7 de janeiro de 2009

Cristãos e Muçulmanos


Eis uma, entre muitas, das diferenças entre cristãos e islâmicos.
Os primeiros, num ataque de ternura
Os segundos, num bombardear de revolta.
No meio, estão os inocentes que morrem ao primeiro minuto de cada ódio.

Inch'Allah!

26 comentários:

Anónimo disse...

Um sujeito estava a colocar flores no túmulo de um parente, quando vê um chinês a colocar um prato de arroz na lápide ao lado. Ele vira-se para o chinês e pergunta:
- Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz?
E o chinês responde:
- Sim, e geralmente à mesma hora que o seu vem cheirar as flores!!!

"Respeitar as opções dos outros, em qualquer aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter.
As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente".
Tenta não julgar! Compreende apenas!

Kim disse...

Anónimo - O meu recente post que aqui reproduz, aplica-se aqui. Não vejo onde possa estar uma suposta chamada de atenção. Não é verdade isto? Não estou a julgar e não consigo compreender, apesar de tentar.
Apenas me incomoda o que sobra para quem não tem nada a ver com cruzadas ou guerras santas.

sendyourlove disse...

nem tão santos, nem tão diabos...Homens!

Anónimo disse...

Ou seja: "poucas vergonhas na via publica" observadas por um casal decente. No meio fica o fotógrafo cusco.
Há sempre mil leituras para cada imagem.
:)
jc/.

Parisiense disse...

Nem tudo o que luz é ouro.....
mas a hipocrisia mata mais que a sinceridade....
A religião é apenas o meio para desculpar essa hipocrisia e a custa dela fazer e desfazer o que nos interessa....
Beijokitas

Anónimo disse...

Ola não está só nesta luta para compreender
estas guerras que não levam a nada a naõ ser matar inocentes que morrem sem saber porquê!!!
Onda anda a PAZ TANTO DESEJADA....
Homens... porquê tanto odio a vida já é tão curta !!!
Respeito....isso sim...facil de dizer mas fazer!!! Começar a nossa volta ...
girassol

carla mar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
carla mar disse...

o invisivel É. mais enunciador... que o instante débil de todas as raivas.


espero que sim!
que nasçam flores.


beijo "GRANDENORME"

:)

jrom disse...

Cá pra mim o melhor é não passar pelo meio.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Acho que alí há uma espreitadela para aprender como é que se faz...
A curiosidade é humana desde que não seja indiscreta...
Acho que o casal vestido de preto vai aprender algumas coisas que fará mais discretamente...eles não devem ter manuais escolares sobre o assunto e têm que aprender "in loco".

Beijinhos verdinhos ao meu amigo encarnado

Je Vois la Vie en Vert disse...

Esqueci-me de escrever :
Reparem no brilho dos olhos da senhora !...

Cristina disse...

Un sujet brûlant, Kim!!
Bisous.

Anónimo disse...

Os primeiros, num ataque de ternura
Os segundos, num bombardear de revolta.No meio, estão os inocentes que morrem ao primeiro minuto de cada ódio.

Resultados por agora:
Ataque de ternura +ou- 700 mortos
Bombardear de revolta +ou- 4 mortos

Anónimo disse...

Kim:
O amor pode ser de muitas formas, mais ou menos evidentes. O ódio só é demonstrado pela guerra, a brutalidade, os gestos de loucura, a vontade de acabar com um mundo que foi feito pelo e para o amor.
O pior é que cada vez há mais ódio e menos amor.
Maria2

Anónimo disse...

BASTA VER E LER E SABER UM POUCO DE HISTÓRIA PARA DESCOBRIR O QUE SE PASSOU E PASSA.
CHEGA, PORRA!!!
JC/ XAU

carla mar disse...

Não se deve nem pode ser parcial nesta questão. Nem a História de um povo se explica apenas por um facto num dado momento do tempo nem esse facto por si só faz História.
O que nos entristece a todos penso eu, é que as mortes de inocentes sejam apenas um efeito secundário.

Não são apenas dois povos que estão em guerra. Há um terceiro país que apoia tudo isto. Basta ler a História recente das eleições na Palestina. Basta saber que vai haver eleições em Israel. Basta saber que o presidente eleito dos EUA ainda não tomou posse.
E assim sendo, estou, incondicionalmente, do lado mais fraco: o povo Palestino.


Há pessoas que me levam pela mão... e nas manhãs geladas, obrigam-me a pensar e a reflectir.
Gosto de pessoas, assim!... como tu, Kim ;)

Beijo apertado como um abraço

Parisiense disse...

Quem já viveu e trabalhou em paises árabes compreenderá melhor o que é ser "muçulmano"......e nada tem a ver com o fanatismo e a hipocrisia de alguns....sobretudo dos que governam esses países...

Beijo grande e bom fim de semana amigo.

Anónimo disse...

Vendo bem, não são assim muitas as diferenças entre cristão e islão.
E as diferenças entre judeus e muçulumanos, são ainda menos.
Os radicais são todos iguais - cegos pela raiva.
OBicho

Anónimo disse...

Quanto ao casalinho das meiguices, pergunta um velho amigo nosso, aqui ao meu lado: "então, não têm casa?"
OBicho

Anónimo disse...

Eu pensava que os MUÇULMANOS eram MUÇULUMANOS. Afinal, parece que não.

Kim disse...

Quando eu era jovem (20 anos) tinha uns amigos que trabalhavam comigo em Amsterdam e eram muçulmanos egipcios. Várias vezes ia a casa deles e sempre me fez muita confusão apagarem a luz para poderem beber uisque e assim Alá não poder ver.
Ora é exactamente a mesma coisa com algumas pessoas (cristãs) que conheço, que depois de alguns minutos de beatice lá na igreja da zona, não resistem a umas horitas de ESCÁRNIO E MALDIZER (e já estou a ser meigo).
No meio quem é que estava? Claro que era o Kim, e é desse que eu tenho pena.
Agora foi só para desanuviar,que o ambiente está bué de bélico.

Anónimo disse...

A história do século vinte demonstra que é o imperialismo quem promove os sectores fundamentalistas para combater processos democráticos e revolucionários. O discurso fundamentalista cria a ilusão de que a retórica imperialista corresponde a um grau mais elevado de civilização, e faz crer que a violência é exportada do terceiro mundo para o mundo ocidental quando de facto são as potências capitalistas que, ao saquear e oprimir os povos dominados, exercem e provocam a violência. Como explica o almirante Schmähling, antigo chefe dos serviços secretos militares alemães, MAD, «são os Estados Unidos que criam os demónios que depois se propõem combater».

Laura disse...

Poucas vergonhas essa de amar, beijar? ..inveja é o que é..e os recatadinhos se estavam incomodados olhassem prós lados...O mundo evoluiu, nós tornamo-nos mais libertos e eles em bombistas suicidas!...qual a melhor táctica? amar, pois, amar e mais nada. beijos Kim, belo post...

Anónimo disse...

"nós tornamo-nos mais libertos e eles em bombistas suicidas!"

Ora aqui está bela uma bela mensagem de aproximação, de tolerância, de paz e amor.

Laura disse...

Não é mensagem de nada, é uma pequena afirmação do que existe na realidade! Já viram dois apaixonados explodirem juntos? só se fosse com a força do amor, e assim, valeria a pena morrer de amor e não de ódio,levando mais alguns atrás... Isso é ter poder para mandar na vida do próximo. Claro que sou contra guerras e tudo o que destrói o ser humano, mas...o caminho ainda é ingreme, mas, lá chegaremos.
Abraço ao anónimo!...

Laura disse...

Tão? nem ao menos um; obrigada pelo beijinho laurinha, memso nem estando a gostar da treta, ass; anónimo!...
Ah, beijinhos de Bom Domingo pois, que Judeus e Fariseus sempre se entenderam bem...