21 de novembro de 2009

Justiça em Portugal

... Do caso Portucale à Operação Furacão, da compra dos submarinos às escutas ao primeiro-ministro, do caso da Universidade Independente ao caso da Universidade Moderna, do Futebol Clube do Porto ao Sport Lisboa Benfica, da corrupção dos árbitros à corrupção dos autarcas, de Fátima Felgueiras a Isaltino Morais, da Braga Parques ao grande empresário Bibi, das queixas tardias de Catalina Pestana às de João Cravinho, há por aí alguém quem acredite que algum destes secretos arquivos e seus possíveis e alegados, muitos alegados crimes, acabem por ser investigados, julgados e devidamente punidos?


Vale e Azevedo pagou por todos?
Quem se lembra dos doentes infectados por acidente e negligência de Leonor Beleza com o vírus da sida?
Quem se lembra do miúdo electrocutado no semáforo e do outro afogado num parque aquático?

Quem se lembra das crianças assassinadas na Madeira e do mistério dos crimes imputados ao padre Frederico?

Quem se lembra que um dos raros condenados em Portugal, o mesmo padre Frederico, acabou a passear no Calçadão de Copacabana?

Quem se lembra do autarca alentejano queimado no seu carro e cuja cabeça foi roubada do Instituto de Medicina Legal?

Em todos estes casos, e muitos outros, menos falados e tão sombrios e enrodilhados como estes, a verdade a que tivemos direito foi nenhuma.
No caso McCann, cujos desenvolvimento vão do escabroso ao incrível, alguém acredita que se venha a descobrir o corpo da criança ou a condenar alguém? As últimas notícias dizem que Gerry McCann não seria pai biológico da criança, contribuindo para a confusão desta investigação em que a Polícia espalha rumores e indícios que não têm substância.

E a miúda desaparecida na Figueira? O que lhe aconteceu?

E todas as crianças desaparecida antes delas, quem as procurou?

E o processo do Parque, onde tantos clientes buscavam prostitutos, alguns menores, onde tanta gente "importante" estava envolvida, o que aconteceu?

Arranjou-se um bode expiatório, foi o que aconteceu.E as famosas fotografias de Teresa Costa Macedo? Aquelas em que ela reconheceu imensa gente "importante", jogadores de futebol, milionários, políticos, onde estão? Foram destruídas? Quem as destruiu e porquê?

E os crimes de evasão fiscal de Artur Albarran mais os negócios escuros do grupo Carlyle do senhor Carlucci em Portugal, onde é que isso pára?

O mesmo grupo Carlyle onde labora o ex-ministro Martins da Cruz, apeado por causa de um pequeno crime sem importância, o da cunha para a sua filha.

E aquele médico do Hospital de Santa Maria, suspeito de ter assassinado doentes por negligência? Exerce medicina?

E os que sobram e todos os dias vão praticando os seus crimes de colarinho branco sabendo que a justiça portuguesa não é apenas cega, é surda, muda, coxa e marreca.

Passado o prazo da intriga e do sensacionalismo, todos estes casos são arquivados nas gavetas das nossas consciências e condenados ao esquecimento.

Ninguém quer saber a verdade. Ou, pelo menos, tentar saber a verdade.

Nunca saberemos a verdade sobre o caso Casa Pia, nem saberemos quem eram as redes e os "senhores importantes" que abusaram, abusam e abusarão de crianças em Portugal, sejam rapazes ou raparigas, visto que os abusos sobre meninas ficaram sempre na sombra.

Existe em Portugal uma camada subterrânea de segredos e injustiças, de protecções e lavagens, de corporações e famílias, de eminências e reputações, de dinheiros e negociações que impede a escavação da verdade.

Este é o maior fracasso da democracia portuguesa!

Clara Ferreira Alves in "Expresso"

14 comentários:

Zé do Cão disse...

Amigo Kim.
Apeteceu-me acrescentar, mais e mais e mais. Depois pensei, para quê, mais.
O actual mestre de sala desta democracia sem jeito, o "sapatilhas",
continua na berra.
Continuar a mudar, só para mudar ou porque é conveniente mudar? Quando saberemos?
A Europa está, ou aliás os parlamentares protestam contra o novo "emprego" do homem da Bélgica, que vai ganhar a fortuna de 375 mil ano.
Devo ser eu que estou tótó. Mas o assalto à "Vara", ganhou (?) ou deram-lhe no ano passado 700.
Pobre Portugal, no que tornas-te. Num País de miseráveis desempregados, em que os braços da balança necessitam de ser alinhados imediatamente, antes que o estoiro final se faça ouvir.
um abraço (sem calhar não me fiz entender)

Je Vois la Vie en Vert disse...

Isto é assustador !

Deus queira que eu nunca tenha que ir para um tribunal como victima !

Beijinhos

Verdinha



P.S. Já viste agora que a Laurinha me chamou cameleão. Vou colocá-la no tribunal ! Toma ! Entretanto, continuarei a mudar de cor.... ;D

Osvaldo disse...

Caro Kim;

Pena que não tivesses continuada a escrever, porque este tema dava um grande livro, que daria um grande filme, que daria muitos milhões e aí sim,... terias a justiça em cima de ti porque nesses casos, ela, a Justiça só se interessa onde hajam muitos milhões em jogo e... em carteira. Tudo o esto são para a Justiça, bolinhos de bacalhau, rissóis de camarão ou pasteis de Belém que se comem, logo se digerem e em seguida se c....!!!!

Um abraço caro amigo e até breve.

Osvaldo

Anónimo disse...

OH! mestre kim, o que se passa hoje, para estares tao decepcionado com a JUSTIÇA!

Pois pelo que conheço, a nossa quanto a vossa, andam pelos mesmos caminhos e nao é de hoje.

Agora imaginas para mim, que sou operadora do "direito" trabalhar com toda essa injustiça ...

Concordo també e muito o que diz o Osvaldo, e como pelo que me lembro ele é um bom conhecedor das coisas do Brasil, deve ter falado sabendo que aqui também é igual.

Beijos.

SPUK

Paula Raposo disse...

Um excelente artigo.
Beijos.

Laura disse...

Quem se lembra? lembramo-nos agora, e quando virares a página, continuamos a esquecer tudo, porque ninguém está para se chatear! Os atingidos e familias, esses sim, fazem o que podem, mas ai a eterna burocaracia que ainda a Procissão vai no Adro!...

Já não creio, já não voto, a nada me apetece fazer, porque quem detém o poder, esses corruptos todos que lá andam, continuarão a fazer como até aqui, e nós? tal e qual!...

E como diz o outro, já falta pouco para o nosso almoço e assim; deixemo-nos de coisas sérias... senão a ementa já nem vai saber ao que é!
Beijinho da laura

Anónimo disse...

A democracia tem a vantagem de nos dar a conhecer tudo isto.
Se resolve ou não (?) é outra coisa ... e já depende da tal X que se põe no voto.
Portugal e os portugueses, por defeito, tem a mania de eternizar poderes. Estes quase 40 anos de "democracia" já cheiram a outros 40 que muitos de nós conhecemos. É triste.
:( jc/.

francisco disse...

Vejam isto depressa, antes que retirem este vídeo
http://www.youtubecom/watch?v=JpOB4xkpjgQ
O depoimento da ex-Ministra da Saúde da Finlândia, Dra. Rauni Kilde, é muito claro e corajoso.

FR

Teté disse...

Leio frequentemente a coluna da Clara Ferreira Alves no Expresso e, no que respeita à Justiça em Portugal, concordo inteiramente com ela: simplesmente não existe!

Quer dizer, aquelas cenas mais básicas do homem que matou o vizinho por suspeitar que ele era amante da sua mulher, ou do outro que roubou o merceeiro para dar de comer à família, normalmente resolvem-se!

Mas crime organizado ou de colarinho branco, com grandes advogados a defenderem os criminosos, a protelarem as audiências até os processos prescreverem ou serem arquivados?! Ná, esses têm-se safado todos!!!

Uma vergonha para o País, na minha modesta opinião!

Beijocas!

francisco disse...

Tudo isto, que está à frente dos nossos olhos, só vem confirmar, que a justiça não é cega. Só vê com um olho e para baixo, a imparcialidade é uma treta. A justiça têm um rosto, uma Classe, serve para defender os da sua Classe.
Quem mantêm no poder, esta gente, anos a fio, com o seu voto, não ponha o rabinho de fora , porque também são responsáveis por este estado de coisas.
Falam, falam, falam, mas quando chega o momento decisivo apenas mudam as moscas. A maioria têm medo de arriscar, prefere manter a sua vidinha tal como está, desde o porteiro ao director.
A Cunha €, a Senhora Cunha €€, Vossa Excelência Senhora Cunha €€€€€€€€
Vossa Excelência Reverendíssima Senhora Cunha €€€€€€€€€€€€€€€€€€€€€...
estão de pedra e cal.
SÓ UM “TSUNAMI” PODE POR ORDEM NISTO!

FR

Parisiense disse...

Subscrevo por baixo.

Mas diz-me cá meu amigo de quem é a culpa?????
Para que alguma justiça fosse feita o povo nas urnas poderia dizer o que desejava, mas não.
Vai lá continua a votar e nem um protesto faz...... o de meter um voto em branco para que eles entendessem que estamos fartos deste novo tipo de politica e que ia sendo tempo de limpar os proprios partidos.

Mas para isso é necessario vontade, muita força de vontade.....e isso não existe.....é bem mais facil deixar rolar.

Beijokitas

Anónimo disse...

Seve disse...

É o bicho homem em todo o seu esplendor.

BLOGADOR disse...

Eu já estou a sofrer "na pele" pelo facto de ter andado a passear no Rossio. Já devia ter sido promovido ao posto seguinte e não fui. E não sei se irei ser.
Até já tenho medo de comentar nos blogues dos meus amigos.

Laura disse...

Seve; é o bicho homem sim, ele e só ele (não é ele que detém o poder? o poder da força, da ousadia, de se atrever a ser corrupto? e quantos não sabem disso, calam-se, se podem também fazer o mesmo!
Um Tsunami levaria os bons e os maus na enxurrada, voltariamos ao mesmo. Precisamos de um Homem,esperto, finório, que seja o tal do Homem certo, e mais meia dúzlia deles que não sejam pastelinhos ...que os tenham no sítio, e, saibam lutar ao lado do Povo e para o Povo, porque o Povo não é só a arraia miúda, somos todos os que pensamos também com o coração!...na humanidade. Tirem-me tudo, mas,deixem-me ficar o Humanismo, disso eu nunca abdicarei!...chamem-me o que quiserem...
beijinho da laura