31 de maio de 2009

Vai um jorro?


E para desanuviar um pouco, aqui ficam duas coisas maravilhosas e puras.

Uma criança e um jorro de água!

Refresquem-se!

29 de maio de 2009

A Travessa - do Henrique

Foi há poucas horas.
Henrique Antunes Ferreira deu uma conferência sobre o seu livro Morte na Picada.
O tema gira à volta da guerra colonial e retrata as misérias vividas por ele enquanto militar, num misto de realidade e ficção, algures em Angola.
Não o conhecia pessoalmente, mas daquilo que tenho vindo a descobrir no seu blog há vários meses, este correspondeu na integra à ideia que dele já tinha.
Ao primeiro olhar entre nós exclamou: – És o Kim! Na mouche!
Senhor duma vasta cultura e forte personalidade é também um líder nato, bon vivant, irónico e com laivos de político já que os seus dotes oratórios são mais que muitos.
O Ferreira que hoje descobri não é fácil. Sente-se-lhe no olhar, na dissertação e no coração ao pé da boca, que está ali para as curvas, enquanto respirar.
Este velho lobo das letras, é a picada duma vida saltitada entre o poder e a descoberta.
Da Morte na Picada, tomar-lhe-ei o pulso quando ler o livro que hoje adquiri.
Ali ao meu lado estava a Maria dos Alcatruzes e o João mas o tempo foi pouco para falar das saudades que a Petite Marie, vai desenterrando do baú das suas memórias.
Quanto à Travessa, atravessa-se ou não!
Gostei de conhecer-te Henrique!

27 de maio de 2009

A Língua Portuguesa


Popularmente diz-se: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho carpinteiro.'
O correcto: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro.

''Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.''
O correcto é: 'Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão.'

'Cor de burro quando foge.'
O correcto é: 'Corro de burro quando foge!

'Outro, que todos dizem de uma maneira errada:
'Quem tem boca vai a Roma!
'O correcto é: 'Quem tem boca vaia Roma.' (isso mesmo, do verbo vaiar)'

Cuspido e escarrado' - quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa.
O correcto é: 'Esculpido em Carrara .' (tipo de mármore)Mais um famoso...:

'Quem não tem cão, caça com gato.'O correcto é: 'Quem não tem cão, caça como gato'... ou seja, sozinho!

Dizias correctamente algum desses ditados?

25 de maio de 2009

Que filhos para o nosso planeta?

video

Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores para o nosso planeta...

(Autor desconhecido.)

23 de maio de 2009

João Bénard da Costa - conhece Deus

Desapareceu esta figura impar da cultura portuguesa, após três quartos de século duma vida tão cultural e politicamente preenchida.
Lidei com ele em 1970/71 na Revista O Tempo e o Modo, que fundou juntamente com Alçada Batista.

Algumas vezes lhe salvei a pele avisando-o que a PIDE ali se encontrava para o inquirir na qualidade de director da mesma. O seu ar lunático fazia adivinhar que ali se encontrava um pilar de cultura ambulante. Parece-me ainda que sempre o conheci com o mesmo aspecto que teve até agora.
O Dr. Bénard, como eu lhe chamava, teve sempre aquela barbicha e julgo mesmo que já terá nascido com ela.
Era a pessoa mais distraída do mundo e não era muito difícil vê-lo chegar ao escritório com um sapato de cada cor.
Tinha duas grandes paixões: o cinema e o cinema! A ele dedicou toda a sua vida, na Fundação Gulbenkian e na Cinemateca, nas quais foi director quase eterno.
Amiúde respondia com citações de Proust. Dizia que tudo o que havia para aprender se aprendia com Proust.
Do seu círculo de grandes amizades faziam então parte, além de Alçada Batista - pessoa maravilhosa, também Pedro Tamen - com quem pouco lidei, Nuno Bragança – que me ajudou em Paris e Alberto Vaz da Silva – meu grande mentor amigo e pai do recentemente desaparecido Salvador Vaz da Silva (o Cavaleiro Monge)
Não me interessa aqui dizer que foi um grande lutador anti-regime, mas sim lembrar esta figura que me pareceu sempre um homem não deste mundo.
Falei com ele pela última vez, no funeral da também ela directora da mesma revista, Helena Vaz da Silva e já parecia nem se lembrar de mim.
Perguntaram-lhe um dia qual era a sua maior esperança para o futuro e respondeu:
- Conhecer Deus!
Foi feita a sua vontade!

22 de maio de 2009

À vossa saúde!


Foram muitos os telefonemas, os mails, os comentários.

Há muito tempo que não me sentia tão lembrado.

Obrigado a todos os que aqui me deixaram uma palavra amiga.

Às vezes - é possivel beber um copo à saúde dos amigos, mesmo que eles não estejam por perto.

Cá vai mais um copo!

20 de maio de 2009

Às vezes - muitas vezes


Às vezes - o nascer dum novo dia traz-nos a calmaria que o corpo reclama e a mente anseia.
Às vezes - no horizonte está a esperança, o alívio e o repouso.
Às vezes - corro atrás do arco-íris em busca do pote da juventude.
Às vezes - sonho a vida como se eterno fosse
Às vezes - quero ter milhões de amigos.
Às vezes - preciso de mim e não me encontro.
Às vezes - nem sei de mim.
Às vezes - muitas vezes, sou menino.
Às vezes - tantas vezes, sou feliz.

18 de maio de 2009

Castelo de Mértola - pedras para que vos quero!



Há coisas neste país que me deixam K.O.
Vejam bem que no século XXI ainda se cometem atrocidades deste quilate.
Como é possivel, a autarquia da Vila de Mértola, mandar emoldurar o seu altaneiro castelo mesclando degraus de pedra ancestral com modernos blocos de mármore que talvez nem de Borba sejam.
Se D. Dinis, que reconstruiu este castelo cá voltasse, perante tal desaforo poria as mãos aos céus e clamaria por novo Milagre das Rosas.
Sabendo que todas as Câmaras são peritas em implicar, às vezes, apenas com uma torta parede do casebre dum qualquer pobre cidadão, muito me admira que este atentado esteja a ser cometido à frente do nosso olhar.
Subir degraus de mámore, talhados em pedra dura, convertem ao catolicismo qualquer hesitante sarraceno.
Pai, perdoai-lhes que não sabem o que fazem!

15 de maio de 2009

Boby - leitura da sentença!

Finalmente chegou ao fim o caso do "Julgamento do Cão Boby"
Da "estória" que aqui postei em 5 de Dezembro de 2008, a juíza decidiu e leu a sentença:

- Noventa dias de prisão, remíveis a cinco euros por dia
- Dois anos de pena suspensa
- Pagar mil e quinhentos euros ao ofendido
- Pagamento das custas do processo

Pena muito leve, para quem merecia muito mais!
Quando não funciona a justiça dos cães, funciona a dos homens - às vezes!

13 de maio de 2009

Futebol Clube do Porto - Dragão Kom(m)odo

Bem gostaria de vestir este post de vermelho, mas quando o céu é azul e os Deuses sopram mais a Norte, só há que dobrar o orgulho e laurear os já veteranos vencedores da prova mais cobiçada do futebol português.
Às vezes - como qualquer mortal, dou por mim a desejar a derrota dos meus adversários e seria hipócrita se o não dissesse. É que, quando se tem a certeza do nosso valor e organização, não há que temer nem desejar a derrota dos outros, pois a nossa vitória, só por si, já chega. Mas não é isso que tem acontecido. Agora só tenho de reconhecer o bom futebol que o FCP exibiu ao longo de todo o campeonato, aquém e além fronteiras e a raça com que o fez.
Pessoalmente não gosto de Pinto da Costa, quer pela sua arrogância quer pelo ódio que tem sabido gerar entre os clubes rivais Já como PRESIDENTE, admiro-o imenso!
De igual modo não morro de amores por Filipe Vieira, que lhe segue as pisadas, qual semeador de tempestades.
Neste momento o único presidente com classe é Soares Franco, mas já se viu que não basta ter classe, é preciso muito mais que isso.
Fica bem assim a classificação. O Benfica não mereceu mais que isto.
Não me interessa aqui carpir os erros dos árbitros e seus quejandos, porque isso acontece, umas vezes para um lado, outras para outro.
Às vezes – a diferença não está nos jogadores nem nos treinadores, mas sim nos dirigentes.
Parabéns ao Futebol Clube do Porto!
Como benfiquista, vou pedir desculpa a mim mesmo e ao meu filhote Luís por este elogio a um dos nossos rivais e repisar numa frase já tão gasta:
- Pró ano é que é!

12 de maio de 2009

José Carlos - Parabéns velho leão

José Carlos, juntamente com seu irmão Tito, treina actualmente as camadas jovens do velhinho Atlético Clube de Portugal
Nasceu em Lisboa, a 12 de Maio de 1968

Parabéns Zé por mais uma ano que passa.
És ainda um jovem e tens muito para dar à vida.
O José Carlos é um homem de sorte! Foi jogador profissional de futebol e no seu tempo (recente) o Estrela da Amadora, lá ia pagando os ordenados. Com atraso, mas pagava.
Infelizmente os conturbados caminhos do futebol levam a becos sem saída, quem quer dar um passo maior que a perna. Vive-se acima das possibilidades. Paga-se o que se não pode. Depois, é o que todos sabemos.
Ai Zé, meu eterno rival, filho da velha glória sportinguista, Marinho, gosto de falar de bola contigo.
Parabéns pelo teu segundo lugar deste ano. Ficas a dever-me uma sardinhada.
O José Carlos, jogou no meu rival Sporting durante sete anos (1980-1987). Depois mais sete no Estoril e mais sete no Estrela da Amadora.
O destino tem destas coisas - o meu último jogo de futebol aconteceu há um ano no relvado secundário do Estádio Nacional e nesse jogo marquei dois golos, sendo que um deles foi a passe do Zé e outro a passe do meu filho Luis, que pela primeira vez jogou a meu lado. Foi o meu adeus ao futebol. Não te vou esquecer!
Na foto, em recente entrevista ao Jornal A Bola.
JOSÉ CARLOS Santos Mateus
Defesa Direito/Médio
1980/87 - Sporting
1987/95 - Estoril
1995/02 - Estrela da Amadora
2002/04 - Torreense

10 de maio de 2009

Joaquim Agostinho - Um fenómeno


Desapareceu há um quarto de século o maior ciclista português de todos os tempos.
Atleta duma pujança invulgar, começou a correr já tarde, aos vinte e cinco anos e fê-lo até aos quarenta e um, data da sua morte, quando um cão se meteu à frente da sua bicicleta provocando-lhe a queda que o viria a fazer sucumbir.
Ao homem e ao sportinguista, meu homónimo Joaquim, a homenagem dum admirador convicto, que sempre ignorou as rivalidades clubistas em prol de tão grande atleta.
Grande Joaquim! Grande campeão! Do mundo!

7 de maio de 2009

Chegou o Bruno

Chegou!
E torna-se mais difícil dizer o que quer que seja.
Os abraços acontecem e desbravam-se os dias sem mim.
As pinturas ficaram em repouso e trocam-se então os pincéis pela sofreguidão dos petiscos que já quase esquecemos.
Hoje o mundo está mais perto e lá como cá, tudo existe, mas cerejas em Dezembro e sardinhas em Janeiro, só alimentam a fúria do desejo.
E quando os oceanos nos separam, os abraços ficam preenchidos para as três semanas que se vão seguir.
Aqui, nesta ocidental praia lusitana até o vento cheira a saudade!
É bem mais fácil dizer:
- Chegou um dos meus filhotes e eu fico mais menino!

5 de maio de 2009

Mario Quintana - Deficiências

Este fabuloso e humilde poeta brasileiro, lembrou-me estes simples mas verdadeiros pensamentos

DEFICIENTE - é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

LOUCO - é quem não procura ser feliz com o que possui.

CEGO - é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

SURDO - é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

MUDO - é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

PARALÍTICO - é quem não consegue andar na direcção daqueles que precisam de sua ajuda.

DIABÉTICO - é quem não consegue ser doce.

ANÃO - é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois - A amizade é um amor que nunca morre

3 de maio de 2009

Não chorem meninas!


Às vezes perco-me por aí e descubro o que já sabia existir!

Às vezes os nossos passos não esbarram em preconceitos nem em escalas hierárquicas!

Às vezes acontece ir contente e vir feliz!

Às vezes as lágrimas secam-se com a brisa do mar!

À Dolce Laura, tão "sui generis" e à Lisa B, o flash duma tarde a transbordar de calores!