21 de maio de 2008

Capri c'est fini - Ma France, mon amour


Hervé Villard

Mais um “puto” do meu tempo.

Não era um cantor de embalar! Nem de rock! Nem de twist!
Em 1965, deu um pontapé na areia e fez muitos corações se apaixonarem ao som de "Capri c’est fini".
Em qualquer baile, de bairro ou de garagem, era obrigatório passar esta canção.
Toda a malta nova, mesmo os que não sabiam uma palavra de francês, trauteavam os primeiros acordes, duma recordação do primeiro amor.

...
Nous n'irons plus jamais,
Où tu m'as dit je t'aime,
Nous n'irons plus jamais,
Comme les autres années,
Nous n'irons plus jamais,
Ce soir c'est plus la peine,
Nous n'irons plus jamais,
Comme les autres années;
Capri, c'est fini,
Et dire que c'était la ville
De mon premier amour,
Capri, c'est fini,
Je ne crois pas
Que j'y retournerai un jour.

10 comentários:

jroma disse...

provávelmente um dia destes me vais ouvir, nesta canção toda .
Assim com a letra é fácil, embora não perceba nada.
Só há uma coisa, que nunca te poderei mostrar nem por palavras e és da minha geração.
A intensidade do momento,quando se é jovem, que cabe a cada um

carla mar disse...

Obrigada, meu AMIGO... pela partilha ;)
Um dia bom, para ti!
Beijokinha e um sorriso :)

Anónimo disse...

Bailes de garagem, recordações que não se contam...... havia pouca luz....... ehehehe
Musica que se ouvia também em casa, com ar sonhador, porque seria?.....
Almada e Cascais eram os meus eleitos....
bjinhos felizes
bela

Cristina disse...

J'ai écouté cette chanson tant et tant de fois dans les années 60!
Bisous.

Parisiense disse...

Foi ao som desta musica nos anos 76/77 que comecei a namorar para casar....e já dura á 28 anos....
Ainda há pouco a tinha posto no meu blog.....
Bon gout et tres bon choix.

Pleins de gros bisous.

Anónimo disse...

Em francês rendo-me ao som
ET SI TU N'EXISTAIS PAS - JOE DASSIN
Hoje é assim...
Um beijinho para todos

Isabel

Anónimo disse...

Ultimamente, tens publicado uma série de canções dos anos sessenta, e falado sobre os meus cantores preferidos. Falta Brel, mon ami. Brel e "Ne me quittes pas".
A minha canção. A canção, que ainda hoje, aos sessenta e três anos, me faz chorar e que por vezes canto ou murmuro baixinho, como uma oração.
Que geração de românticos, idealistas, sonhadores! Como me sinto orgulhosa de a ela ter pertencido!
Obrigada, Kim, pela partilha.
Maria 2

**Je Vois la Vie en Vert ** disse...

Mais non mais non ce ne sera jamais fini Capri ! Et Hervé Vilar n'a pas fort vieilli !

Obrigada pela tua visita e parabéns pelo teu desportivismo (isto diz-se em português ???)
Já agora porque falas do Clube Recreativo da Merceana (que já não existe...) ? Conheces Merceana ?
Depois do meu repouso, tenho que colocar um post sobre o meu compatrioto Jacques Brel !

Um beijinho verdinho

tarcísio lobato disse...

Não entendo praticamente nada do idioma francês,mesmo assim, capri c'est fini consegue trazer para dentro de mim uma gama de conforto inesplicavelmente relaxante.Eu a ouvi pela primeira vez em 1990 no LP LAMOUR TOURJOUR LAMOUR e de lá para cá ja faz parte da minha vida.
Nem sei o "POR QUê?",se na época eu era apenas uma criança de 13anos e agora sou um homem de 31! A satisfação permanece a mesma quando ouço esta musica.OBRIGADO PELA OPORTUNIDADE!

Kim disse...

Oi Tarcisio!
O poema desta canção fala duma ilha de Itália (Capri) onde o cantor diz que viveu o primeiro amor e julga que nunca mais lá vai voltar.
Claro que hoje os tempos são outros e é quase tão fácil ir dum paía para outro como almoçar com os amigos, pelo menos a nível europeu.
Eu adoro a música francesa e sei a letra e o significado de montanhas de canções francesas.
Abraço amigo