15 de novembro de 2009

Alain Delon - um dos meus ídolos




Ao longo das nossas vidas, há rostos que a nossa memória absorve e ali perduram eternamente.
Hoje recordo um actor francês de quem na minha juventude muito gostei e gosto ainda – Alain Delon.
É que eu julgava ser hoje o dia do seu aniversário mas enganei-me, pois ele nasceu a 08 de Novembro de 1935, tendo então acabado de completar 74 anos.
Como eu dizia, este actor exercia uma enorme influência sobre mim, qual imberbe jovem desprovido ainda de tudo o que a vida me iria ensinar.
E se não sou um homem de paixões efémeras também o não fui de desilusões adiadas.
Alain Delon foi uma espécie de exemplo para mim. Tinha tudo o que eu desejava. Fama, glória, mulheres, dinheiro, mas a vida é feita de muito mais que isso e demorei algum tempo a percebe-lo. Em Paris, Delon era o maior poster do meu quarto e dava-me a força que ele tinha para calcorrear as ruas cinzentas da esperança, na cidade que a manhã nunca mais clareava.
A sua errante infância terá contribuído para uma formação desprovida de carinho e afectos fazendo dele um homem ausente dos mesmos. Filho de pais separados, bem cedo entregue a terceiros, tornou-se um quezilento rebelde expulso de todas as escolas por onde passava. A Guerra da Indonicha, para onde se alistou aos dezassete anos ajudou ao resto.
Um dia, num golpe de sorte que acho todos termos tido um dia e deixamos escapar, alguém reparou na sua beleza e fez dele o Adónis que os interesses mundanos desejam. E disso tirou o devido proveito.Delon teve uma vida bem cheia de tudo, onde não faltou o ódio, o crime, o abandono, a violência. Foi sempre um homem frio e conseguiu congelar o calor que por ele fui sentindo, tendo vindo agora a ser derretido pelo chegar dum fim não assim tão distante.
Alain Delon não deixou de ser um dos meus ídolos, mas terá exagerado nos excessos cometidos, sendo apenas certo que um dia partirá deste vida bem contente.
Ao Alain de quem vesti a pele ergo a minha “flute”, porque das pessoas de quem se gosta, se esquecem os defeitos.

27 comentários:

Anónimo disse...

Seve disse...

Também a mim a beleza me fascina.
Fascinou-me a beleza de Alain Delon como me fascinou a beleza de Quasimodo (o Corcunda de Notre Dame).

Paula Raposo disse...

Gostei muito de Alain Delon na minha adolescência e vi muitos e muitos filmes dele.
Beijos.

Maria disse...

Kim/ Alain

Agora percebo a razão do teu nome de guerra.
Alain Delon, foi uma das minhas maiores paixões cinéfilas. Só teve um rival sério: Paul Newman.
Mas o Alain, foi o galã de Christine, com a Romy Sheneider, o Leopardo com Cláudia Cardinalli, O Rocco e os seus irmãos, A Piscina, outra vez com Romy, Borsalino, Adeus amigo, a Túlipa Negra, os Amores célebres. Ia ao cinema, às escondidas para o ver. Segui, os seus amores conturbados com Romy. Chorei o desgosto dela, quando a deixou. Desfiz-me em lágrimas, vendo-o chorar desabaladamente no funeral dela.
Ai Kim, Kim que me fizeste lembrar tanta coisa enterrada, sob a cinza dos anos.
Olha, estou a escrever e, as malvadas lágrimas já correm. Por mim? Por Alain? Por Romy? Pela minha juventude tão distante? Por tudo isso junto, acho eu.
Ah! Na parede do meu quarto, havia, não uma, mas muitas fotos do Alain. De todos os tamanhos. Algumas cortadas de revistas francesas da época, a “Elle” e a “Marie Claire”, outras de revistas portuguesas.
Obrigada por esta viagem ao passado.
Beijinho

laura disse...

ah, o borracho dos sonhos de todas as jovens, cuja rebeldia mais contribuía para gostarmos mais dele e da sua Romy!... Mesmo já entradote é um homem lindo, as minhas amigas em Luanda, tudo quanto era poster dele, colavam nas paredes do quarto, eu, tinha um, a preto e branco, e, demorei a tirá-lo de lá, vi muitos dos seus filmes, tantos que perdi a conta!...
Boa, as miúdas gostam de o ver aqui, e a nossa Maria, foi a chorar de saudade dela e dele!... saudade do tempo em que nos sentiamos lindos e a vida parecia ser mais rosas que espinhos!...
Beijinho e abraço da laura

laura disse...

Seve; o Kuasimodo era belo só de alma,(ora, nem o conheci, não vás perguntar-me de onde o conheço!) por vezes vale mais ter alguém amigo que seja assim, e que tenha a alma linda!...de monstros feios, está o mundo cheio. Abraço para ti, da, laura

laura disse...

Ahhhhhhhhhhhh, o borracho sentado na cadeira junto à foto do Alain...não está nada mal, mas à falta de melhor, meninas atirem-se!...o outro é de papel, o da cadeira além de mais novo, é lindooooooooo... uau borracho lindo...

vai um sorriso prá gente
numa foto maior
mais de frente
de lado, o que for!...
Próximo post está prometido é? a foto do giraço que conheço...

Je Vois la Vie en Vert disse...

O Alain Delon agarrou na vida com garra e viveu-na bem! às vezes um pouco duramente ou friamente mas terá provavelmente tido as suas razões. É um actor expressivo e bonito. E envelheceu muito bem. Ainda tem muito charme ! Não lhe dava 74 anos !
Não achas alguma parecença com uma pessoa que ambos conhecemos ?

E o borracho sentado na cadeira não tem nada a invejar ao Alain...

Beijinhos

Verdinha

Osvaldo disse...

Kim;

Tenho uma história interessante pra contar sobre o Alain Delon que se passou em 1984 entre o actor, a Lily Shanghai e este teu amigo... Em Lisboa eu conto.

Um abraço, amigo Kim,
Osvaldo

Kim disse...

Vi bastantes filmes dele. Foi protagonista de 85 filmes. Quase sempre fez papel de "mau" e galã, em simultâneo.
Não me lembro de nenhum filme onde ele fizesse papel de "bom".
Manteve sempre uma amizade e rivalidade com Jean Paul Belmondo outro bon vivant. "Borsalino" terá contribuido para tal.
Fico à espera da "estória" do Osvaldo.
Adieu l'ami!

laura disse...

E eu também, fico à espera, além de que ele prometeu contar a história da princesa Andina de Tabuaço, e como é uma história de amor, onde muitos meteram o bedelho e estragaram tudo, adoro desses romances verdadeiros, aliás a Getta é de lá o Pai dela nasceu na quinta do Tedo, se não me engano, e ela também não sabe a história toda, mas, parte dela, vou ver se coicidem.
Só aminha paixão pelo moinho, imagino o resto!.

Ah, o Belmondo, feio, mas um bom actor, que lembranças...

Verdinha as batucadas soam cá dentro, naõ as danço...só se for na terra vermelha e descalça...
Beijinhos.

Cristina disse...

C'est pas mon acteur préféré!!
Bonne semaine, Kim.
Bisous.

Anónimo disse...

Esta, agora, gosta de todos! decida-se!

Teté disse...

Alain Delon recorda-me sempre uma colega do meu pai que, num dia de muito calor em Albufeira, se atirou do bote para a água, quando alguém lhe disse de brincadeira que o actor estava na outra margem...

Ela tinha 18 anos e a brincadeira valeu-lhe uma paralisia facial, que ainda se notava quando a conheci! (imagino que até hoje, que tanto quanto sei a mulher ainda não morreu) E ela contava essa história até à exaustão...

A história que contas sobre o actor faz todo o sentido em tudo o que li em revistas de determinada época! Que era um giraço, não restam dúvidas! Mas que os seus valores eram relativos, também... ;)

Mas pronto, os ídolos juvenis têm imensos pés de barro, não é?

Beijocas, Kim!

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Seve disse...

Oh anónimo gostar de todos não é defeito, defeito será não gostar de ninguém.

Anónimo disse...

Seve disse...

Laura - para se ver quanto Quasimodo é "bonito" basta ler "NOSSA SENHORA DE PARIS" do grande escritor francês VICTOR HUGO

Je Vois la Vie en Vert disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Je Vois la Vie en Vert disse...

Também fico à espera da história do Osvaldo...
Será para contar em frente a uma lareira ou ao ouvido ?

Acho o Alain Delon nitidamente mais bonito do que o Quasimodo mas dantes dava um beijinho a um da mesma maneira que dava ao outro.
Só que agora, com o perigo da gripe H1N1, até prescindiria dos beijinhos dos dois .... ;D

Alguém quer os meus beijinhos verdinhos...ainda sem gripe neste momento e espero bem que nunca ?

Verdinha

Anónimo disse...

Pois é! O Alain Delon também foi um dos meus ídolos! Quem poderia resistir ao encanto daquele rapaz!

Bons tempos!

Um beijinho para si,

Fogo disse...

grande gato este Alain Delon!!1

já vi bem piores

Laura disse...

Seve, já li e já vi o filme mais que quantas vezes... e li Victor Hugo, Leon Tolstoi, em Espanhol, tinha uns 18 anos, Ana Karenine, e a mulher de branco... o livro era enorme, pesado, capa maravilhosa, mas, foi-se na enchente da garagem...ou antes, foram-se os dois.
Beijinho e obrigada..

Laura disse...

Seve, ah, sei, mas ele tinha momentos de ternura e amava!...Se amava..jinho, laura

Anónimo disse...

Seve disse...

Laura, que filme....Anthony Quinn interpretou magistralmente no cinema, em 1956, esta gigantesca figura QUASIMODO criada pelo lendário e soberbo escritor francês, do séc. IXX, VICTOR HUGO.

Laura disse...

Seve;em 1956, ainda não ia ao cinema, já vivia em Vila Verde da Raia,4 anos na fronteira com Espanha e entretia-me a insultar os galegos, com o resto do bando a deitar pedras para cá e lá cada um do seu lado do rio, enfim !...
o Anthony Quinn,de Zorba o Grego era um excelente actor, acompanhei sempre a sua odisseia de vida, e o seu casamento desfeito, já tarde, por uma linda moça.E viva o amor!... Vi esse filme, de vez em quando a nossa tv lá passa um ou outro.
Morreu endividado, quem tanto ganhou em vida!...Mas como a todos, os excessos cometem-se, e quem cá ficar, que os pague.

Quasimodo um monstro de bom coração e quando era mau, tinha razão!...
Beijinho e obrigada pela paciência... laura

Laura disse...

Estive a falar com o Moa e, parece que cabemos lá todos à larga...ainda bem...
Aproveito e deixo-te beijinhos miminhos e muito amor e paz, luz...e mais um daqueles abraços apertados..laura

Parisiense disse...

Também foi um dos meus idolos e continua a ser um actor que gosto muito, nem que seja por essas belas recordações que me fizeram sonhar e ir um dia até Paris.

Bisous mon ange.

Dad disse...

Também o Alain Delon foi um dos meus "idolos" de pés de barro...
Era fácil a miudagem ficar presa ao fulgor daqueles olhitos...

Beijinho,