1 de maio de 2008

Maio - meu Maio




José Afonso - o Che Guevara das canções, compôs e cantou um dia


Maio maduro Maio
Quem te pintou
Quem te quebrou o encanto
Nunca te amou
Raiava o Sol já no Sul
E uma falua vinha
Lá de Istambul
Sempre depois da sesta
Chamando as flores
Era o dia da festa
Maio de amores
Era o dia de cantar
E uma falua andava
Ao longe a varar
Maio com meu amigo
Quem dera já
Sempre depois do trigo
Se cantará
Qu'importa a fúria do mar
Que a voz não te esmoreça
Vamos lutar
Numa rua comprida
El-rei pastor
Vende o soro da vida
Que mata a dor
Venham ver, Maio nasceu
Que a voz não te esmoreça
A turba rompeu

3 comentários:

Anónimo disse...

O Zeca Afonso fez bem o seu papel pela democracia. Honra ao Zeca.
Marta M.

sendyourlove disse...

e que a voz não se esmureça...nem as letras, nem~as amizades sempre tão precisas.

David disse...

Zeca amigo estejas onde estiveres,estarei sempre contigo!
Obrigado Kim,não era preciso lembrar, Abril e Maio é o mês dos saudosos e imortais Zeca e Adriano.
Faço-lhes homenagem nestes meses mas,ouço-os todo o ano.Dizer «não» e «basta» nem sempre é fácil,eles tiveram coragem de o dizer e de o cantar.
E que bem,que o cantaram.
Eles cantam para nós no mês de Maio para sempre.
David.