20 de dezembro de 2008

Não julgarás em vão ...


" Quando a gente pensa que sabe todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas... "

Um sujeito estava a colocar flores no túmulo de um parente, quando vê um chinês a colocar um prato de arroz na lápide ao lado. Ele vira-se para o chinês e pergunta:
- Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz?
E o chinês responde:
- Sim, e geralmente à mesma hora que o seu vem cheirar as flores!!!

"Respeitar as opções dos outros, em qualquer aspecto, é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter.
As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente".
Tenta não julgar! Compreende apenas!

12 comentários:

BLOGADOR disse...

Um navio da Marinha Portuguesa esteve na Base Naval da Suécia aqui há uns tempos. Essa base naval tem um parque de estacionamento automóvel na zona limítrofe. Os marinheiros portugueses repararam que os primeiros indivíduos que chegavam ao referido parque, estacionavam nos lugares que ficavam mais longe da entrada e perguntaram aos marinheiros suecos a razão de tal facto. Estes responderam que deixavam os lugares mais perto da entrada vagos para que os que viessem atrasados demorassem menos tempo a chegar ao serviço.
Quantos séculos, vamos nós portugueses, demorar até atingir uma mentalidade deste calibre?

Anónimo disse...

E lá na Suécia há Cozido à Portuguesa?
Ernesto

Anónimo disse...

Conheço esta "estória" mas foi-me contada como se tendo passado nas oficinas da Volvo.
Plos vistos a malta lá "arruma" sempre longe.
:)
jc/.

jrom disse...

Kim queres maior exemplo de tolerância do que o nosso?
Quem decide sêr marginal na nossa terra, tem toda a nossa compreensâo, pode ser detido mas por pouco tempo.
Esta semana também dei uma espreitadela numa loja chinesa e tive de chamar um destes senhores que me andava a espreitar, disse-lhe que era feio fazer isso.
Não me percebeu a mim, nem eu a ele.
Penso que vão aprender connosco, muito embora,agora a minha tolerância sobre lojas chinesas, tenha diminuido

Je Vois la Vie en Vert disse...

Tens toda a razão, caro Kim !

Desejo-te também um FELIZ NATAL junto dos que amas.

Um grande beijo verde e encarnado - só por serem as cores da minha árvore de Natal... :) - para ti e para o teu Pai.

BLOGADOR disse...

Da mesma forma que existem Tigres e Elefantes na Suécia, também deve haver Cozido à Portuguesa.

BLOGADOR disse...

E Pastéis de Nata!

Anónimo disse...

Kim:
Esta "parábola" só mostra sabedoria.
Se em vez de passarmos a vida a criticar os outros, fossemos mais tolerantes, compreensivos e menos egoístas, o mundo seria bem melhor.
Beijo
Maria2

Anónimo disse...

Eu Dou-te o Arroz

Não seria uma boa ideia abrilhantar a saída dos noivos da igreja depois de casados pelo padre, essa tradição tão popular que é atirar com arroz cru aos noivos, com uma simples mas vistosa alteraçãozinha? Proponho eu que em vez de se atirar com o arroz cru se atire com arroz cozido. Arroz de frango ou de marisco, onde estariam os convidados interessados no arremesso todos alinhadinhos formando um corredor com os seus tachos cheios e prontos a brindar os noivos. Porque não atirar aos noivos franguinhos assados, xispalhadas, cozidos, travessas de bacalhau assado com batatas a murro, toda a espécie de peixes assados e grelhados, bacalhau cozido com grão, bifes à casa, arroz de polvo (cá está outra vez o arroz desta feita com outra criatividade), enchidos vários, carnes, massas guisadas, toucinhos, entremeadas, grandes sardinhadas, queijos secos e amanteigados, frutas maduras, doces, bolos, tudo TUDO!
Melhor, numa acção concertada tendo em vista o copo de água, os convidados atirariam aos noivos toda a bôda da qual toda a gente se iria servir mais tarde. E tradição tradição ainda mais apetecível pelo insólito e o burlesco era que a noiva apanhasse tudo no seu regaço com o vestido e levasse ela própria directamente para o local do repasto onde todos se serviriam à sua vontade.
Ernesto

jrom disse...

Kim,à parte as ironias, como é teu apanágio, esta introduçao é de grande qualidade cívica.
A descriminação seja de quem quer que seja não eleva o sêr humano em nada.
Devemos sêr tolerantes e desenvolver dentro de nós a aceitação de todas as diferenças.
Toda esta jovialidade crítica, neste blog não passa de brincadeira, porque todos nós já estamos para além disso.
Provávelmente a influência da quadra natalícia e outras coisas sentimo-nos brincalhôes

FELIZ NATAL PARA TODOS

Somos o melhor povo do Mundo vamos demonstrá-lo

Luís Ribeiro disse...

Já o sigo a algum tempo, mas é a primeira vez que aqui comento.

Palavras para quê... Disse tudo no texto que publicou.
É o maior erro da nossa sociedade, julgar sem certezas.
Continuação de bom trabalho e já agora, Bom Natal!

Laura disse...

Bem, sempre é melhor um e outro do que aquela viuva que foi chorar por onde lhe doía mais e em cima da campa do marido!...Nada de julgar, pois!... Beijinhos.