2 de novembro de 2010

Igreja - As bulas da vergonha

Desde sempre a Igreja enveredou por caminhos nada abonatórios relativamente àquilo que apregoa. Desde a evangelização forçada à espadeirada, no achamento de novos mundos, passando pelas fogueiras da Inquisição, até à pedofilia no seu seio, fico siderado com as vergonhas da Igreja.
Para quem não está familiarizado com o nome da palavra BULA e na linguagem mais simplória que me é permitida, apenas digo que BULA era uma autorização da Igreja para poder cometer pecado, a troco do vil metal, como é evidente.

Há quem diga que é um texto falsificado atribuido ao Papa Leão X, mas depois de todos os impensáveis da Igreja, acredito que isto possa ter algo de verdade. Quem não se lembra de na Quaresma se adquirir a BULA para poder comer carne? Eu lembro-me e também a paguei.
Transcrevo apenas alguns dos pontos desse texto.

Pai, perdoai-lhes que "não sabiam" o que faziam!!!
Transcrição do post "A taxa Camarae do papa Leão X" publicado no "Diário Ateísta"

A Taxa Camarae é um tarifário promulgado em 1517 pelo papa Leão X (1513-1521), destinado a vender indulgências, ou seja, o perdão dos pecados, a todos quantos pudessem pagar umas boas libras ao pontífice.
Como veremos na transcrição que se segue, não havia delito, por mais horrível que fosse, que não pudesse ser perdoado a troco de dinheiro.
Leão X declarou aberto o céu para todos aqueles, fossem clérigos ou leigos, que tivessem violado crianças e adultos, assassinado uma ou várias pessoas, abortado… desde que se manifestassem generosos com os cofres papais.

Vejamos alguns do seus trinta e cinco artigos:

1. O eclesiástico que cometa o pecado da carne, seja com freiras, seja com primas, sobrinhas ou afilhadas suas, seja, por fim, com outra mulher qualquer, será absolvido, mediante o pagamento de 67 libras, 12 soldos.

2. Se o eclesiástico, além do pecado de fornicação, quiser ser absolvido do pecado contra a natureza ou de bestialidade, deve pagar 219 libras, 15 soldos. Mas se tiver apenas cometido pecado contra a natureza com meninos ou com animais e não com mulheres, somente pagará 131 libras, 15 soldos.

3. O sacerdote que desflorar uma virgem, pagará 2 libras, 8 soldos.

4. A religiosa que quiser alcançar a dignidade de abadessa depois de se ter entregue a um ou mais homens simultânea ou sucessivamente, quer dentro, quer fora do seu convento, pagará 131 libras, 15 soldos.

5. Os sacerdotes que quiserem viver maritalmente com parentes, pagarão 76 libras e 1 soldo. 6. Para todos os pecados de luxúria cometido por um leigo, a absolvição custará 27 libras e 1 soldo; no caso de incesto, acrescentar-se-ão em consciência 4 libras.

7. A mulher adúltera que queira ser absolvida para estar livre de todo e qualquer processo e obter uma ampla dispensa para prosseguir as suas relações ilícitas, pagará ao Papa 87 libras e 3 soldos. Em idêntica situação, o marido pagará a mesma soma; se tiverem cometido incesto com os seus filhos acrescentarão em consciência 6 libras.

11. O marido que tiver dado maus tratos à sua mulher, pagará aos cofres da chancelaria 3 libras e 4 soldos; se a tiver morto, pagará 17 libras, 15 soldos; se o tiver feito com a intenção de casar com outra, pagará um suplemento de 32 libras e 9 soldos. Se o marido tiver tido ajuda para cometer o crime, cada um dos seus ajudantes será absolvido mediante o pagamento de 2 libras.

12. Quem afogar o seu próprio filho pagará 17 libras e 15 soldos [ou seja, mais duas libras do que por matar um desconhecido (observação do autor do livro)]; caso matem o próprio filho, por mútuo consentimento, o pai e a mãe pagarão 27 libras e 1 soldo pela absolvição.

15. Quem matar um bispo ou um prelado de hierarquia superior terá de pagar 131 libras, 14 soldos e 6 dinheiros.

16. O assassino que tiver morto mais de um sacerdote, sem ser de uma só vez, pagará 137 libras e 6 soldos pelo primeiro, e metade pelos restantes.

17. O bispo ou abade que cometa homicídio põe emboscada, por acidente ou por necessidade, terá de pagar, para obter a absolvição, 179 libras e 14 soldos.

18. Quem quiser comprar antecipadamente a absolvição, por todo e qualquer homicídio acidental que venha a cometer no futuro, terá de pagar 168 libras, 15 soldos.

No entanto, para a historiografia católica, o Papa Leão X, autor de um exemplo de corrupção tão grande como o que acabamos de ler, passa por ser o protagonista da «história do pontificado mais brilhante e talvez o mais perigoso da história da Igreja».

(Fonte: Rodríguez, Pepe (1997). Mentiras fundamentais da Igreja
católica.Terramar – Editores, Distribuidores e Livreiros -(1.ª edição
portuguesa, Terramar, Outubro de 2001)

22 comentários:

Osvaldo disse...

Kim;

Eu nunca confundi a Igreja, local de meditação, de diálogo directo com o Pai, de oração interior do crente, de repouso espiritual (por isso entro sempre numa que esteja aberta e vazia),... com as pessoas que foram designadas para a dirigir, porque sempre achei que a Igreja não precisa de "chefes" mas sim de alguém que a mantenha em condições de receber, mesmo que por alguns instantes, quem necessita de nela entrar porque como Casa do Pai ela foi concebida para receber, a todas as horas, sem cerimónia especial todos os filhos, pródigos ou não, que a ela queiram entrar.
Reconheço muitas atrocidades aos lideres eclesiásticos e seus directos seguidores (essas atrocidades passam-se em todas as religiões) e sou a favor que a justiça deveria ter mão bem pesada para essas aberrações mas a própria justiça civil é corrupta, aberrante e interesseira!...
Mas não acredito que uma lei como aqui a descreves extraída dum livro
escrito por alguém com possivelmente intençõs destrutivas de uma ideologia contrária à sua, tenha sido dictada por um Papa que embora tendo uma "dinastia" curta (apenas 8 anos) teve de resolver conflitos contra a Igreja em várias frentes (avanços mussulmanos do Sultão Selim e principalmente a divisão pelo protestantismo do próprio cristianismo com as proposições de Martin Lutero para o qual foi escrita e aplicada a Bula). A Bula que eu li parcialmente até porque estava em latim, nada tem a ver com essa exposta,... mas!...

Por isso, amigo Kim, gosto imenso de pequenas Igrejas do interior do nosso país que entramos com muito respeito e é a população que modestamente nos abre as portas como aconteceu em Barcos e Santa Leocádia (Tabuaço) e onde sentimos realmente que esa sim, é "A Csa do Pai" e foi com esse intuito que ela foi erigida.

Grande abraço, grande amigo e parabéns pelo belo post.
bjs para L&L
da Ana e Osvaldo

Zé do Cão disse...

não li nada com jeito e até confundi cada do Pai com C.P. (não comboios evidentemente) Casa Pai.

Vou voltar para rectificar,

abraço

Osvaldo disse...

Caro Zézito;

Desculpa lá a minha ignorância literária. Sabes como é, p'ra quem como eu com 60 anos, que viveu apenas os primeiros 9 em Portugal, é possivel que o meu português seja lastimoso, catastrófico, incompreensivel, enfim,... mesmo muito ruim, mas é a minha maneira simples e honesta de escrever, ou pelo menos tentar fazê-lo.
Desculpa lá os erros ortográficos e gramaticais que nesta segunda intervenção eu cometi, mas até que se pode perdoar a quem, em Portugal, nos anos 50 ainda conseguiu, com 9 anos, completar a nossa antiga 4° classe!...
Mas já agora, quero corrigir o tal erro que apontas;
Onde se lê Cda do Pai,... leia-se "A Casa do Pai".

Mas caro amigo Zé, não ligues, que eu, mesmo quase analfabeto,... gosto de ti, porque és um grande homem e amigo dos amigos.

Um abraço,
Osvaldo

Kim disse...

Amigo Osvaldo
As igrejas vazias também são a minha atração. Aí sinto qualquer coisa de místico que não tem explicação.
Claro que não é só na Igreja Católica que isto acontece. Infelizmente é por todo o lado.
Acredito que possa haver algo de "tramóia" nesta BULA, mas sabes muito bem que a dita existia e nem sei se ainda hoje existe, mas quando eu andava de braço dado com a Igreja, lembro-me perfeitamente, no período antes da Páscoa, em que não se podia comer carne, tu podias comê-la se pagasses a BULA. E também não tenho dúvidas que a Igreja tem coisas muito boas, nomeadamente de cariz social, mas o amontoado manto negro que sobre ela paira faz-me virar para dentro do inexplicável.
Quanto ao Zezito, não interpreto a comentário dele da mesma maneira. Como ele é ateu, está-se marimbando para a Igreja. é mais ou menos isto. E claro que isso não tem nada a ver com a amizade de que falas e que é verdadeira. Ainda ontem almocei com ele e fica a vontade de o voltar a fazer.
Em relação ao teu português quero só lembrar-te o seguinte; tomara que todos os portugueses dessem apenas os erros que tu dás.
Abraço grande amigo

laura disse...

Kim; essa Casa do Pai, está dentro de cada um. Que seria dos Seres que não sabem sequer o que é uma Igreja! Aqueles que espalhados pelos confins do mundo, nem sabem o que é uma TV, e por aí fora. Não, para esses existe a imensidão porque Deus está em cada um que pratica as Suas Leis!
Todo o Ser assim, sem ter quem ensine ou explique, sabe viver por si e ver por si que o Bem e o Mal são duas coisas diferentes...

Há quem precise de ir rezar lá dentro, eu também gosto, por vezes, e tenho em Braga a minha Igrejinha preferida, pequenina, linda. Passando ali perto, só se a pressa for maior, não entro. Sabe bem quando a alma sofre, poder ir buscar forças nessa Igreja onde sabemos e sentimos que Ele nos ouve!

Em cada igreja onde entro (mais quando saio convosco e me perco nas religiosidades sem fim) e entro naquelas Igrejas, nem todas mexem comigo,depende de quem lá está, do silêncio que possa ter em mim! E, se não me engano, deves ter reparado num desses momentos em que a dor e a alegria se misturaram à revelia numa certa Igreja em Tabuaço e tive a nina Verdinha a cantar para mim! E aí o vendaval de emoções assolou, saltou para fora do leito dos meus olhos, e... espero que nem tenhas reparado na triste figura que fiz, mas; são momentos e dessa vez foi numa belssima Igreja, onde o sentimento falou mais alto!...

laura disse...

Bom, responder ao teu post é agora, no de cima alarguei-me e...
a propósito da Bula tomei conhecimento dela assim...

Ainda lembro que aos 8 anos, no Entroncamento as filhas da madrinha do meu mano mais novo me levavam à Missa, a confessar (ó que coisa, se soubesse o que sei hoje...mas levava sempre a mesma penitência, vais rezar três pai Nossos e uma Avé Maria...que eu aldrabava, logo, inconscientemente já estava a pecar de novo antes de sair da Igreja...

Voltando às filhas da Madrinha, diziam; não podes comer carne, nem frango nem bifes nada que tenha carne, só peixe... nesse dia comi na casa delas. Qual o meu espanto quando vejo a carne assada no forno, na mesa! Como não tenho freio na língua saio com esta; virando-me para a Milú; então vamos comer carne? vamos pecarrrrrrrrr, disseste que não se podia!...(O pai era chefe do meu, logo havia mais escudos no fim do mês) e diz ela; laurinha; nós pagamos a Bula e como bula é parecido com bola para quem não ouve... que bula? Paga-se ao padre para podermos comer carne nesses dias em que não se pode comer..e lá me deu a explicadura...

Quanto aos padres e o manual do sexo deles,(se pagassem as quecas que dão e davam, haveria paroquinas riquissimas) sabes que sempre foram (a maioria) uns bons trastes a perverter as ovelhas do seu rebanho...Na aldeia dos meus avós conheço filhos e netos de padres e sou amiga deles...
Qual pagar? e achas bem essa forma de pecar e pagar! Que Deus os esconjure para todo o sempre!...Muitos deles devem ser apenas tições apagados nas masmorras do mal...o Inferno ainda existe para quem se portou dessa forma,sentindo-se livre para pecar a troco do que recebiam na caixa das esmolas!...

Mas como diz o Osvaldo, as Igrejas apenas precisam de quem as mantenha, limpe e nos abra a porta, mais nada!...

Um abraço apertadinho e sem pecado, da laura que te adora

Andre Moa disse...

Caro Kim,

Como passei por aqui, o que sempre faço com gosto e proveito, mal seria se não deixasse assinalada a minha passagem, apesar de ter estado tentado a nada dizer. Apenas porque esse reino, o reino eclesial, não me diz nada, não é o meu mundo. Ou melhor, diz muito, mas não me interessa já para nada. Tudo o que for dito sobre igrejas (não monumentos que eu também gosto de visitar, já que não posso esquecer-me de que, durante séculos, a arte e a instrução foram exclusividade do clero), sobre religiões, papas, papistas e quejandos, não me surpreende. É próprio de quem se julga eleito, escolhido e se arroga o direito de ditar dogmas, cânones, autos de fé, fogueiras, etc, etc, etc.. Não sou anticlerical. Deixo isso para os aprendizes de feiticeiros, para os ateus primários. Muitos dos meus maires amigos são ou foram padres católicos. Nem digo mal das religiões. É inútil e, com excesso, porventura, prejudicial. Não nos podemos esquecer de que a farsa de Fátima foi encenada precisamente como reacção do clero contra os excessos anticlericais, por vezes primários, de muitos republicanos tontos. O que pretendo é dar o meu contributo, sério e honesto, para que, pouco a pouco, as pessoas se vão libertando de tais amarras e se vão purificando do ópio, do veneno que qualquer religião é, e a maior parte de nós (eu também) bebemos juntamente com o saudável leite materno.
PS - Não se esqueçam de que Lutero (quando ainda frade católico) começou a sua reconversão, mas não a libertação, a protestar contra a bula papal lançada para angariar fundos que pagassem o fausto do Vaticano então em construção.
Os meus pais pagaram muitas bulas quaresmais, não fosse o diabo tecê-las, apesar de em sua casa nunca se comer carne nem na quaresma, nem nas primeiras sextas-feiras de cada mês. Quem mandava nos corpos era Salazar e os seus capangas; quem amarrava as almas era o Cardeal e os seus capangas.
Abreijos
André Moa

Andre Moa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andre Moa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andre Moa disse...

Eu peço desculpa, mas não me pode ser assacado o triplicado do meu comentário. Já no anterior aconteceu, não sei porquê.
Abreijos.
André Moa

Andre Moa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zé do Cão disse...

ahahah...
Eu nem tinha reparado em nada disso, eu até sou um asno primário, faço erros, erra virgulas, etc.etc..
Era lá capaz duma coisa dessas.
Oh Osvaldo, só pretendi fazer trocadilhos e graça com a desgraça.
O Kim veio apresentar a Bula e eu lembrei-me imediatamente da Bôla de Lamego.
E que boa que ela é.Abraço Kim, abraço Osvaldo,abraço Moa, força e descarreguem a "Bilis" da amargura
cá para fora.

Laura disse...

Zézito, mais uma vez...este nino é o máximo, pois claro, a Bula já era, ficou a Bilis da questão, da raiva por nos terem levado á certa, fazendo o povo pagar para comer carne, isso nem lembrava ao diabo, mas o homem é astuto e malandro para roubar o próximo...

beijinho, logo vi que o Zé nem é de emendar erritos de escrita originados pela pressa e pelo dedinho que escorrega para a tecla do lado.

beijinho da laura

Je Vois la Vie en Vert disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Je Vois la Vie en Vert disse...

Oh, Kim, como é que querias que houvesse tanta riqueza nas igrejas se não fosse a tal Bula para redimir dos pecados ???? ;) LOL
Na minha casa, nunca me lembro de ter ouvido falar de bulas, bolas de berlim, isto sim, mas bula, não, isto porque em casa somos todos santos ! ;) LOL
Eheh, tantas pessoas foram atrás destas promessas de salvação e ninguém sabe, até agora, o que eles encontraram nem os muçulmanos que, se calhar, já nem "podem ver" as tais 72 virgens...isto é muitas mulheres juntas num harem...
Caro amigo, sendo católica praticante, só podia brincar com o teu post, mas falando agora a sério, posso dizer que nem sempre concordo com as leis da Igreja como nem sempre concordo com as leis do País e no entanto respeito-as, que remédio ...Concordo que cometeram-se atrocidades e maldades em nome da religião e acho que a Igreja actual está a tentar voltar a seguir a palavra de Jesus, isto é da bondade, da justiça e do castigo justo.
Sinto-me bem em quase todas as igrejas por serem, para mim, a casa do meu Pai, agora não passo lá os meus dias, só faço uma visita dominical ao meu Pai. Mas quem me derá poder fazer uma visita diária ao meu pai cá da terra mas ele, e a minha mãe estão longe.

Uma enorme beijoca vermelha para ti, meu amigo e sem pagares Bula e do fundo do coração !

Laura disse...

E o Benfica não paga nada de Bula? se ganhou, deve ter de pagar uns euros à Santa madre Igreja, deve ter sido intercessão de algum Santinho que puxou dos galões...

Tudo na maior, não estou a mandar bocas ahhhhhh.

beijinho da laura

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Kimamigo
Puseste o dedo na ferida. Com esta transcrição, ainda que de folha desterrada no tempo, vieste pôr a nu, coisas que o Vaticano tenta disfarçar, pois dar cabo delas é o… cabo dos trabalhos.

Creio que sabes que eu costumo escrever que fui católico, mas curei-me. Olham-me viés, reprovam-me, criticam-me, antecipam um degredo nas paragens infernais, abissalmente diferentes das invernais e apenas com uma troca de letra…

E eu ralado, dizia o Vasco Santana na «Canção de Lisboa». E digo eu. A Igreja Católica, Apostólica e Romana, hoje não me diz nada. Nem todas as outras que existem e que, no fundo, são álibis dos humanos perante o que não conhecem.

Ou seja, um tal Deus, chame-se-lhe o nome que se quiser. E que, em meu modesto entender, não existe. É, tão só, a expressão de algo que se teme e por isso se venera, pelo sim, pelo não. Passar-lhe a mão pelas costas, bajulá-lo, «dar-lhe manteiga», mas sobretudo dinheiro, pilim, carcanhóis, graveto, fruta, cifrões, enfim, é muito conveniente. Estar bem com Deus e com o Diabo é elementar, meu caro Wat..., perdão, Kim.

Bula, para os Romenos, é o nosso Zé Povinho. É um trocadilho, já que pula é o atributo masculino. Pelos vistos e passe a risada, o Bula deles é, no mínimo, mais divertido. Se o Rafael Bordalo Pinheiro tivesse sabido, o manguito seria outro, seria outro o pula; divinal…

Abs

PS - E que tal um pulo, em português, de quando em vez lá à Travessa?

susana disse...

Eu já me tinha interrogado e até discutido, esse assunto da Bula, com alguns católicos mais ferrenhos, por altura da sexta feira santa, quando é proibido pela Igreja, comer carne. Mas tal acto já é aceite se pagar uma taxa. Claro que achei isto ridículo, tanto que o peixe está bem mais caro que a carne e sendo assim, a maior gula será comer o peixe e náo a carne, que dizem ser corpo de Deus....e acabam por insultar sua santidade, ao comparar o seu corpo, a um boi, ou um porco....poupem-me!
Agora esta lista que aqui me trazes do leãoX era me totalmente desconhecida. Acaba por ser um incentivo ao pecado e ao crime...que horror!
Deixei um comentário para ti no meu blog!
beijinhos

Anónimo disse...

É a Igreja com a Bula, e os Politicos com a Gula...

Pantas

Anónimo disse...

Ora até que enfim; aqui está um rigoroso orçamento de estado para acalmar os mercados.

XL
(ateu militante, primário, secundário, terciário, etc., etc.,……….)

Rui disse...

A Sociologia aponta estas situações como "escapes da sociedade e/ou das organizações".

Teté disse...

Pois é, Kim, a ser verdadeiro o texto, esta Igreja parece-se mais com Judas do que com Cristo, vendendo-se a troco de algumas moedas... :s

Beijocas e bom fim de semana!