13 de maio de 2008

Os Guerreiros de Xian

Foto das verdadeiras estátuas
Cópias existentes em Azeitão

clicar em cima das fotos

Descobri, há dias, numa almoçarada com o Bruno e o Henedino, aqui bem perto de Lisboa, uma cópia duma das maravilhas do mundo. Tivesse ela ido a concurso e certamente estaria entre as sete maravilhas.
Na Quinta da Bacalhôa, em Azeitão, o milionário Joe Berardo, exibe a céu aberto e para quem quiser ver, uma cópia dos Guerreiros de Quin Shihuang.
Para quem não conhece a história, aqui levanto o véu das brumas do passado.
Duzentos anos antes de Cristo, o primeiro Imperador da dinastia Qin, mandou fazer em tamanho natural estátuas que reproduziam com exactidão os guerreiros do seu exército, para serem enterrados com ele e o acompanharem na longa viagem para o além.
As imagens em terracota, enterradas junto ao mausoléu
deste imperador, foram descobertas em Março de 1974 por agricultores locais que escavavam um poço de água.
Julga-se que na construção deste mausoléu terão trabalhado 700.000 artesãos que levaram 38 anos a completar a obra.
8.100 estátuas foram já escavadas até o momento, incluindo soldados, arqueiros e oficiais, todas feitas em poses naturais. Cada figura porta armas reais como lanças, arcos ou espadas de bronze.
Hoje em dia, cerca de dois milhões de pessoas, por ano, visitam o local.
Os guerreiros de Xian - fenómeno arqueológico do passado distante da China.
Muito perto de Lisboa, podemos entrar na história e recrear os sentidos
Por momentos, senti que entrei no passado!
Só por isto – Bem Haja Joe Berardo!

10 comentários:

Anónimo disse...

As cópias são cópias Kim. Não ganham concursos originais. Mas estou curioso de visitar essa "maravilha". Vamos lá um fim de semana?
jc/.

carla mar disse...

tem CUIDADO kim...
o sr comendador... bronco como é, ainda pensa, que tens o blogue á venda e...
... depois, lá vamos nós (todos!), para vila fresca de azeitão... limpar o pó ás estátuas!

vou espreitá-las...
BEIJOKAS :)

Kim disse...

OK Júlio, vamos lá!
Compram-se lá uns vinhos da melhor qualidade.
Quando me referia a esta maravilha do mundo, estava a pensar nos originais, não nestes.
Oh Carla, o Berardo tem estado em negociações comigo, mas é para eu fechar o blog.
Porque no te callas Kim?

Anónimo disse...

Não sabia da existência de estátuas em Azeitão.
Gostava de as ver, um dia, e de dia, ainda vamos até lá.... não é Carla? Nem só de música vive o homem...... ahahahahah
bjinhos
bela

jroma disse...

agora percebo,tanto gado cavalar

Cristina disse...

Bom fim de tarde, querido amigo.
grande abraço e até muito brève!

Kim disse...

Para quem quiser visitar

Fica mesmo no centro de Brejos de Azeitão - nas instalações de JP Vinhos (antigo José Maria da Fonseca)

Gata Verde disse...

Adoraria fotografar estas maravilhas!

Beijos

Anónimo disse...

Por acaso já visitei a quinta e adorei..O Comendador também tem um jardim belíssimo na Madeira, com algumas cópias dos soldados. É pena que haja quem pense que ele é bronco, porque mesmo assim é uma das pessoas mais importantes do nosso paíz (e não só), no que se refere á salvaguarda, preservação de obras de arte..

carla mar disse...

Caro Anónimo:

No seu paiz... O comendador pode ser tudo!
No meu pais... não é assim.
Gosto de pessoas francas, que dizem o que pensam. Admiro quem, com esforço, talento e inteligência consegue construir uma obra, e não tenho nem uma pontinha de inveja do seu sucesso ou riqueza. Fico ainda mais orgulhosa, quando essas pessoas investem no bem dos outros, e no do seu país.

Mas o Comendador Joe Berardo, que tem aparentemente tudo para caber nestas categorias, desilude-me em cada "directo" na televisão, a cada declaração pública, ficando com a impressão de que o êxito e o dinheiro lhe subiram à cabeça, e lhe deram a impressão de que não precisa de medir as palavras.

Insulta, chama nomes, faz acusações, ameaça, perdendo naquele discurso desabrido toda a razão que eventualmente lhe assistiria. Mas o que mais me preocupa é que nem os jornalistas o mandam calar, nem os insultados reagem com processos de difamação, e só ressoa o riso parvo de quem sobranceiramente troça, ou daqueles que confundem coragem com má educação.

Age-se em relação a Joe Berardo com um paternalismo snob.

Compreendo ainda pior como é que um homem da inteligência de Berardo não se sente mal neste ambiente circense que cria e a que os seus inacreditáveis pontapés tanto na língua portuguesa, como na inglesa, dão um toque ainda mais triste. Não articula uma frase gramaticalmente correcta, troca a ordem das palavras e dos sentidos, e pelos vistos não se envergonha minimamente disso. É pena que não tenha a humildade de aprender a falar a sua língua natal e, já agora, a do seu país adoptivo.

A não ser que Joe Berardo planeie abrir uma escola de línguas, em que o dialecto ensinado será o seu. Atendendo ao medo que todos parecem ter dele, talvez seja de facto a linguagem do futuro.

... E, assim, afirmo, outra e outra vez, que o Sr Comendador é um GRANDE BRONCO.