20 de julho de 2007

Salvatore Adamo


Todos os jovens tiveram ídolos. Uns perderam-nos, outros, esqueceram-nos.
Eu, entrei na adolescência, apaixonado por ídolos. Cheguei à idade adulta, a sonhar com ídolos. Atravessei a vida, fiel aos ídolos.
Salvatore Adamo, o italo-belga, cantor romântico de voz rouca, foi o meu grande ídolo.
A sua voz, a sua música e as letras das suas canções, transportaram-me para outros mundos, que vim a descobrir, serem os meus.
Jacques Brel, sobre ele, disse um dia:
Salvatore, tu és um terno jardineiro e as flores que provocas, têm a frescura das flores da beira dos caminhos.
Foi uma paixão desmesurada. Sabia e sei de cor, todas as suas canções. Tinha e tenho todo a sua discografia.
Mas … a vida é também feita de traições. E eu viria a traí-lo, apaixonando-me por Jacques Brel.
Adamo, meu velho, meu amigo, encontrar-nos-emos um dia nos campos da Flandres onde cantaremos “sois pas fachês, si je te chante les souvenirs de mes quinze ans, (não te zangues por eu te cantar as recordações dos meus quinze anos).
O Júlio César é culpado de eu não ter conhecido pessoalmente este meu grande ídolo, mas eu já lhe perdoei.

7 comentários:

cristina disse...

'Tombe la neige, tu ne viendras pas ce soir...'
'Vous permettez Monsieur...?'
Bisous, bom fim de semana.

Anónimo disse...

"La Noche, Cai la nieve, Mi gran noche, Es mi vida, Quiero, Manhana en la luna".

E gosto tanto...
Sons com cheiros da infância. Discos sagrados que os meus irmãos vigiavam para não mexer, para não os riscar.
Letras e sons que trauteava e aprendi a gostar...
E gosto..." ás vezes e muitas vezes fecho os olhos e estes sons tem magia, tem romance e deixam-me planar...

I.R.

Rui Salvador disse...

As músicas românticas da minha 1ª infância foram: "20 Anos" de José Cid; "Goodbye my love" do Demis Roussos e o "Soon" dos Yes.

Anónimo disse...

Vá lá. Ainda bem que me perdoaste.
Adamo é um grande conversador, homem de tertúlia e noitadas grandes. Falei-lhe de ti e da tua paixão adolescente. Acho que te disse isto.
Aquela noitada no Estoril ficou marcada por um convite que me fez: Apresentar o então "Viva Mozart" no Japão.
Como sempre, na minha vida, preferi as sardinhas de Portugal!
Abraço Quim.
jc/ :)

Anónimo disse...

Kim!


não mataste a minha charada? Ou estais sem tempo para me enviar uma mensagem?

Lembre-se que estou na fila para receber os teus DVD`s

Anónimo disse...

ADAMo quanta saudade das danças a dois,bem agarradinhos e quase sem saír do sítio,que delicia principalmente o Tombe la neige,nem sei quantas vezes a ouvi.Adoro dançar e a minha cara metade é um autentico pé de chumbo que nunca me fez a vontade de aprender,acho que teria sido mais feliz se ainda desse o meu pé de dança,porque será que o ser humano é tão contrariador.Manda muitas destas gosto.Beijinhos da Maria que tem que ir ver o seu bolo de fúba senão era uma vez um bolo

Kim disse...

Afinal, quase todo os meus amigos e amigas, gostam de Adamo.
Alimentou-nos a jovem mente e fez-nos sonhar.
Cristina, tu ne viendras pas ce soir, mais tu viendras bientôt.
Isabel, gostavas mais dele a cantar em espanhol?
Spuk - não sei nada de ti, nem recebo mensagens, nem percebi essa coisa da charada. Será quie aquela frase esquisita que já apareceu duas vezes tem alguma coisa a ver contigo?
Júlio, claro que estás perdoado. Já me tinhas contado que lhe falaste de mim. Mas como eu, ele devia ter milhares de admiradores.
Rui, o Demis Roussos, também me agradava imenso. Também ele, com voz rouca.
Maria, quantos bolos ficaram queimados nos fornos dos nossos sonhos!!!