5 de dezembro de 2010

Banco Alimentar Contra a Fome - uma tarde diferente!

Nunca antes tinha experimentado a situação de voluntariado. Não foi um árduo dia de trabalho, antes uma tarde bem passada. É certo que estas coisas, independentemente do lado sério que as caracteriza, são uma brincadeira de meninos quando comparadas com os verdadeiros voluntários que a elas se entregam de alma e coração.

Este é um dos vários armazéns, tantos são os produtos recolhidos.
Este velho lobo do voluntariado, Senhor António, foi meu chefe durante umas horas. Há dezassete anos que exerce voluntariado, a tempo inteiro, no Banco Alimentar contra a Fome

Um "carrinho" com aprox 370 quilos de alimentos está já arrumado para que dentro de poucos dias, uma instituição já previamente especificada o venha buscar.

Parece estarmos perante um infindável hipermercado mas tudo isto é tão pouco para tantos carenciados.
Aqui encaixotam-se os produtos, por entre uma panóplia de "bocas" e sorrisos, numa farândola de todos por um e um por todos.

Da fome, um mal de que toda a gente fala e de que o homem não se dá conta, ficou o sabor. O imaculado da partilha e o do pouco altruísmo que há em nós!

17 comentários:

Parisiense disse...

Eu sei o que isso é....
Tanto a fome (que passei vários dias no tempo de guerra fechada no aeroporto de Luanda...e já aí consegui sentir de perto o que essa palavra significava)... e esta da distribuição dos bens pois na instituição onde estou todos os dias fazemos essa distribuição.
Um bem haja a todos os que deram e ajudaram.

È sempre uma tarde bem passada quando fazemos o que gostamos.

Beijokitas e um bem haja a ti e aos que te acompanharam.

Anónimo disse...

O Banco Alimentar Contra a Fome, pode remediar a fome a alguns, mas jamais acabará com a fome. Para acabar com a fome é preciso cortar o mal pela raiz.
Enquanto 10 a 15% dos cidadãos se apropriarem da riqueza produzida no mundo, a fome continuará , por mais, Bancos Alimentares, Caritas, Movimentos Religiosos dos mais variados e todas as boas vontades juntas serão sempre insuficientes para este combate.
A vida, séculos, já mostraram que assim não é possível acabar com a fome.
A CARIDADE NÃO RESOLVE.
Tenhamos a coragem de criar um verdadeiro BANCO ALIMENTAR DA HUMANIDADE.
Tenhamos a coragem de enfrentar 10 a 15% dos que tornam o mundo um inferno.

XL

Andre Moa disse...

Querido Kim e demais amigos,

Por pensar que não irias destronar tão cedo a tua querida Raquel Welch, estive uns dias sem aqui vir. Que desgosto me deste! eheheheheh
Destronares a Raquelinha tão cedo! E para quê? Para entronizares em seu lugar um velho jarreta, para mais com bicho. Gabo-te o gosto!
E HÁ TANTA GENTE COM FOME! DE ALIMENTOS E DE RAQUELINHAS. O MESMO SERÁ DE DIZER DE PÃO PARA A BOCA E DE CARINHO.
Salva-te a grande amizade que irradias por todos os teus grandes amigos. Por isso te agradeço de todo o coração, bem como a todos os amigos que contigo fizeram pendant, para contigo cantarem em coro parabéms ao Guimoa. Gostei. Gostei muito. E vou fazer-te uma confidência: acabas de me inventar um pseudónimo que se o conhecesse há uns anos seria esse o que teria adotado, por razões óbvias: lá teria a palavra chave Moa e seria decalcado no meu nome próprio. Ficaria então José Guimoa ou só Guimoa. Soa bem e ainda me diz mais que o André Moa.
Obrigado, meu grande amigo.
És insuperável!
Abreijos
Guimoa

Andre Moa disse...

QUERIDA XL,

Com a esperada permissão do Kim, deixo aqui este pequeno comentário apenas para enaltecer, em total sintonia com o que dizes, a tua lucidez, clarividência e acutilância.
Assim é que se fala e age em conformidade.
Sempre ouvi dizer que só matando o bicho se acaba com a peçonha.
E é evidente que não me refiro a morte matada, mas a vida ressuscitada naqueles que os bichos foram sugando, matando, impunemente, ao longo dos tempos. Basta de tanto chupar. Basta de tanto sofrer.
Abreijos
Guimoa

Je Vois la Vie en Vert disse...

Só assim que se vê o que é a generosidade porque normalmente é silenciosa e discreta. O povo português é um povo generoso.
Beijinhos grandes
Verdinha

E. disse...

voluntariado, um gesto que a todos fica bem e não nos custa nada.
um dia vou experimentar, quero mesmo.

**

Laura disse...

Já fui voluntária no Hospital durante 3 anos seguidos, dar conforto, o lanche e acarinhar os doentes. Gostei.

Como bem falou o XL, ah, o Moa deve pensar que é uma ela, pelo querida...se o vir na janela já lhe digo que é um grande Amigo teu...

XL, é assim mesmo meu querido e grande XL, mas quem vai ouvir essas palavras tão sábias? Sei que um dia é o que vai acontecer, mas vai demorar séculos até que o Homem olhe para o Homem como para ele próprio...

Um beijinho da laura

Laura disse...

E as tuas costas e as dos ninos aguentaram o embate? é que kilos e kilos de alimentos, carregados com amor, apenas pelo dom de se doar, por vezes nem dói assim tanto.

Que tal? aguentaram?

Beijinhos com nortadas valentes.

laura

Maria disse...

Kim
Fica-te a sensação de por um dia teres feito alguma coisa pelos que vivem (sobrevivem) com fome.
Foste tu, mais uma vez
Beijo
Maria

Teté disse...

Confesso que tenho ideias dúbias em relação ao voluntariado - não este especificamente, mas de um modo geral!

Neste caso, compreendo a motivação e o empenho - esporádico ou mesmo reiterado!

Mas há tantos outros, em que deviam ser as entidades competentes a pagar, com tanta gente desempregada, e fazem "vista grossa", porque aparecem sempre umas almas caridosas e bem intencionadas que os livram dessa despesa, mesmo que insignificante face aos lucros...

Enfim, ainda ontem vi o tio Marcelo elogiar o voluntariado na TV. E a pergunta que me saltou foi: porque é que sendo tão bom e ele tão católico, não pratica?!

Beijocas, Kim!

SEVE disse...

Comungo do pensamento do XL; por mais estranho que possa parecer esta caridade se calhar servirá mais os interesses dos mais ricos de Portugal dos que efectivamente têm fome! Ou não será o Belmiro, Amorim e quejandos que contribuem (com toda a força) para que esta caridade continue.....
A caridade jamais resolverá os problemas da fome no Mundo. Claro que lá virá o velho ditado português: -mais vale isto que nada- por isso é que o fosso se alarga cada vez mais.....quantas mais Isabeís Jonet's mais exploração haverá.

Kim disse...

É isso. Efectivamnete nada resolve, apenas atenua.
O que se deseja é que um dia ninguém tenho de estender a mão à caridade, mas enquanto houver tanta riqueza mal distribuida, isso não acontecerá.

Zé do Cão disse...

Acho que não fui nem estou vocacionado para esses altruísmos.
Antigamente dava um contributo monetário (dos grandes) para a RR quando eles apelavam.
Depois a RR ufanava-se de ajudar meio mundo. Presumivelmente nem um "tusto" acrescentavam aos que lhes enviam.
Deixe-me disso, Agora os meus protegidos são os da minha terra, através da sua Misericórdia.
Mas assim com um amigalhaço a picar-me e em conjunto, era capaz de experimentar.
No entanto, nesses dias e em supermercado, sempre ajudo com um sacão.
Disse a verdade, não mereço castigo
(pelo menos é o que julgo).
Abraço

SEVE disse...

Mas de qualquer modo louvo as pessoas que (na sua boa fé e intenção) contribuem e reparo até que normalmente quem vejo mais contribuir parecem-me pessoas modestas e até, quem sabe, com algumas dificuldades e isso é absolutamente admirável, só que também sei que os "tubarões" lá no íntimo sorriem.......pois se as exploram a toda a força muito mais se ufanarão (interiormente)de abusar da sua boa fé (e com lastro para continuar a vampiragem)!

Anónimo disse...

A minha homenagem a gente de boa vontade e com atitudes.

Beijinhos

Isabel

RS disse...

Todas as iniciativas deste tipo são de louvar, bem como os intervenientes.
Mas de facto, a verdade é que o XL tem toda a razão. Pergunte-se a qualquer economista, ou economista social ou sociólogo (da esquerda ou da direita) e qualquer um destes dirá precisamente o mesmo. É que até está nos livros, não é escondido.
O resto é uma questão de Poder (económico e político).
Quanto à "populaça"; quem quer informa-se e vê, quem não quer, não se informa, não se interessa. E apelida de negativistas e às vezes, de comunistas, àqueles que falam na realidade do nosso Mundo.
A vida é bela e como diz o Moa, Abeijos a todos.

Anónimo disse...

Il semble que vous soyez un expert dans ce domaine, vos remarques sont tres interessantes, merci.

- Daniel