16 de dezembro de 2009

A evocação de Sophia


Sophia de Mello Breyner Andresen é o tema do último livro de Alberto Vaz da Silva.
A apresentação do livro foi feita hoje no Centro Nacional de Cultura e mais uma vez tive oportunidade de lá estar para dar um abraço ao meu grande amigo Alberto que me presenteou com o respectivo livro e dedicatória especial.
Guilherme Oliveira Martins, Maria Velho da Costa, José Tolentino Mendonça, Maria Cavaco Silva, Maria João Avilez, Pedro Tamen, Francisco Gentil Martins, Laurinda Alves, Francisco Sarsfield Cabral e a filha da poetisa, Maria Sousa Tavares, foram os literatos colunáveis que me foi dado descobrir entre os presentes.
Alberto estava feliz. Não porque tenha escrito um best-seller ou espere amealhar pecúlio significativo, mas sim porque fez exactamente o que pretendia e sentia ser preciso - evocar a amiga Sophia.
Está evocada!

15 comentários:

Andre Moa disse...

Lembraste aqui a Sofia,
a grande mulher das artes,
e sua filha Maria
que conheci noutras partes,
quando foi estagiar
onde eu estava a morar,
em Angra do Heroísmo,
uns anos antes do Sismo,
do sismo não, terramoto.
Só não houve maremoto,
senão, a ilha Terceira
seria uma lamaceira.
A Ilha ressuscitou
e a Sofia voltou
pelas mãos do teu amigo.
Ela que deu tanto abrigo
à arte e à cultura
bem merece ser lembrada
pela geração futura
bem lida e bem amada.

Abraço.
André Moa

Laura disse...

Ai Kim que me envergonho
de não saber ler a dita
pois vivi sempre daqui
arredia
e metade dos nossos Poetas
passaram-me ao lado
mas sei de quem falas
do talento enorme
para a escrita
contos e outros que tais
assim, desculpa amigo
não saber honrá-la mais!

Prometo que vou proocurar livros dela, e nela me vou fixar...

Um beijinho da laura que ganhou o concurso do seminário, com batota plo meio, já se sabe... está tudo no blogue do diário de um paciente, esse senhor aqui como, André Moa! ora vejam lá o desplante!

Beijinho da laura

Laura disse...

ah, já lá está o presépio, mas na foto que tinha, o presépio em pequenino, está debeaixo da mesa, és tão enormeeee que nem olhas pra baixo..vê!...
Beijinho da dolce.

Teté disse...

Parabéns ao teu amigo e à sua evocação de Sophia, poetisa que a merecia, dado o seu manancial poético e não só...

Beijocas, Kim!

Paula Raposo disse...

Merecidíssima evocação! Beijos.

carla mar disse...

Alberto Vaz da Silva... um "jardineiro da alma", afirmou o grande Poeta José Tolentino de Mendonça, autor do posfácio da obra.

... E eu acredito :)

Este Livro é uma bela sugestão de Natal :)
(já está na minha lista!)

Beijo meu*

c

Maria disse...

Kim

Sophia, a minha Sophia, merecia que alguém como Alberto Vaz da Silva, a evocasse. Assim que veja o livro, compro-o. Por Ela, a minha poetisa de eleição, pelo Alberto, que não conheço, mas admiro e respeito muito.
Para ambos, toda a minha admiração, para ti, sempre atento a estas coisas que me tocam tanto, um beijinho da
Petite Marie

Laura disse...

É mesmo, Kim, entras em todas,estás em todas estas Artes, junto de gente linda, querida e amada, ah, como te esticas por todo o lado, e que bom que podemos ler-te e através de ti, ficamos a saber de tudo o que acontece no mundo da arte!...
Beijinhos e sempre ganhei o concurso do seminarista, ah, vou receber coroa de louros, ehhhhhhh, versejei que nem sei... e claro, já ando a arrastar a asa para voltarmos às poldras dormirmos lá, fazemos churrascada, e, ah, tomamos banho no rio, na água pura e cristalina, tão bom...dois dias seria óptimo, será? hum... ehhhhhh laura

Parisiense disse...

Sofia é um lindo nome, é o nome da minha madrinha e o simples nome já é ele uma poesia.

Gosto muito da sua poesia apesar de conhecer pouco da vida desta grande poetisa.

Quem sabe se através deste livro não conhecerei um pouco mais...

Bisous mon ange.

Dad disse...

Grande mulher e óptima poetisa!
Bwijinho,

Cristina disse...

Bom fim de semana, Kim,com muito, muito, muito saudade...
Beijinhos.

Maria Clarinda disse...

E como é Kim...eu uma fã incondicional de Sophia!!!
Jhs

Je Vois la Vie en Vert disse...

Envergonhada por nunca ter lido nada desta poetisa - mas a blogosfera me fez descobrir a poesia portuguesa só que me faltam ainda muitas leituras e tempo - sairei na ponta dos pés porque não sou exemplo para ninguém....

Beijinhos para o meu amigo Kim que é muito amigo dos seus amigos !

Verdinha

Bichodeconta disse...

A minha/nossa querida Sofia, doce e com um olhar sereno como o mar.Família de gente ligada ás escritas e ás artes, lembro com alguma saudade o Drº Francisco de Sousa Tavares, o Miguel Herdou o olhar e o coração doce da mãe, do pai herdou a palavra certa na hora certa.A sapiencia , a luta por causas justas, A filha Maria não conheço, mea culpa mea culpa, mea máxima culpa, só devo perder de a não conhecer a não ser de nome.Filha de quem é só pode ser alguém que junte na doçura e no saber usar da palavra, , que junte, dizia eu a preocupação por uma sociedade mais justa.Parabéns Kim pelo magnifico trabalho e pela opurtunidade de falarmos de uma senhora que o foi, no verdadeiro sentido da palavra. Sofia adorava o mar e nas suas águas se inspirava muitas vezes.

Cristina disse...

Bom fim de semana, Kim.
Faz muito, muito, frio na Bruxelas!!
Beijinhos, amigo.