18 de outubro de 2009

Justiça rápida ... e sem custos!

Quelqu'un m'a dit

Exigências de sequestrador para libertar um refém, na China.

- Tenho três exigências, ou mato o rapaz!

Negociadores chegam ao local pela janela do lado para cumprir as exigências.

Início das negociações

Negociador em posição

Negociações concluídas

Caso encerrado
Em Portugal, na Europa, a rua seria fechada, o homem teria a maior cobertura mediática. As negociações durariam doze horas seguidas, viriam os gajos dos Direitos Humanos, da Quercus, dos VERDES, etc...
O preso custaria milhões para ter um julgamento 'justo', comida e boa vida na cadeia.
Entenderam agora os motivos pelos quais os produtos dos chineses são mais baratos que os nossos?

16 comentários:

Je Vois la Vie en Vert disse...

Nem tanto à terra nem tanto ao mar, não é essa a expressão ?

Mesmo se não fazias parte da lista das pessoas que nomeei no meu blog Coffre des Trésors de Verdinha, também fizeste parte das pessoas em que pensei, como todos os do encontro de Tabuaço, que não nos sai da cabeça, não é ?

Beijinhos, amigo Kim

Corvo disse...

Gostei do negócio. Foi justo, e o refém ficou a salvo. Ninguém mais se magoou, só que provocou toda aquela embrulhada.
Desculpe, Verdinha, em discordar consigo, mas sou da opinião de que estes casos devem ser resolvidos de imediato, mesmo que seja um bocadinho "à bruta".

Abraços e boa semana!

Maria disse...

Kim:
Se para salvar a criança não havia outra solução... Mas não concordo com o meu Corvo, estou mais com a Verdinha "Nem tanto ao mar, nem tanto à terra". Podiam ter usado outros meios.
Por causa destas e outras é que não vou às lojas deles.
Beijinhos

Zé do Cão disse...

Eu sem querer destoar digo que nem tanto à terra nem tanto ao mar.

Assim um tiro, certeiro no ouvido, seria mais simples e menos penoso para o atirador. Podia ficar com insónias e com problemas de consciência.
Já agora, não é que encontrei à venda numa de loja dos "chinocas" na Manta Rota, por 8 €, um aparelho de leitura de todos os cartões multibanco. Fiquei varado..
ao que chegamos...
Um abraço

Laura disse...

Gostei mais de ler o zé do canito...ó rapaz, isso é verdade? (estou a ver a dita loja com bicha à porta a partir de agora, ehhhh)vá lá que eu nem conta tenho no banco...senão ficava já inundada de suores frios...

Meninas, na verdade quem semeia ventos, colhe tempestades. Só o facto de manter alguém prisioneiro,sem ter cargos para tal, sabe que onde se mete, dificilmente sairá com vida. Não concordo, mas, já foi, já está...É que ainda por cima era uma criança, caramba, metam-se com adultos. Beijinhos, muitos, laura

Anónimo disse...

Buscai o bem e não o mal, para que vivais;e assim o Senhor, o Deus dos Exércitos,tenha piedade do resto de José.
Amós 4,5-14

Não matarás.
Êxodo 20-13

The New Priest

Teté disse...

Concordo que as negociações foram rápidas e eficientes, mas... um cristão não ficaria sempre com esse trauma na consciência? É que na Bíblia está escrito preto no branco: Não Matarás! Que interessa se foi ao serviço da tropa, do Estado, da polícia, etc. e tal?

O mesmo penso dos juízes que condenam à pena de morte (não cá, obviamente)! São tão pecadores como o carrasco que a executa. Isto, claro, do ponto de vista cristão.

Outra coisa que se me oferece dizer, é que este chinês devia ter algum problema mental. Quer dizer, eu não sou chinesa, mas sabia o que me esperava, até em casos bem menos graves do que este, naquele país! Não esquecer ainda que a família dos chineses condenados à pena de morte é obrigada a pagar o custo da bala...

Beijocas!

Laura disse...

Bom, foram rápidos,e ficientes e sem custos, assim nota-se que o Governo não desbarata eurinhos...
Vais entrar para alguma ordem franciscana?

ahhh, beijinhos.

Anónimo disse...

19/10 - 02:46 - Agência Estado

“Um choque de culturas e filosofias de gestão está entre as origens de um dos mais chocantes dramas trabalhistas da história da França: uma sequência de 25 suicídios ocorridos em 20 meses na mesma companhia, a ex-estatal e hoje líder de mercado France Telecom.”

NA EUROPA NÃO PRECISAM GASTAR BALA

FR

BLOGADOR disse...

Sem custos? As balas custam dinheiro. As últimas que comprei custaram 50 cêntimos cada. No mercado legal.

Parisiense disse...

Nem parece teu......

Mas como diz a verdinha, nem tanto ao mar, nem tanto á terra.

É verdade que nós ocidentais, países democratas, civilizados....etc...
protegemos demasiadamente os "maus" e damos-lhes mais direitos que deveres.
Eu punha-os todos a trabalhar, com uma bola bem pesada nos pés para não fugirem.
Matar é demasiado fácil, eles não sofrem na pele o mal que causaram aos outros.

Bisous mon ange.

Corvo disse...

Um dos dez mandamentos diz "não matarás"; Cristo dava a outra face;
Mas, se continuarmos com esta mentalidade, os malfeitores vão vencer.

Neste caso, estava em risco, pelo menos, a vida do jovem refém. Em princípio, o bandido só o mataria em último recurso, mas até conseguir o que queria, iria maltratar uma criança inocente.

Podem não acreditar, mas considero-me cristão. No entanto, parece-me mais grave deixar o refém sofrer, e mesmo a angústia das pessoas que assistiam a toda esta confusão, do que acabar de uma vez com aquele criminoso.
Porventura, faltariam provas?! Acho que não...
Cadeia?!
Agora, pergunto: segundo as Leis da Igreja, se não temos direito a matar (mesmo que por justiça) será que temos a castigar, ou mesmo a julgar? É que, por essa ordem, fazíamos as vontades todas ao malfeitor.

Este, pelo menos, já não faz mal a ninguém.

Laura disse...

verdade, isso é que é matar sem testemunhas...sem custos minimos, mas, essas empresas são beneficiadas pelo estado que mais não faz senão continuar a prejudicar o cidadão!...e, algo mudou desde aí? claro que não, nem mudará. e aqui o ambiente anda a ficar igual, querem milhões e poucos empregados e assim...rua...tenho amigas que trabalham nessas grandes empresas e já choram pela forma como são tratados e trabalham, enfim, não tarda começam os suicidios aqui..beijinho da laura

Anónimo disse...

O Saramago explica tudo. E olhem que é muito claro !
jc/.

Anónimo disse...

Seve disse...

Que lhe atire a primeira pedra.......

Du Santana disse...

Meu Deus!