19 de novembro de 2010

Nato - cimeira em Lisboa 2010


Sabendo que o Pacto de Varsóvia “é finito” e o bloco soviético cremado foi, quem são os actuais opositores?
Não sendo apologista de quaisquer bélicas movimentações, e julgando-me o mais pacifista do mundo, alinho na pergunta que paira no ar:

- A Nato ajuda a manter a paz no mundo?
E será que o verdadeiro perigo não vem do próprio homem e da sua desmesurada ambição e ódio racial?
O que vai mudar?

16 comentários:

Teté disse...

Nada...

Beijinhos, Kim!

Zé do Cão disse...

Kim
A Nato e a "Nata" já cheira a azedo.
E numa altura em que os nossos governantes (?) diziam que se retirariam da guerra, ouvimos da boca do Sótraques, confirmar que a guerra era para continuar e mais uns soldadozitos partiriam para lá.
Fazer guerra por lá, quando temos uma guerra tão importante por cá.
sem mais comentário
abraço

Maria disse...

Kim
Infelizmente o homem tem a ambição e a guerra no sangue. É isso que provoca tudo.
Beijinho
Maria

Anónimo disse...

Constituição da República Portuguesa
Artigo 7.º
Relações internacionais
1. Portugal rege-se nas relações internacionais pelos princípios da independência nacional, do respeito dos direitos do homem, dos direitos dos povos, da igualdade entre os Estados, da solução pacífica dos conflitos internacionais, da não ingerência nos assuntos internos dos outros Estados e da cooperação com todos os outros povos para a emancipação e o progresso da humanidade.
2. Portugal preconiza a abolição do imperialismo, do colonialismo e de quaisquer outras formas de agressão, domínio e exploração nas relações entre os povos, bem como o desarmamento geral, simultâneo e controlado, a dissolução dos blocos político-militares e o estabelecimento de um sistema de segurança colectiva, com vista à criação de uma ordem internacional capaz de assegurar a paz e a justiça nas relações entre os povos.
3. Portugal reconhece o direito dos povos à autodeterminação e independência e ao desenvolvimento, bem como o direito à insurreição contra todas as formas de opressão

AFINAL ONDE ESTÃO OS HOMENS QUE JURARAM DEFENDER E CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO, A COMEÇAR PELO SENHOR PRESIDENTE CAVACO SILVA?

EU VOU À MANIFESTAÇÃO ANTI-NATO!

XL

laura disse...

XL; estão neste momento bem aconchegados nos melhores Hotéis que pagamos do nosso bolso, não fossem eles constipar-se...

A Constituição embora fosse para fins Nobres! caiu tudo no esgoto que eles criaram para puxar cada vez mais a brasa à sua sardinha! (e o Povo calou)

Pobres dos mais pobres, pobres daqueles que estão a saber pela primeira vez na vida o que é não ter que comer em casa! (e o Povo consente)

Beijinho da laura que queria ver o Povo a viver condignamente já que trabalha para isso e se não trabalha é porque até esse direito lhes tiraram! O direito ao pão de cada dia!

Anónimo disse...

Mas porquê o Afeganistão?

Se perguntarmos aos russos eles sabem. Sabem a importância do controlo daquilo a que poderemos chamar a “rota da seda” dos tempos modernos, mas de oeste para leste: a passagem dos gasodutos e oleodutos da bacia do Cáspio para o Paquistão, a Índia e a China. O controlo do Afeganistão é assim absolutamente necessário para o domínio da eurásia, na opinião entendida do ex-conselheiro do ex-presidente Carter, Zbigniew Brzezinski, que assumidamente promoveu uma política de apoio, armamento, instrução e comando dos mujahideen contra a invasão soviética. A acção norte-americana teve, ainda, o objectivo explícito de promover o islamismo radical e anti-comunista.
Para a NATO a necessidade do controlo do Afeganistão é ainda mais evidente, agora que o eixo da economia mundial passou para o Pacífico entre os EUA e a China. O G2 funciona com aparente e necessária cordialidade, mas os EUA (NATO) não deixarão de tomar todas as posições geoestratégicas que lhes permitam condicionar e pressionar a grande potência emergente. Tanto mais que tem de se haver com um forte bloco constituído pela Shangai Cooperation Organization que integra a Federação Russa, a China e as quatro repúblicas da Ásia Central, Cazaquistão, Uzebequistão, Quirguízia e Tajiquistão, tendo como observadores o Paquistão, a Mongólia, a Índia e o Irão.
Parece que o embaixador russo junto da NATO acha que a NATO está a cometer os mesmos erros que eles cometeram no Afeganistão. Não diz quais são. Porque há um único erro a ter em conta: a invasão do Afeganistão. A NATO leva a cabo uma guerra colonial que não poderá ganhar.

XL

RS disse...

O livro "O Clube de Bilderberg" explica porque ainda existe a NATO.

Andre Moa disse...

Eu desnato, ele desnata,
disparato, disparatas?
Entre a nato e a nata,
eu por mim voto nas natas.
Abreijos
André Moa

Anónimo disse...

pois..............

xl

RS disse...

Eu sou um dos que jurou defender a Constituição da República Portuguesa e não estou aconchegado em nenhum hotel. Foi aliás, por ter jurado defender a Constituição, que fui passear fardado, ao Rossio em 2006. Devido a esse facto, sofri represálias da minha hierarquia e ainda não fui promovido, apesar de já o dever ter sido em Junho de 2009.
Os Donos do Mundo têm muita força!

O tempo que passa disse...

Caro amigo! Hoje sou eu que o visito e sem ter jeito para comentar, não quero deixar esta oportunidade, para lhe dizer que me agrada este seu blogue, doravante virei aqui ler as suas opiniões e observações.

Diamantino

Je Vois la Vie en Vert disse...

Acabou a cimeira e correu tudo bem. Felizmente, apesar de alguns inconvenientes e manifestações, Portugal portou-se à altura de receber os chamados "grandes" e será considerado um país seguro e capaz de organizar um grande evento.
Pessoalmente, acho que é preciso juntar-se não para atacar mas para preservar a paz. Um país não consegue fazer isso sozinho.
Beijinhos
Verdinha

Multiolhares disse...

Eu penso que a paz jamais de pode fazer com guerra, se utilizarmos as mesmas armas somos iguais ou ainda piores.
Acredito sim, que o verdadeiro perigo é o homem enquanto deixarmos ser a ganancia a mover as nossas vontades em prol do amor, então nada feito.
assim é o meu pensamento estou certa, estou errada, não sei mas sinto assim
Bj

Osvaldo disse...

Kim;

Como os NATOs não são pastéis, a minha preferência vai para as NATAS se possivel de Belém.

Grande abraço, Kim.
Osvaldo

laura disse...

Quem falou em natinhas? ah, e o J.C. que não vem cá há tanto tempo... natinhas pra cá e deixem lá os da Nato resolver, que por mais que queiramos, nunca podemos fazer nada. haja natas para todos os gostos.

Um abraço apertadinho d'esganar, da

laura

Anónimo disse...

Quando os ricos
fazem a guerra,
são sempre os pobres
que morrem.
Jean-Paul Sartre
Filósofo e escritor francês
(1905-1980