24 de outubro de 2010

Os mineiros do Chile - um exemplo

Não se preocupe, isto daqui por uma dúzia de anos, se tudo correr bem, iniciaremos as operações de salvamento! Imprensa dixit
Tenhamos fé! Mas é mais díficil do que no Chile!

10 comentários:

Zé do Cão disse...

Amigo Kim.


TUDO ISTO É TRISTE, TUDO ISTO EXISTE
TUDO ISTO É

F A D O

JE VOIS LA VIE EN VERT disse...

É sempre o Zé povinho que paga...
Como diz o Zé do Cão, é um triste fado, o mais comum em Portugal !

Beijinhos
Verdinha

Parisiense disse...

Não sei se isto em meia duzia de anos vai melhorar.....eu acho que o triste fado do povo é pagar...os erros dos que enchem os bolsos.

Beijokitas amigão.

Osvaldo disse...

Kim;

Para o nosso amigo Zézito;
Tudo isto existe / tudo isto é triste / tudo isto é fado,...

Mas caramba, Zé,... é disto que o povo gosta!..., não é?.
O Povão gosta mesmo é de Rendimento minímo (é o máximo), gosta mesmo é de levar "porrada", como mulher de malandro, (quanto mais leva, mais gosta), gosta de um governo que o chupe até o "carolo" (tem prazer), gosta de viver na mentira, porque a verdade dói, gosta de discutir politica como bom entendido que é e passa a vida a malhar no Pinochio, mas volta a votar nele, porque no fundo o que o Povão quer é que o RMI chegue pra tabaco, cerveja e p.... e vinho verde e siga a rusga que em breve lá anda na rua com as bandeiras do partido a dizer que o Pinóchio é o maior!...

No fundo o Povão tem os governantes que merece (porque é o Povão que os põem lá), e quem se quilha é o Povinho, esse sim, coitado, que tem que trabalhar para pagar as Favas comidas pelo Povão.
Mas que FADO...

Só falta que o Pinóchio nos diga; "Leva-me aos Fados"...

Um grande abraço para estes meus dois grandes amigos Kim e Zé.
Osvaldo

Andre Moa disse...

Como é triste o nosso fado!
Como é triste este viver!
Zé povinho é esmagado.
E quem o vai socorrer?

Uma boa reflexão, apropriada a esta temática, julgo ser o texto do Eduardo Prado Coelho que a Dad colocou no seu blogue - Momentos de Luar. Cai aqui que nem sopa no mel
Abreijos
André Moa

Laura disse...

Pergunta o Moa aflito
quem o povo vai socorrer
mas se foi tão expedito (povo)
estes candidatos escolher!

já anteviam a bolsa (povo)
sem fechar de tanto entrar
mal no poleiro se sentaram
começaram a desgovernar.

O (S) esqueceu que prometeu
os impostos baixar
e das SCUT nem sequer
ele queria ouvir falar.

Ah, como eles viram a casaca
quando vêem tanto a entrar
as calças alargaram
de tanto que andam a mamar.

Mas o povo aperta o cinto
não vão as calças cair
mas o nosso primeiro diz
que veio para o povo servir.

E enquanto o deixarem
fazer o que lhes apetece
um dia ainda acordamos
num País que o nosso não parece!

beijinho, e haja Fé que os Grandes Homens estão por aí a deitar contas à vida para sairmos desta pasmaceira! (pelo menos espero isso)

laura

Teté disse...

O boneco está bem caçado... mas nunca se sabe!

Beijinhos, Kim!

RS disse...

O Medina Carreira anda há muito tempo a avisar que o país não está a ser bem governado. A maioria da população entendia que este era um "profeta da desgraça" e "mais sei lá o quê". E agora o que acham? Eu continuo a entender que ele é dos portugueses mais esclarecidos. A dura realidade está a dar-lhe razão. Infelizmente!

Anónimo disse...

“(Boaventura de Sousa Santos] Se nada fizermos para corrigir o curso das coisas, dentro de alguns anos se dirá que a sociedade portuguesa viveu, entre o final do século XX e começo do século XXI, um luminoso mas breve interregno democrático.
Durou menos de quarenta anos, entre 1974 e 2010. Nos quarenta e oito anos que precederam a revolução de 25 de Abril de 1974, viveu sob uma ditadura civil nacionalista, personalizada na figura de Oliveira Salazar. A partir de 2010, entrou num outro período de ditadura civil, desta vez internacionalista e despersonalizada, conduzida por uma entidade abstracta chamada "mercado".
As duas ditaduras começaram por razões financeiras e depois criaram as suas próprias razões para se manterem. Ambas conduziram ao empobrecimento do povo português, que deixaram na cauda dos povos europeus. Mas enquanto a primeira eliminou o jogo democrático, destruiu as liberdades e instaurou um regime de fascismo político, a segunda manteve o jogo democrático mas reduziu ao mínimo as opções ideológicas, manteve as liberdades mas destruiu as possibilidades de serem efectivamente exercidas e instaurou um regime de democracia política combinado com fascismo social. Por esta razão, a segunda ditadura pode ser designada como ditamole.”

-Pois é amigo KIM, não há volta a dar, isto só vai à porrada.
POVOS DA EUROPA LEVANTEM-SE

XL

RS disse...

O Boaventura Sousa Santos está a alertar para um futuro com uma enorme probabilidade de acontecer. É de facto um perigo real, ainda não inevitável, mas possível e real!