25 de novembro de 2007

Malta fixe - mas dorminhoca!

Como se pode verificar, é só malta fixe que aguenta bem os "copos"


























A história repete-se!
Todos os anos perco (ou ganho) algumas semanas à volta da montagem do filme sobre a Festa Anual, do Pessoal da Porcalhota.
Já me parecem rotineiras, as mesmas gentes, as mesmas canções, as mesmas “estórias”. Mas, mesmo assim, são as nossas “estórias e as nossas canções.
E quem ama não cansa.
Julgava eu que, para mim, isto era canja e fazia-o com uma perna às costas.
Não foi bem assim. Passei o fim de semana a compilar as cenas e dei comigo a emocionar-me com algumas passagens.
Falo de quê?
Decadência?

5 comentários:

Anónimo disse...

Nada disso...
Falas de amor, dos amigos, dos sentimentos á flor da pele.

És grande na vontade e força da união.
És grande pelo tempo sem tempo para os amigos.

A decadência é só para os que não tem tempo de ter tempo.

Abraço-te em admiração.

Isabel

cristina disse...

Falas do tempo qui passe rapidemente...recordaçâos, e outro coisa...!
Bisous.

Anónimo disse...

... E JÁ LÁ VAI UM ANO SOBRE A CHANÇA!!! BOLAS QUE ISTO PASSA DEPRESSA.
EM JANEIRO É PROIBIDO DORMIR. O QUE FAZ FALTA É IR ACORDANDO A MALTA! BOM FILME QUIM!!!
ABRAÇO JC :)

BLOGADOR disse...

Eu, o Pantas e companhia lda. pensávamos que éramos os "Guardiões da Porcalhota". Afinal havia outros!

BLOGADOR disse...

Tenho um grupo de amigo/as que em tempos fazia farras com alguma frequência e regularidade. Num desses encontros, sentados a uma mesa a beber o último copo, lá para as 4 horas da manhã, dizia o Zé algarvio marido da São: Epá, esta malta não "Deséste"!
Apetece-me plagiar o Zé: Epá, esta Malta da Porcalhota não "Deséste"!