19 de outubro de 2009

Raul Solnado - Octogenário


Raul Solnado, octogenário? Nem pensar!

O Raul não gostava de aniversários. Achava que era uma chatice um gajo ficar mais velho. Por via das dúvidas até desligava o telefone. Sendo assim nunca lhe dei os parabéns.
Era mais fácil para ele aparecer para uma almoçarada do que fazer a vénia a todos quantos o felicitassem por uma coisa que ele não queria. Afinal foi sempre um menino.
Pois então faz hoje oitenta anos que nasceu Raul Solnado. Se fosse vivo não faria anos já que isso é coisa de quem leva a vida a brincar.
Então, a assim ser, basta-me aqui recordá-lo e guardar para mim o afecto com que me brindou e agradecer ao Júlio César, o facto de um dia o ter cruzado no meu caminho.
Persigno-me a tal encruzilhada, de tão douta que foi.

19 comentários:

Corvo disse...

Não posso dizer que tenha conhecido o Solnado. A única vez que falámos, foi no velório de um nosso amigo em comum. A troca de poucas frases não foi nenhuma comédia. Deu-me a impressão (volto a dizer: não conhecia o Solnado) que era um homem geralmente feliz, mas quando dava para o torto, "sai de baixo".
Deixou-nos um grande vazio, o nosso Solnado...

Vou beber um copo por ele.
À saúde, onde estiver, Solnado!

Um abraço, KIM.

Laura disse...

Vi na tv que ele fazia hoje anos, deve estar a festejar do outro lado, acredito que é capaz disso, e a fazer humor como só ele sabia... e a dizer-nos que; façam favor de serem felizes! Um brinde a este Grande Homem..laura..

Ah, agradeço a tua Benção, já tavas a tardar!...
O que me vou rindo devagarinho...beijinho meu, laura

Maria disse...

Kim, meu amigo:

O Solnado não gostava de aniversários, mas este dia é mesmo de festejar. Embora já não esteja cá, foi uma felicidade tê-lo tido.
A ti e ao Julio, seus amigos, um grande abraço e toda a minha ternura por ele.

Anónimo disse...

Sim KIM,
Acredito que mesmo no lugar om o Raul esteja, ele não vai querer receber os parabéns, mas para os grandes amigos que ele fez como você e JC, ele vai estar semprepresente e repetindo fa frase que o imortalizou FAÇAM FAVOR DE SEREM FELIZES.

Beijos

SPUK

Osvaldo disse...

Kim;

Todos os que precederam o Raul na subida ao Paraíso, devem estar a preparar a festa pra logo mais... Quantos amigos dele, anónimos ou que o conheceram aqui na Terra não estariam já à um tempão a organisarem este festão para lhe fazerem uma surpresa?!...

Como é que eles sabiam que ele ia?... Mas eles lá em cima sabem tudo!!!! Nem precisam de TV Cabo...

Um abraço se fosse possivel ao Raul que conheci no Rio de Janeiro nos anos 60 e outro abraço para o autor deste post por ser sempre amigo dos seus amigos, mesmo d'aqueles que partem mais cêdo.

Um abraço, Kim.
Osvaldo

carla mar disse...

uma semana após a sua partida descobri uma bela foto do Raul. apaixonei-me. mas, naquele momento não fazia sentido editá-la. já não era notícia.
os dias foram passando. e a foto lá estava... a piscar-me o olho ;)
numa daquelas manhãs, chatas e menos aceleradas, tive uma conversa (profunda!) com o espelho lá de casa. segredou-me, então, que o dia 19 de outubro seria uma belíssima ideia :)

e "prontos", ontem a meio da tarde, partilhei-a via facebook. depois, num ataque de pura generosidade escarrapachei-a lá no "LUAS de mim..." :)

não foram os parabéns, Kim. apenas escrever e lembrar que o humor do Raul era terno e atravessa as gerações.

um grande beijo, para ti ;)

c

antonior disse...

Caro Kim,

Desta vez a minha ausência foi um pouco mais prolongada, porque as malhas da rede quotidiana enredaram-me por outros afazeres imperativos.

Como de costume, ao chegar aqui, percorri tudo o que publicaste desde a minha última visita.

Quando, finalmente, acabei de ler este "post" sobre os 80 anos do Solnado, dou comigo a sentir uma emoção, sei lá, uma coisa que não é facilmente explicável que tem a ver com um sentir que é absolutamente transversal a todos os conteúdos deste teu espaço.

Então, reflecti, para me consciencializar do que é, para trazer à zona do racional e essa "coisa" é a humanidade que vive aqui como uma aura. Aqui se fala maioritáriamente de pessoas, de relações, de saudade, do que de melhor cada um tinha, num olhar que te define a alma. Pelo melhor meu amigo. Aqui vive humanidade. A tua humanidade.

Um grande abraço

antonior disse...

Esqueci-me de te dizer que deixei a habitual resposta ao teu comentário sobre a iguana, lá na página em que o fizeste.

Abraço

Je Vois la Vie en Vert disse...

Caro amigo kim,

Adoro ver esta fotografia porque o meu pai é muito parecido com o Raúl e parece que estou a ver o meu pai, que felizmente ainda é vivo e que vai festejar os seus 91 anos daqui a 2 dias ! Ele também não liga muito aos anos.

Sempre gostei do Raúl Solnado, pelo seu humor, pela sua arte de representar, pela sua sensibilidade, pela sua simplicidade, pela sua discreção e pelas razões acima referidas, apetecia-me sempre beijá-lo, o que nunca tive ocasião de fazer....

Mas a ti posso deixar muitos beijinhos verdinhos !

Verdinha

Anónimo disse...

Português, ó malmequer
Em que terra foste semeado?
Português, ó malmequer
Cada vez andas mais desfolhado

Malmequer é branco branco
Que outra cor querem que escolha
Se te querem ver bonito
Por que te arrancam as folhas?

Por muito humilde que sejas
Malmequer ó meu amigo
Lá vem o dia da espiga
Que tens honras de trigo

Português, ó malmequer
Em que terra foste semeado?
Português, ó malmequer
Cada vez andas mais desfolhado

Malmequer tens pouca flor
Mesmo assim és um valente
Antes ser dez réis de flor
Do que ser dez réis de gente

És uma flor do povo
Vem do povo a tua força
Estás bem agarrado à terra
Não há vento que te torça

Português, ó malmequer
Em que terra foste semeado?
Português, ó malmequer
Cada vez andas mais desfolhado


Malmequer ou bem-me-quer
És a flor mais desprezada
Uns com muito, outros com pouco
E a maioria sem nada

És branco da cor da paz
Mas seja lá por que for
Há para aí uns malmequeres
Que andam a mudar de cor

Português, ó malmequer
Em que terra foste semeado?
Português, ó malmequer
Cada vez andas mais desfolhado

Regam-te a seiva com esperança
Mesmo assim não és feliz
Há muitas ervas daninhas
Que te atacam a raíz

Malmequer se fores regado
Num dia de muito Sol
Cresce, cresce, cresce, cresce
Para seres um girassol

Português, ó malmequer
Em que terra foste semeado?
Português, ó malmequer
Cada vez andas mais desfolhado

xl

Parisiense disse...

Há pessoas que não tem idade...serão eternamente jovens, e estarão para sempre no n/pensamento e coração.

Bisous, mon ange.

Anónimo disse...

Português, ó malmequer
Em que terra foste semeado?
Português, ó malmequer
Cada vez andas mais desfolhado

TEMOS UMA BURGUESIA QUE NÃO PRESTA PARA NADA E UM POVO QUE NÃO SE REVOLTA.

FR

Teté disse...

Bem, cada um tem a sua própria forma de encarar os aniversários. Festejando-os ou não, os anos estão lá, não há nada a fazer! Cá por mim gosto de festejar... :)

Quando escrevo a palavra octogenário, tenho de a ir confirmar ao dicionário, porque também tendo para o octagenário... :D

Beijocas, KIM!

laura disse...

Estou como a tété, quandot e li pensei cá comigo; mas, é octogenário ou octagenário, ah, a preguiça de ir ao dicionário...
Beijinhos, ou abreijos como diz o nosso querido Moa..laura

Anónimo disse...

O Raul não festejava os anos e havia uma razão forte. Muito forte.
Nunca conheceu a Mãe...já que a senhora morreu pocos dias depois. Foi então amamentado pela Mãe do actor Varela Silva, nascido em Setembro de 29. Um dia, numa das nossas deambulações pela Madragoa, contou-me a história e indicou-me a varanda onde costumava brincar com aquele a quem chamava "irmão de leite".
Sempre deligou o telefone no dia dos anos. Nunca festejou, embora uns quantos "amigos que nunca conheci" tenham aparecido na televisão a dizer que se lembram das grandes Festas de Anos do Raul.
Que pena Raul. Já cá não estas para os desmascarar.
Nunca vi aparecer tantos amigos íntimos de última hora.
Percebes agora porque é que não fui ao funeral, Kim?
Estive nos Prazeres, no depositar das cinzas. Era menos gente e tudo mais asseado.
Abraço.
jc/

Kim disse...

O J.C. já me tinha contado o motivo pelo qual o Raul não festejava os aniversários, mas eu já nem me lembrava. recordou-mo agora e já não vou esquecer.
De facto tenho lido muitas entrevistas em que toda a gente era amiga do Raul, se calhar ele é que não sabia.
Adorava ouvir as estÓrias que ele me contava. Lembro-me duma vez em que ele e o Júlio de repente, sem terem nada combinado, meteram-se no carro e só pararam em Alcácer Quibir, onde terá morrido El-Rey D.Sebastião.
Uma vez chegados lá, olharam um para o outro e disseram: - Bem, está visto, já que não há nada para fazer! Fizeram um chi-chi e regressaram menos alegres do que partiram.

BLOGADOR disse...

Por acaso lembro-me de ter visto na reportagem televisiva da efeméride um reputado fadista adepto do Sporting afirmar que se lembrava das grandes festas de aniversário do Raúl Solnado. Não me lembro do seu nome.
Eu vou fazendo por ser feliz.

Laura disse...

Ahhh, essa de Alcacer Kibir, ahhhhhh eles fizeram mesmo isso? mijaram e pronto? ò valha-nos, mas que rapazes doidos...? Jesus...
Beijinhos. laura

Andre Moa disse...

Caro Kim,

Embora com três dias de atraso, aqui estou eu para festejar a tua amizade com o grande Raul Solnado, um homem com quem nunca falei, mas que há muitos anos admiro e sigo.
Como ele nos ensinou, insisto: façam favor de ser felizes.
Feliz sinto-me eu hoje, graças a ti, amigo Kim. Finalmente, e depois de várias peripécias (tenho o DVD estragado, pelos vistos, e o computador sem o necessário programa), consegui ver o filme genialmente filmado e realizado por ti - ÀS VEZES..TABUAÇO.
E que bela surpresa! Inimaginável! A Teresa e eu agradecemos muito, muito, a tua sensibilidade e generosidade.
Com amigos destes, a gente nem precisa de fazer grande esforço para ser feliz.
Um abraço do tamanho do mundo e arredores.
André Moa