26 de julho de 2007

Antes do 11


Vai distante o ano de 1985.
Do lado do mar, às portas da cidade, as gémeas ainda lá estavam.
Do alto do Empire State Building, admirei-lhes a imponência.
Lá em baixo as formigas seguiam em carreiro desordenado.
Não havia bombas, não havia chamas, não havia medo.
Mesmo em frente, a Estátua da Liberdade, saudava os que chegavam, por mares agora sempre navegados.

2 comentários:

Anónimo disse...

Está "presente"o hoje 28/O7/2007.

A ida á praia com os miúdos.
O mar estava tão bonito tão imponente tão inspirador.
O cheiro da maresia tão intenso.
E o senhor vento sem convite apareceu e foi ficando.
E nós ficámos mais um bocadinho, juntinhos na toalha e protegidos pelo tapa vento a saborear aquele beleza, aquela força, aquele cheiro exclusivo das praias do Norte.

Aqueles momentos calmos sem medos, com muitas palavras, muita cumplicidade, na companhia do mar, da areia e o vento

O meu filho disse:
Mãe nunca mais vou esquecer este momento...

I.R.

Kim disse...

É preciso aproveitar bem todos os momentos.
Também tu não esquecerás esse momento, como eu não esqueço aqueles que vos conto.
um beijinho pró teu filhote Isabel.