 'Querem ver que agora perderam-na !!!

23 de dezembro de 2010

Pax in terra


A um tão conturbado mundo!

Aos homens de todas as raças!

Às gentes de todos os credos!

A todos sem excepção!
E em especial aos amigos!

Votos de um Feliz Natal!

19 de dezembro de 2010

Novo acordo ortográfico

O novo acordo (h)orto gráfico e o possivel duplo significado que cada palavra pode ter.

A brincar a brincar ...

Abismado: Sujeito que caiu de um abismo
Pressupor: Colocar preço em alguma coisa
Biscoito: Fazer sexo duas vezes
Coitado: Pessoa vítima de coito
Padrão: Padre muito alto
Estouro: Boi que sofreu operação de mudança de sexo
Democracia: Sistema de governo do inferno
Barracão: Proíbe a entrada de caninos
Homossexual: Sabão em pó para lavar as partes íntimas
Ministério: Aparelho de som de dimensões muito reduzidas
Eficiência: Estudo das propriedades da letra F
Conversão: Conversa prolongada
Halogéneo: Forma de cumprimentar pessoas muito inteligentes
Expedidor: Mendigo que mudou de classe social
Luz solar: Sapato que emite luz por baixo
Cleptomaníaco: Mania por Eric Clapton
Tripulante: Especialista em salto triplo
Contribuir: Ir para algum lugar com vários índios
Aspirado: Carta de baralho completamente maluca
Assaltante: ‘A’ que salta
Determine: Prender a namorada do Mickey Mouse
Detergente: Acto ou efeito de prender pessoas
Vidente: Aquilo que o dentista diz ao paciente
Barbicha: Bar frequentado por gays
Ortográfico: Horta feita com letras
Destilado: do lado contrário a esse
Pornográfico: O mesmo que colocar no desenho
Coordenada: Que não tem cor
Presidiário: Aquele que é preso diariamente
Testículo: Texto pequeno
Ratificar: Tornar-se um rato
Violentamente: Viu com lentidão

15 de dezembro de 2010

Pinto da Costa ... no Sporting!

Quem diria!
Não é uma brincadeira, é apenas um "souvenir" para os meus amigos adeptos portistas, numa visão do impensável.
Apesar de na vida nada ser impossível, há acontecimentos pouco prováveis, mas lá que tinha piada, tinha.
Ora aqui está um homem que apesar de estar sempre ao ataque também joga à defesa.
Quanto valeria uma foto sua com a camisola do Benfica?
Esta foto aconteceu há muitos anos e o clube era o SPORTING ... de Coimbrões.

13 de dezembro de 2010

Lares e prisões

Que óptima idéia!

- Instalem-se os idosos nas prisões e os infractores em lares.

Assim, os nossos idosos teriam acesso a um chuveiro, passeios, medicamentos, exames odontológicos e médicos regulares.
Receberiam cadeiras de rodas, etc
Receberiam dinheiro em vez de pagar o seu alojamento.
Teriam direito a vídeo vigilância contínua, que permite imediatamente receber assistência depois duma queda ou outra emergência.
Limpeza do quarto, pelo menos duas vezes por semana, roupas lavadas e passadas regularmente.
Um guarda visita-os a cada 20 minutos e podem receber refeições directamente no seu quarto.
Um lugar especial para atender a família.
Teriam acesso a uma biblioteca, sala de ginástica, fisioterapia e espiritual, bem como a piscina e até mesmo ensino gratuito.
Pijamas, sapatos, chinelos e assistência jurídica gratuita, mediante pedido.
Quarto, casa de banho e segurança para todos, com um pátio de exercícios, rodeado por um belo jardim.
Cada idoso teria direito a um computador, rádio, televisão.
Teriam um "conselho" para ouvir denúncias e, além disso, os guardas teriam um código de conduta a ser respeitado!

Agora vem o pensamento:

Claro que a maioria das prisões não são as deste exemplo, nem todos os lares o são também, e politicamente é correcto dar condições de existência a todos, mesmo aos reclusos.
Agora, o que não é admissível é a inversão dos valores em que se assiste à defesa dos mais fortes contra o desleixo dos que não se conseguem defender, como é o caso dos idosos e doentes.
Além do mais, é imoral que a sociedade se preocupe mais com aqueles que a não respeitam, que a atacam a cada dia e que a subvertem.
Que tal se sentem os que passaram uma vida a trabalhar para receberem umas migalhas em troca na sua velhice e sejam atacados directamente por aqueles a quem têm de sustentar???
Não estou muito preocupado com as prisões, antes sim com os lares.
A vida não é justa... mas não é necessário exagerar …”
(algures in blogosfera)

11 de dezembro de 2010

Parabéns Dolce Laura

Não é fácil gerir tantos aniversários mas há sempre uns mais que outros. Não que o meu grupo de amigo(a)s tenha alguém que não mereça esta pública homenagem, mas antes porque um conjunto de factores me levam a fazê-lo.
Esta "miúda da minha idade" é tão somente a Laurinha de Braga, aquela sobre quem recaíu um carinho muito especial, não só pela pessoa que é mas também devido a uma partida que a vida lhe pregou, roubando-lhe a audição desde tenra idade.
Hoje, dia do seu aniversário, a montanha veio a Maomé, e por entre um grupo de amigos ela foi mimada com o calor humano que esta amizade gerou.
Daqui, faço minha a congratulação desse grupo que gira à sua volta.
Sabendo que a movimentação dos lábios não serve apenas para entenderes o que te dizemos, fica o nosso beijo, que às vezes acontece.

E ... às vezes - uma Réstia de Sol faz toda a diferença!

10 de dezembro de 2010

Parabéns Gigi - Bicho

Sempre que as largas avenidas se transformam em estreitas vielas e não mais queremos alcançar o fim do arco-íris.
Sempre que julgamos estar perto o fim dum reinado terreno.
Sempre que não mais acreditamos em nós.
Sempre que pensamos mais valer estar só que mal acompanhado.
Mais vale dar um pontapé no agoiro e acreditar que o amanhã ainda vale a pena.
Não desistas nunca!

Ao Luís Martins/Bicho/Gigi/Amigo, grande abraço!

Muitos parabéns!

8 de dezembro de 2010

Parabéns Petite Marie!

Mulheres, Maria???

Para quem luta contra moinhos de vento e não acredita no raiar duma nova madrugada.
Para quem tropeça na raíz dos males e abana ao menor sopro.
Para quem julga ter aberto a Caixa de Pandora.
Para quem sabe que os alcatruzes, ora sobem ora descem
Para quem bendisse os amigos recém chegados.
Para quem sabe que eles existem.
Hoje deveria ser o Dia da Mãe, mas é apenas o teu ... que também o és!

Um beijinho de parabéns Maria dos Alcatruzes

(on est lá encore)

5 de dezembro de 2010

Banco Alimentar Contra a Fome - uma tarde diferente!

Nunca antes tinha experimentado a situação de voluntariado. Não foi um árduo dia de trabalho, antes uma tarde bem passada. É certo que estas coisas, independentemente do lado sério que as caracteriza, são uma brincadeira de meninos quando comparadas com os verdadeiros voluntários que a elas se entregam de alma e coração.

Este é um dos vários armazéns, tantos são os produtos recolhidos.
Este velho lobo do voluntariado, Senhor António, foi meu chefe durante umas horas. Há dezassete anos que exerce voluntariado, a tempo inteiro, no Banco Alimentar contra a Fome

Um "carrinho" com aprox 370 quilos de alimentos está já arrumado para que dentro de poucos dias, uma instituição já previamente especificada o venha buscar.

Parece estarmos perante um infindável hipermercado mas tudo isto é tão pouco para tantos carenciados.
Aqui encaixotam-se os produtos, por entre uma panóplia de "bocas" e sorrisos, numa farândola de todos por um e um por todos.

Da fome, um mal de que toda a gente fala e de que o homem não se dá conta, ficou o sabor. O imaculado da partilha e o do pouco altruísmo que há em nós!

2 de dezembro de 2010

Só de passagem!

Conta-se que certo dia, um turista americano foi à cidade do Cairo no Egipto, com o objectivo de visitar um famoso sábio.
O turista ficou surpreso ao ver que o sábio morava num quartinho muito simples e cheio de livros.
As únicas peças de mobília eram uma cama, uma mesa e um banco.
- Onde estão seus móveis? Perguntou o turista.
E o sábio, bem depressa olhou ao seu redor e perguntou também:
- E onde estão os seus...?
- Os meus?! Surpreendeu-se o turista.
- Mas estou aqui só de passagem!
- Eu também... - concluiu o sábio.
"A vida na Terra é somente uma passagem... No entanto, alguns vivem como se fossem ficar aqui eternamente, e se esquecem de ser felizes."

"NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA
ESPIRITUAL... SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA..."

(algures in blogosfera)

Às vezes - a gente esquece-se desta certeza!

29 de novembro de 2010

André Moa - Parabéns Guimoa!

Meu Querido André!
Faz hoje setenta e um anos que ... a Fonte do Moa jorrou um ser extraordinário. Um homem!
Sobram-me as palavras para falar de ti. Mas, não é delas que hoje vou abusar para te abraçar nas manhãs da vida; aquela que tão estoicamente tens sabido prolongar, mesmo sabendo que nada é eterno.
Sabes que és o pólo das atenções duma certa brisa que sopra nas xistosas encostas do teu pátrio Douro, mas o que não vou nunca esquecer é a tenacidade, a persistência, a força, o crer, a luta, o exemplo que tu és.
Tive a pouca graça de tarde te ter conhecido, mas fica-me a ventura de ter agora mais um herói. O Guimoa! O meu! O nosso!

Parabéns meu velho!

26 de novembro de 2010

Raquel Welch - uma senhora de classe

Há muitos anos (quase trinta) em Nova Iorque, junto a um teatro da Broadway, reparei em dois enormes “gorilas” que de guarda- chuva em riste cobriam dos borriços uma senhora e a acompanhavam até uma viatura ali estacionada. Estava a menos de cinco metros dela e associei que devia ser a Raquel pois o teatro donde saía ostentava na fachada um cartaz enorme que dizia: Raquel Welch – the woman of the year. Quase sem ter a certeza que dela se tratava aproximei-me e pedi-lhe um autógrafo. Como não tinha qualquer papel para ela assinar, tirei do bolso o meu livro de cheques e ela assinou na capa do mesmo. Olhei para a assinatura e era mesmo ela.
Algo feliz mas decepcionado, nem queria acreditar. Afinal a Raquel era uma mulher normalíssima e muito distante da imagem que me foi passada através de filmes e fotos eroticamente mundanas. À minha frente estava uma mulher, de gorro enfiado na cabeça, relativamente baixa para aquilo que eu imaginava, sem maquilhagem, sem plumas, sem o biquíni pele de veado que vestia quando filmou “um milhão de anos antes de Cristo”.
Desiludido com a imagem que acabara de ver mas feliz pelo autógrafo senti ter morrido em mim parte da paixão que por ela nutria.
Quando regressei a Portugal mandei emoldurar o autógrafo ao qual juntei uma foto sua e pendurei-o no meu cantinho de recordações na sala da minha casa.
Há dias voltei a reencontrar a deusa do meu imaginário sexual.
No programa da Oprah foi ela a entrevistada do dia. Estava deslumbrante, esta senhora de setenta anos. Possivelmente cheia de plásticas, provavelmente cheia de maquilhagem, mas acima de tudo muito bonita. Erudita. Cheia de classe. Simpatiquíssima. Lindérrima!
A Raquel que me havia deslumbrado quando eu descobria o mundo voltara a mim, que há muito percebera estar a beleza onde a gente a quiser ver.

22 de novembro de 2010

Beira Baixa - meu amor!

Às vezes - é o retorno às origens e aos sabores que nunca esquecemos.
É também o regresso ao mundo que um dia quisemos deixar para trás e dele saudade temos. Ao calor da lareira que enrubesce a face e ao frio que a montanha sopra. Depois é a Gardunha a convidar-me à descoberta da ovnilogia e a caruma à protuberância dos cogumelos a querer romper por entre o húmus que dá vida à vida.

À noite chega então a gula dos míscaros com ovos e demais acompanhamentos, de queijos e azeitonas, que me alteram os valores dos colestróis.
Às vezes - é a apanha da azeitona que este já gasto corpo rejeita e mil tormentos padeceu e a relega duma mente plena de vícios na busca incessante de coisas simples.

Às vezes fica a vontade de lá não ter saído!

19 de novembro de 2010

Nato - cimeira em Lisboa 2010


Sabendo que o Pacto de Varsóvia “é finito” e o bloco soviético cremado foi, quem são os actuais opositores?
Não sendo apologista de quaisquer bélicas movimentações, e julgando-me o mais pacifista do mundo, alinho na pergunta que paira no ar:

- A Nato ajuda a manter a paz no mundo?
E será que o verdadeiro perigo não vem do próprio homem e da sua desmesurada ambição e ódio racial?
O que vai mudar?

17 de novembro de 2010

Parabéns Osvaldo - lá longe ... ao cair da tarde!

Parabéns Osvaldo! As tuas cãs dizem algo, mas é apenas mais um aniversário do sacrossanto cidadão.
É difícil falar de Osvaldo! Ou porque se gosta muito, ou porque se não conhece.
Já correu os quatro cantos do mundo, que eu pensava ser redondo. Logo aí nossas vidas convergem.
Quem se passeia pela blogosfera e com ele convive virtualmente não imagina o homem que está por detrás de cada palavra.
Osvaldo é um homem ligado à cultura, que viveu quase toda a sua vida no Brasil e na Suiça.
Conheci-o quando por aqui navegava entre mares de descoberta e salpicos de empatia. Os meus amigos da Net eram, na sua essência, quase todos amigos de infância e os restantes eram simplesmente mulheres. Depois passaram a ser as mulheres as confidentes dos meus desabafos e aos poucos foram entrando homens como o Osvaldo. Ele foi o primeiro dos amigos virtuais. Cheirava-me a cidadão do mundo, a companheiro de estrada, a peregrino da vida. Apeteceu-me descobri-lo, entrei no seu mundo, fui bem recebido e nele fiquei. E atrás da nossa descoberta, outras almas foram chegando e nada mais foi como dantes.
No seu blogue www.mautristeefeio.blogspot.com ressaltam todas as virtudes ora ditas.

Osvaldo! Eu que sou um homem de paixões eternas, fico emudecido pelo homem que és. Frontal, comedido, pacífico e amicíssimo quanto baste. Tens um mundo de pessoas que contigo vão falando e não te conhecem, mas sabem que há em ti um dom a partilhar. Conhecer-te foi o superávit que arrastou outros seres maravilhosos que acabaram por formar um grupo coeso. Essa foi a tua grande vitória. A minha. A nossa. De ti esperarei sempre aquilo que sei poderes esperar de mim. A reciprocidade é mútua.
E como por detrás dum grande homem há sempre uma grande mulher, um grande beijo para a Ana tua mulher, qual nome de minha mãe.


Meu querido Osvaldo! É difícil não se gostar de ti, mesmo que homem seja!

14 de novembro de 2010

Aung Sang Suu Kyi - Venceu!

Mais que a libertação duma mulher, um hino à liberdade!
A Mandela da Birmânia, resistiu, resistiu, resistiu e venceu.
Agora, esperemos pela futura presidente da República de Myanmar e novamente Prémio Nobel da Paz em 2011.

Contra a opressão, marchar, marchar!

10 de novembro de 2010

Tommy Hilfiger - racista?

A popular apresentadora de televisão e uma das mais poderosas mulheres da América, Oprah Winfrey, num dos seus programas mais recentes, entrevistou Tommy Hilfiger, o desenhador da roupa que tem o seu nome.

No show, Oprah perguntou-lhe se era verdade que ele tinha feito o seguinte comentário:
'Se eu tivesse sabido que os negros americanos, os judeus, os latinos, espanhóis, venezuelanos, cubanos, os argentinos, chilenos, mexicanos, bolivianos, peruanos, brasileiros e os asiáticos comprariam minha roupa, não a teria desenhado tão boa. Desejaria que esse tipo de gente não comprasse a minha roupa, pois ela é feita para gente caucásica, de alta classe... e preferiria dá-la aos porcos...'
Ante a pergunta de Ophra, se ele tinha feito tão crua afirmação, Tommy respondeu com um simples e sucinto SIM.
Admitiu ainda o seu ódio pelos judeus e a sua admiração por Hitler.
Imediatamente, Oprah exigiu-lhe que abandonasse o seu show.






Eu teria feito o mesmo, mas ... não acredito na notícia!

Às vezes - nem tudo o que se diz é verdade! E parece que esta notícia é mesmo mentira.

Todos sabemos que um boato é uma espada de dois gumes. Ou nos leva aos píncaros da glória ou nos arrasta para o mais profundo dos abismos.

Se esta notícia for mentira, as minhas desculpas por ter contribuido para a sua propagação, mas também contribuí com publicidade gratuita.

Se for verdadeira ela é dum despudor desmesurado e nem sequer merece que mais alguém compre as suas roupas, pois não é a cor da pele que define os sentimentos dum ser humano, mas sim a cor da sua alma.

E os humildes são sempre os portadores das mais lindas cores!

8 de novembro de 2010

BEM FICO

Às vezes - irreverência é preciso!
Ando aqui meio louco a finalizar um filme que me tem dado água pela barba. É que, os métodos são artesanais e o filme é longo, logo o PC não aguenta "coisas" tão pesadas.
Todos os meus momentos livres estão virados para a grande metragem. Assim sendo não estranhem se virem por aí um maluquinho agarrado ao PC em tudo quanto é sítio. Vivó o GT!


Entretanto vou lembrar-me de não me esquecer de me lembrar que já me esqueci do que não quero lembrar.
Entretanto, parabéns a quem merece e eu que sei ganhar da mesma maneira que sei perder, BEM FICO.

5 de novembro de 2010

Estádio da Luz - o palco dum leão!

Há muito que o meu amigo JC, velho leão, pensava visitar a nova Catedral.
Conjugou as coisas e deixou para mais tarde o estudo das falas da gravação da novela do dia seguinte.
Lá fomos então os dois.
O camarote esperava por nós, a carne assada fumava e o bacalhau assado cheirava a ataque iminente. Nem tanto era preciso. Os queijos e o presunto já nos chegavam e o prélio já havia começado.
Tudo se conjugava para uma noite perfeita. Não foi mau mas podia ser bem melhor. Ficou a intenção. O resultado não foi 4-4 como pode sugerir a foto, mas no momento o Benfica ganhava por 4-0.
Já regressado a casa e satisfeito com o que vira, JC (sportinguista convicto) desenhou o belo estádio aqui reproduzido e na sua página do Facebook escreveu:

Júlio César ‎... porque não confundo LYON com Leão fui à LUZ, pela primeira vez, assitir a um desafio de futebol e adorei o Estádio. Imponente!
Houve muitos remates e a bola entrou sete vezes. A rapaziada vibrou e eu gostei ! Parabéns Benfica ! :)) Obrigado KIM por me teres proporcionado uma visita guiada com jantar e golos. :)) Abraço verde.
Nota: Esta noite o Sporting não foi tão feliz, mas a passagem à fase seguinte é praticamente certa. Parabéns ao Braga, que venceu em terra alheia e ao Porto que se qualificou para a fase seguinte.

2 de novembro de 2010

Igreja - As bulas da vergonha

Desde sempre a Igreja enveredou por caminhos nada abonatórios relativamente àquilo que apregoa. Desde a evangelização forçada à espadeirada, no achamento de novos mundos, passando pelas fogueiras da Inquisição, até à pedofilia no seu seio, fico siderado com as vergonhas da Igreja.
Para quem não está familiarizado com o nome da palavra BULA e na linguagem mais simplória que me é permitida, apenas digo que BULA era uma autorização da Igreja para poder cometer pecado, a troco do vil metal, como é evidente.

Há quem diga que é um texto falsificado atribuido ao Papa Leão X, mas depois de todos os impensáveis da Igreja, acredito que isto possa ter algo de verdade. Quem não se lembra de na Quaresma se adquirir a BULA para poder comer carne? Eu lembro-me e também a paguei.
Transcrevo apenas alguns dos pontos desse texto.

Pai, perdoai-lhes que "não sabiam" o que faziam!!!
Transcrição do post "A taxa Camarae do papa Leão X" publicado no "Diário Ateísta"

A Taxa Camarae é um tarifário promulgado em 1517 pelo papa Leão X (1513-1521), destinado a vender indulgências, ou seja, o perdão dos pecados, a todos quantos pudessem pagar umas boas libras ao pontífice.
Como veremos na transcrição que se segue, não havia delito, por mais horrível que fosse, que não pudesse ser perdoado a troco de dinheiro.
Leão X declarou aberto o céu para todos aqueles, fossem clérigos ou leigos, que tivessem violado crianças e adultos, assassinado uma ou várias pessoas, abortado… desde que se manifestassem generosos com os cofres papais.

Vejamos alguns do seus trinta e cinco artigos:

1. O eclesiástico que cometa o pecado da carne, seja com freiras, seja com primas, sobrinhas ou afilhadas suas, seja, por fim, com outra mulher qualquer, será absolvido, mediante o pagamento de 67 libras, 12 soldos.

2. Se o eclesiástico, além do pecado de fornicação, quiser ser absolvido do pecado contra a natureza ou de bestialidade, deve pagar 219 libras, 15 soldos. Mas se tiver apenas cometido pecado contra a natureza com meninos ou com animais e não com mulheres, somente pagará 131 libras, 15 soldos.

3. O sacerdote que desflorar uma virgem, pagará 2 libras, 8 soldos.

4. A religiosa que quiser alcançar a dignidade de abadessa depois de se ter entregue a um ou mais homens simultânea ou sucessivamente, quer dentro, quer fora do seu convento, pagará 131 libras, 15 soldos.

5. Os sacerdotes que quiserem viver maritalmente com parentes, pagarão 76 libras e 1 soldo. 6. Para todos os pecados de luxúria cometido por um leigo, a absolvição custará 27 libras e 1 soldo; no caso de incesto, acrescentar-se-ão em consciência 4 libras.

7. A mulher adúltera que queira ser absolvida para estar livre de todo e qualquer processo e obter uma ampla dispensa para prosseguir as suas relações ilícitas, pagará ao Papa 87 libras e 3 soldos. Em idêntica situação, o marido pagará a mesma soma; se tiverem cometido incesto com os seus filhos acrescentarão em consciência 6 libras.

11. O marido que tiver dado maus tratos à sua mulher, pagará aos cofres da chancelaria 3 libras e 4 soldos; se a tiver morto, pagará 17 libras, 15 soldos; se o tiver feito com a intenção de casar com outra, pagará um suplemento de 32 libras e 9 soldos. Se o marido tiver tido ajuda para cometer o crime, cada um dos seus ajudantes será absolvido mediante o pagamento de 2 libras.

12. Quem afogar o seu próprio filho pagará 17 libras e 15 soldos [ou seja, mais duas libras do que por matar um desconhecido (observação do autor do livro)]; caso matem o próprio filho, por mútuo consentimento, o pai e a mãe pagarão 27 libras e 1 soldo pela absolvição.

15. Quem matar um bispo ou um prelado de hierarquia superior terá de pagar 131 libras, 14 soldos e 6 dinheiros.

16. O assassino que tiver morto mais de um sacerdote, sem ser de uma só vez, pagará 137 libras e 6 soldos pelo primeiro, e metade pelos restantes.

17. O bispo ou abade que cometa homicídio põe emboscada, por acidente ou por necessidade, terá de pagar, para obter a absolvição, 179 libras e 14 soldos.

18. Quem quiser comprar antecipadamente a absolvição, por todo e qualquer homicídio acidental que venha a cometer no futuro, terá de pagar 168 libras, 15 soldos.

No entanto, para a historiografia católica, o Papa Leão X, autor de um exemplo de corrupção tão grande como o que acabamos de ler, passa por ser o protagonista da «história do pontificado mais brilhante e talvez o mais perigoso da história da Igreja».

(Fonte: Rodríguez, Pepe (1997). Mentiras fundamentais da Igreja
católica.Terramar – Editores, Distribuidores e Livreiros -(1.ª edição
portuguesa, Terramar, Outubro de 2001)

29 de outubro de 2010

Pravda - o jornal de qual povo?

A exemplo de toda a imprensa tendenciosa, seja ela qual for, nunca me dei bem com o Pravda e parece que o Pravda também nunca gostou muito de mim, mas como os tempos são outros, não resisto a transcrever o artigo que se segue, até porque a minha opinião sobre toda a classe política (devo estar doente) coincide com a ora exposta por este jornal.
É a primeira vez que publico um artigo tão longo, por achar que para quem tiver paciência, o vale a pena ler.
Pravda = Antigo jornal do Partido Comunista da União Soviética
Pravda.ru = Actual jornal da Rússia, especializado em denegrir o Ocidente

Fonte: Pravda.ru


Foram tomadas medidas draconianas esta semana em Portugal, pelo Governo liberal de José Sócrates. Mais um caso de um outro governo de centro-direita pedindo ao povo Português a fazer sacrifícios, um apelo repetido vezes sem fim a esta nação trabalhadora, sofredora, historicamente deslizando cada vez mais no atoleiro da miséria.
E não é por eles serem portugueses. Vá o leitor ao Luxemburgo, que lidera todos os indicadores socioeconómicos, e vai descobrir que doze por cento da população é portuguesa, oriunda de um povo que construiu um império que se estendia por quatro continentes e que controlava o litoral desde Ceuta, na costa atlântica, tornando a costa africana até ao Cabo da Boa Esperança, a costa oriental da África, no Oceano Índico, o Mar Arábico, o Golfo da Pérsia, a costa ocidental da Índia e Sri Lanka. E foi o primeiro povo europeu a chegar ao Japão.... e à Austrália.
Esta semana, o Primeiro Ministro José Sócrates lançou uma nova onda dos seus pacotes de austeridade, corte de salários e aumento do IVA, mais medidas cosméticas tomadas num clima de política de laboratório por académicos arrogantes e altivos desprovidos de qualquer contacto com o mundo real, um esteio na classe política elitista Português no Partido Social Democrata (PSD) e Partido Socialista (PS), gangorras de má gestão política que têm assolado o país desde anos 80.
O objectivo? Para reduzir o défice. Porquê?
Porque a União Europeia assim o diz. Mas é só a UE?
Não, não é. O maravilhoso sistema em que a União Europeia se deixou sugar, é aquele em que as agências de Ratings, Fitch, Moody's e Standard and Poor's, baseadas nos Estados Unidos da América (onde havia de ser?) virtual e fisicamente, controlam as políticas fiscais, económicas e sociais dos Estados-Membros da União Europeia através da atribuição das notações de crédito.
Com amigos como estes organismos e ainda Bruxelas, quem precisa de inimigos?
Sejamos honestos. A União Europeia é o resultado de um pacto forjado por uma França tremente e apavorada com a Alemanha depois das suas tropas invadiram o seu território três vezes em setenta anos, tomando Paris com facilidade, não só uma vez mas duas vezes, e por uma astuta Alemanha ansiosa para se reinventar após os anos de pesadelo de Hitler. A França tem a agricultura, a Alemanha ficou com os mercados para a sua indústria.
E Portugal? Olhem para as marcas de automóveis novos conduzidos pelos motoristas particulares para transportar exércitos de "assessores" (estes parecem ser imunes a cortes de gastos) e adivinhem de que país eles vêm? Não, eles não são Peugeot e Citroen ou Renault. Eles são os Mercedes e BMWs. Topo-de-gama, é claro.
Os sucessivos governos formados pelos dois principais partidos, PSD (Partido Social Democrata da direita) e PS (Socialista, do centro), têm sistematicamente jogado os interesses de Portugal e dos portugueses pelo esgoto abaixo, destruindo a sua agricultura (agricultores portugueses são pagos para não produzir!!) e a sua indústria (desapareceu!!) e sua pesca (arrastões espanhóis em águas lusas!!), a troco de quê?
O quê é que as contra-partidas renderam, a não ser a aniquilação total de qualquer possibilidade de criar emprego e riqueza numa base sustentável?
Aníbal Cavaco Silva, agora Presidente, mas primeiro-ministro durante uma década, entre 1985 e 1995, anos em que despejaram biliões de euros através das suas mãos a partir dos fundos estruturais e do desenvolvimento da UE, é um excelente exemplo de um dos melhores políticos de Portugal. Eleito fundamentalmente porque é considerado "sério" e "honesto" (em terra de cegos, quem vê é rei), como se isso fosse um motivo para eleger um líder (que só em Portugal, é!!) e como se a maioria dos restantes políticos (PSD/PS) fossem um bando de sanguessugas e parasitas inúteis (que são), ele é o pai do défice público em Portugal e o campeão de gastos públicos.
A sua "política de betão" foi bem idealizada mas, como sempre, mal planeada, o resultado de uma inapta, descoordenada e, às vezes inexistente no modelo governativo do departamento do Ordenamento do Território, vergado, como habitualmente, a interesses investidos que sugam o país e seu povo.
Uma grande parte dos fundos da UE foram canalizadas para a construção de pontes e auto-estradas para abrir o país a Lisboa, facilitando o transporte interno e fomentando a construção de parques industriais nas cidades do interior para atrair a grande parte da população que assentava no litoral.
O resultado concreto, foi que as pessoas agora tinham os meios para fugirem do interior e chegar ao litoral ainda mais rápido. Os parques industriais nunca ficaram repletos e as indústrias que foram criadas, em muitos casos já fecharam.
Uma grande percentagem do dinheiro dos contribuintes da UE vaporizou-se em empresas e esquemas fantasmas. Foram comprados Ferraris. Foram encomendados Lamborghini, Maserati. Foram organizadas caçadas de javalí em Espanha. Foram remodeladas casas particulares. O Governo e Aníbal Silva ficaram a observar, no seu primeiro mandato, enquanto o dinheiro foi desperdiçado. No seu segundo mandato, Aníbal Silva ficou a observar os membros do seu governo a perderem o controle e a participarem.
Então, ele tentou desesperadamente distanciar-se do seu próprio partido político.
E ele é um dos melhores?
Depois de Aníbal Silva veio o bem-intencionado e humanista, António Guterres (PS), um excelente Alto Comissário para os Refugiados e um candidato perfeito para Secretário-Geral da ONU, mas um buraco negro em termos de (má) gestão financeira. Ele foi seguido pelo excelente diplomata, mas abominável primeiro-ministro José Barroso (PSD) (agora Presidente da Comissão da EU, "Eu vou ser primeiro-ministro, só que não sei quando") que criou mais problemas com o seu discurso do que com os que resolveu, passou a batata quente para Pedro Lopes (PSD), que não tinha qualquer hipótese ou capacidade para governar e não viu a armadilha. Resultando em dois mandatos de José Sócrates, um ex-Ministro do Ambiente competente, que até formou um bom governo de maioria e tentou corajosamente corrigir erros anteriores. Mas foi rapidamente asfixiado pelos interesses instalados.
Agora, as medidas de austeridade apresentadas por este primeiro-ministro, são o resultado da sua própria inépcia para enfrentar esses interesses, no período que antecedeu a última crise mundial do capitalismo (aquela em que os líderes financeiros do mundo foram buscar três triliões de dólares (???) de um dia para o outro para salvar uma mão cheia de banqueiros irresponsáveis, enquanto nada foi produzido para pagar pensões dignas, programas de saúde ou projetos de educação).
E, assim como seus antecessores, José Sócrates, agora com minoria, demonstra falta de inteligência emocional, permitindo que os seus ministros pratiquem e implementem políticas de laboratório, que obviamente serão contra-producentes.
O Pravda.Ru entrevistou 100 funcionários, cujos salários vão ser reduzidos. Aqui estão os resultados:
Eles vão cortar o meu salário em 5%, por isso vou trabalhar menos (94%).
Eles vão cortar o meu salário em 5%, por isso vou fazer o meu melhor para me aposentar cedo, mudar de emprego ou abandonar o país (5%).
Concordo com o sacrifício (1%)
Um por cento! Quanto ao aumento dos impostos, a reação imediata será que a economia encolhe ainda mais enquanto as pessoas começam a fazer reduções simbólicas, que multiplicado pela população de Portugal, 10 milhões, afetará a criação de postos de trabalho, implicando a obrigatoriedade do Estado a intervir e evidentemente enviará a economia para uma segunda (e no caso de Portugal, contínua) recessão.
Não é preciso ser cientista de física quântica para perceber isso. O idiota e avançado mental que sonhou com esses esquemas, tem os resultados num pedaço de papel, onde eles vão ficar!!
É verdade, as medidas são um sinal claro para as agências de rating, que o Governo de Portugal está disposto a tomar medidas fortes, mas à custa, como sempre, do povo português.
Quanto ao futuro, as pesquisas de opinião providenciam uma previsão de um retorno do Governo de Portugal ao PSD, enquanto os partidos de esquerda (Bloco de Esquerda e Partido Comunista Português) não conseguem convencer o eleitorado com as suas ideias e propostas.
Só em Portugal, a classe elitista dos políticos PSD/PS seria capaz de punir o povo por se atrever a ser independente. Essa classe, enviou os interesses de Portugal para o ralo, pediu sacrifícios ao longo de décadas, não produziu nada e continuou a massacrar o povo com mais castigos.
Esses traidores estão a levar cada vez mais portugueses a questionarem se não deveriam ter sido assimilados há séculos pela Espanha.
Que convidativo, o ditado português "Quem não está bem, que se mude". Certo, bem longe de Portugal, como todos os que podem estão a fazer. Bons estudantes a jorrarem pelas fronteiras fora. Que comentário lamentável para um país maravilhoso, um povo fantástico e uma classe política abominável.

Timothy Bancroft-Hinchey
Pravda.Ru

27 de outubro de 2010

Mineiros do Chile - o outro lado

Todas a s moedas têm cara e coroa. Mesmo em grandes tragédias encontra-se sempre algo que ameniza a realidade da dita.
O magnífico exemplo que o Chile nos deu e que para tanto bastou a garra e o querer dum povo, (apesar de ninguém falar da maquinaria que a América capitalista lá meteu e da cápsula especial-espacial que a NASA concebeu) teve também alguns aspectos caricatos já anunciados na empresa entre os quais destaco este, ao lado reproduzido.
Fiquei a saber que há espermatezóides danadinhos para a brincadeira.

24 de outubro de 2010

Os mineiros do Chile - um exemplo

Não se preocupe, isto daqui por uma dúzia de anos, se tudo correr bem, iniciaremos as operações de salvamento! Imprensa dixit
Tenhamos fé! Mas é mais díficil do que no Chile!

21 de outubro de 2010

Lingua portuguesa - é maravilhosa!

Nós, os lusitanos, utilizamos o TU e o VOCÊ de modo bem diferente dos brasileiros. De qual dos lados estará a razão?

Conta-se uma pequena "estória" em que o presidente dum Banco estava preocupado com um jovem brilhante diretor que, depois de ter trabalhado durante algum tempo com ele, sem parar nem para almoçar, começou a ausentar-se ao meio-dia. Então o Presidente chamou um detetive e disse-lhe:
-
Siga o Diretor Lopes por uma semana durante o horário do almoço.
O detetive, após cumprir o que havia lhe sido pedido, voltou e informou:
- O Diretor Lopes sai normalmente ao meio-dia, pega o seu carro, vai à sua casa almoçar, faz amor com a sua mulher, fuma um dos seus excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho.
Responde o Presidente:
- Ah, bom, antes assim. Não há nada de mal nisso.
Logo em seguida o detetive pergunta:
- Desculpe. Posso tratá-lo por tu?
- Sim, claro! - respondeu o Presidente surpreendido!
- Bom, então vou repetir:
O diretor Lopes sai normalmente ao meio-dia, pega no teu carro, vai à tua casa almoçar, faz amor com a tua mulher, fuma um dos teus excelentes charutos cubanos e regressa ao trabalho... Entendeste agora?

A Língua Portuguesa é mesmo fascinante!!!

18 de outubro de 2010

Estrada do Atlântico - Noruega

Algures, na Noruega, existe uma grande obra de engenharia conhecida por Estrada do Atlântico
Esta construção foi iniciada em 1983. Durante os seis anos que durou a sua construção, registaram-se, no local, doze tempestades com a categoria de furacão. Resistiu a tudo.


São oito quilómetros de estrada e oito pontes sobre o oceano Atlântico.


É o segundo destino mais procurado da Noruega, mas ... é de arrepiar!
Quando o homem quer e Deus ajuda, a obra nasce!

12 de outubro de 2010

Entradas ilegais

A maioria dos consumidores desconhece que o pagamento dos aperitivos nos restaurantes não é obrigatório. E normalmente os preços praticados com as "entradas" são um roubo.

Os proprietários que não respeitem a Lei incorrem em multa e até pena de prisão.
Quando nos sentamos na mesa de um restaurante e começamos a consumir os «couverts», também conhecidos por aperitivos ou entradas disponíveis, não sabemos que não temos de os pagar.
O alerta foi feito esta terça-feira pelo presidente da Associação Portuguesa dos Direitos do Consumo (APDC), Mário Frota, que, em declarações à Agência Financeira, assumiu haver «uma ignorância das pessoas a esse respeito», pelo que «a maioria delas deixa passar, continuando a pagar».
O responsável adianta ainda que «o consumidor pode recusar pagar o couvert que habitualmente os restaurantes colocam na mesa dos clientes, sem ser pedido, mesmo que seja consumido».
Em geral, o «couvert» define-o a Lei, é «todo o conjunto de alimentos e aperitivos fornecidos antes do início da refeição, propriamente dita».
Cobrar «couvert» pode levar a coima até 35 mil euros
Decreto_lei 24/96 (artº.9º.ponto 4)

O facto é que, no particular do direito à protecção dos interesses económicos do consumidor, a Lei 24/96, de 31 de Julho, ainda em vigor, estabelece imperativamente: «O consumidor não fica obrigado ao pagamento de bens ou serviços que não tenha prévia e expressamente encomendado ou solicitado, ou que não constitua cumprimento de contrato válido, não lhe cabendo, do mesmo modo, o encargo da sua devolução ou compensação, nem a responsabilidade pelo risco de perecimento ou deterioração da coisa.»
Daí que, em rigor, o «couvert» desde que não solicitado, tem de ser entendido como oferta sem que daí possa resultar a exigência de qualquer preço, antes se concebendo como uma gentileza da casa, algo de gracioso a que não corresponde eventual pagamento.


Será que os donos dos restaurantes conhecem o risco que estão a correr?
Há entradas que não têm saída!

9 de outubro de 2010

Jacques Brel - não morreu!

Passam hoje 42 anos sobre a morte de Jacques Brel, aquele que nunca morreu.
Não é fácil falar deste gigante do palco, porque também o era na vida real. Em todos os sentidos.
Dele ouvi falar pela primeira vez em 1967. Enlevado pelas canções de Adamo, qualquer outro cantor me parecia horrível. Brel não fugia à regra. Era feio, não tinha cabelos compridos nem camisas às flores, cantava como se desse murros na parede e não falava do amor que fazia um jovem sonhar.
Enganei-me redondamente, mas só o percebi meia dúzia de anos depois. Falava da revolta, da burguesia, da falsidade, dos desprotegidos e tratava a morte por tu.
Brel tinha uma particularidade que o diferenciava dos outros. Quem não tiver conhecimentos da língua francesa, nunca perceberá onde estava a diferença. Apenas saberá que gosta dele ou não, sabe-se lá porquê.
Ele foi indignação, violência, ternura, anti-vedeta, revoltado, apaixonado, amigo, eremita, franciscano, cantor, actor, marinheiro, aviador, tudo. Levou a vida ao extremo e não tinha meio-termo. Era tudo ou nada. Tabaco, álcool, mulheres, noitadas, todos os excessos e prazeres da vida eram o seu limite. Todo ele era tudo, muito, muito mais, mais ainda.
Brel abandonou a ribalta para se refugiar nas carícias dos ventos e nos beijos das vagas, à proa do seu veleiro, numa volta ao mundo sem final feliz. Brel esperava por mim, qual “meteque” vagabundo, quando adoeceu, numa curta paragem nos Açores e foi lá que percebeu que o fim poderia estar próximo.
Quase ignorando a luta que então iniciou contra um cancro no pulmão, refugia-se na Ilha de Hiva Oa, no Arquipélago das Ilhas Marquesas, na Polinésia Francesa. Vende então o veleiro e adquire um pequeno avião, pilotado por ele próprio, ajudando a combater o isolamento das populações mais remotas, colocando o bimotor, gratuitamente, ao serviço das populações, no transporte de pessoas e correio.
Profundamente debilitado volta a Paris para morrer a 9 de Outubro de 1978, não sem antes de deixar expresso o desejo de jazer na longínqua Polinésia, onde repousa no meio dos seus nativos, entre tufos de ternura e saudade, bem longe das luzes do efémero.
Por tudo o que foi, Brel é para mim a paixão que se sobreleva a todas as outras.

Morre cedo quem os Deuses amam, alguém disse um dia.
Meu velho Jacques, estarás sempre comigo.
Ne me quitte pas!


"Tenho menos medo da morte do que de me tornar um velho cretino".
Jacques Brel

2 de outubro de 2010

Perdoa-me pai!

Chegou o dia em que um velho homem, já doente e muito cansado, teve de partir para a montanha. Assim era hábito quando chegava a hora da despedida deste mundo.
O filho carregou alguns mantimentos para o velho se alimentar durante uns dias e também uma manta para este se abrigar da noite. Os lobos encarregar-se-iam do resto se entretanto o frio o não fizesse. Era assim o fim de todos os velhos.
Chegada a hora da despedida, o pai disse ao filho para rasgar a manta ao meio e levar uma metade. Curioso com tal pedido do pai, pergunta-lhe para que quer ele a metade que vai levar para casa. Consternado mas cheio de sabedoria, o velho diz ao filho que essa metade serviria para o dia em que também o filho do seu filho o levasse à montanha e o abandonasse para ali morrer.
Meditou o filho nas sábias palavras do pai e pegando-lhe no braço ajudou-o a descer a montanha.

Pai

Quando eu era miúdo ouvi, ou li, esta "estória" que nunca mais esqueci. Mal sabia eu que chegaria o dia em que também te levaria à montanha e ali te deixaria com meia dúzia de mantas.
Infelizmente não te posso pegar no braço e ajudar-te a descê-la. Nem os tempos são outrora, nem a vida se compadece e senti-me pequenino ver-te ali ficar, meio abandonado e só, sabendo que sentirias o volatilizar do meu cheiro por entre as paredes dum novo mundo.
A tua insanidade permite-te não perceber o que aconteceu, mas o teu olhar é de abandono e isso devora-me.
Começou uma nova etapa, quiçá, a do princípio do fim, mas estarei contigo até à consumação dos séculos, porque o coração não tem distâncias.

Como é dura esta certeza e tão mole a impotência! Que depressa venha esse diáfano manto de escuridão que a todos espera.
Às vezes, um homem é de ferro, mas o ferro também derrete!
Perdoa-me pai!

30 de setembro de 2010

Andre Moa - Não te exaltes Isaltina

André Moa não é só um poeta, um literato, um jurista. É também um animador cultural, um bem-disposto permanente, um lutador acérrimo, um amigo incondicional.

André Moa é um belipotente profissional e não se atemoriza com os revezes da vida. Vai a todas e o que tiver de acontecer, acontecerá.

É incrível a força e a crença deste homem na sua luta contra a doença do século que aos poucos o vai tentando dizimar e aos poucos vai sendo rechaçada.

É já um exemplo para nós!

Exalta-te ... André!


26 de setembro de 2010

Verdinha - Dans le vert de ses yeux

Parabéns Verdinha!
Parabéns por mais um aniversário dos teus verdes olhos.
Aqui te deixo um canção de amor, não aquele dum homem por uma mulher, porque esse está bem entregue, mas sim o dum amigo por uma amiga, como felizmente tenho outros exemplos.
Ao Leo, principal responsável da tua felicidade, o meu apreço e a minha admiração.
Ao Adamo, teu conterrâneo belga e outro dos meus amores, o meu obrigado pela ternura das suas canções.
Esta é uma canção de amor, mas também podia ser de amizade.
A tradução não é obviamente para ti, já que a tua língua materna é a lingua francesa, mas sim para quem não esteja familiarizado com a mesma, tão querida para mim.
Um grande beijinho

No verde dos seus olhos
Havia outras terras
Uma imensa clareira
Castelos fabulosos
E nada foi quimera
No verde dos seus olhos

No verde dos seus olhos
Havia esperança
Um dia vou lembrar
Ela convidou-me confiante
Para o país que é o seu
Para o país dos seus olhos

Ela caminhava à minha frente
Ela saltava ligeira
No caminho estreito
Ladeado pela urze
Mas cada um dos meus passos
Fazem desmoronar a terra

Um abismo se esmagou
No verde dos seus olhos
E sem sequer um adeus
Eu a vi se afastar
E quanto mais eu a chamava
Mais eu a perdia
Eu perdi meu amor
Num país de amor
E procurei em vão
Encontrar o caminho
Que leva a outros céus
No país dos seus olhos







V

20 de setembro de 2010

Saúde - Alimentos saudáveis

Se há coisas em que eu acredito esta é uma delas.
Mas também fica a pergunta: - Se eu comer tudo isto regularmente, não vou ter nenhuma destas doenças?
- Certamente não será assim tão taxativo, mas apesar de tudo eu continuo a acreditar na "dica" do nutricionista.
Mas ... onde estão as minhas sardinhas?

13 de setembro de 2010

Fumar or not fumar

Fumar é uma escolha! Um vício! Um prazer!
Para quem não fuma e é alérgico ao tabaco, é um verdadeiro suplício.
Para quem já fumou, sabe que tal acto é um verdadeiro prazer.
Para quem está entre as dez e as onze, tanto pode lidar com gregos como com troianos.
Se é certo que o tabaco incomoda, também o é saber que o fumador é tratado como um proscrito.
Atentemos na foto e vejamos a humilhação a que uma pessoa se sujeita. Convenhamos no entanto que é tão mau, para quem não fuma estar ao lado dum tabagista, como para quem fuma estar ao lado dalguém que nem lhe suporta o cheiro.
É que, é muito fácil estar do lado do contra, seja ele qual for, só que o nosso egoísmo apenas nos faz olhar para as nossas opções.
Eu, que já fumador fui, ainda hoje tenho saudadinhas dumas boas fumaças. Assim a saúde o aconselhasse e o medo de males maiores no ar não pairasse.

O que faz mal não é fumar, o que faz mal é o exagero!
Parafraseando um amigo, dizia-me ele – eu vou morrer doente e tu vais morrer com saúde.
Assim fosse! Tão simples como isto!

9 de setembro de 2010

Alzheimer - Pai, afasta de mim esse cálice!

Nem sempre é fácil falar daqueles que amamos mas, às vezes, há situações que nos fazem temer a realidade que se aproxima e que inevitavelmente chegará a todos nós, se atingirmos uma provecta idade.
Há poucos dias, durante a visita habitual que faço ao meu pai, reparei que andava para trás e para a frente com um saco plástico na mão. Dentro do saco estava um velho Jogo de Damas. Eu e a minha irmã, ficámos a observar o que ele fazia e vimo-lo então tirar o velho jogo do saco, há mais de cinquenta anos património lá de casa e, entre imperceptíveis sons guturais, começa a colocar as pedras no tabuleiro. Nem quería
mos acreditar. Ele, outrora campeão de tal peleja, distribuía agora anarquicamente as pedras, misturando pretas com brancas, completamente desajustado da realidade que os seus noventa anos e o Alzheimer que o consome, já não permitem.
Aproximei-me dele dizendo-lhe que as peças estavam todas mal distribuídas. Apático e submisso fica então a ver-me colocá-las nos respectivos pequenos quadrados. As brancas dum lado, as pretas do outro.
À minha frente estava um homem que o tempo consumiu, mas dele brotavam ainda laivos de neurónios menos adormecidos.
Depois, como se nada daquele momento de olvido tivesse acontecido e após complacente troca de olhares entre nós, inicia a primeira jogada. Surpreendido com tal iniciativa, retorqui e respondi com as pretas.
Pela primeira vez na vida ele não ganhou a contenda, mas conseguiu atingir o final do jogo com a lucidez que já perdeu.
Sem mais delongas e como se eu ali não estivesse, levantou-se, cambaleou para o leito, aninhou-se no aconchego do dito e deslizou para o inconsciente.

5 de setembro de 2010

Buddha Éden - Quinta dos Loridos

As esparsas andanças que Agosto me proporcionou, entre Lisboa e o Minho, permitiram-me parar aqui e além sempre em busca do descanso do corpo, do arrumo das ideias e de novas descobertas.

Não muito longe de Lisboa, mais exactamente na freguesia do Carvalhal, perto do Bombarral, descobri a Quinta dos Loridos, propriedade do conhecido amante de arte, Joe Berardo.
O maior Buda do parque pesa cerca de setecentas e trinta toneladas.
Logo a seguir vem outro com quatrocentas e trinta toneladas.

Todas as estátuas foram esculpidas na China e trazidas para Portugal em "puzle", sendo que as maiores foram divididas em peças de três mil quilos cada.

O Jardim não se encontra ainda concluído até porque a ambição de Berardo é transformá-lo no maior jardim asiático fora da Ásia. Nele se encontram mais de mil estátuas.
A entrada, por enquanto, é gratuita.
Ali se podem adquirir vários vinhos de qualidade, tintos, brancos e rosés.
Apesar da canícula, VALEU A PENA!