12 de outubro de 2009

Padre Saul Sousa

Morreu o Padre Saul Sousa!
A morte é apenas a última etapa das nossas vidas e para morrer apenas basta estar vivo.
A notícia não seria notícia, fruto do que atrás disse, se o Padre Saul fosse igual a tantos outros padres. Aparentemente, claro que era igual aos outros padres, apenas que este tinha mulher e filhos enquanto os outros têm governantas e sobrinhos.
O Padre Saul foi ordenado padre (da Igreja Católica) quando já era casado e já tinha três filhos.
O Papa Paulo VI, autorizou a sua ordenação (em 1971) contrariando vozes contestatárias dos apoiantes do celibato. Era caso único em Portugal e disso falavam de tempos a tempos as televisões e a imprensa.
Mais do que aqui me congratular com a decisão papal, evoco a grande figura da Igreja que foi este homem e cujo gene foi passado na integra para os filhos, sendo que um deles, o Jorge Sousa, é um grande amigo meu de há três décadas.
Hoje pelas 10 horas, na Igreja do Anjos em Lisboa, o Cardeal Patriarca de Lisboa, presidirá à missa de corpo presente e fará certamente a apologia deste grande homem, não pelo facto da sua condição muito “sui generis” mas pela sua bondade e entrega ao próximo.
Não houvesse a hipocrisia do celibato canónico e a Igreja seria bem mais coerente e castradora de tal embuste.
Ao meu querido amigo Jorge, toda a minha admiração pelo pai que teve, pelo filho que é!

17 comentários:

Osvaldo disse...

Caro Kim;

Um dos grandes erros da Igreja Católica, na minha opinião bem modesta de leigo, é esta aberração de os padres estarem impedidos de casarem e formarem família...

Se Deus disse, segundo consta;, amai-vos e multiplicai-vos, não acredito que Cristo, qundo por cá passou tenha dado ordens contrárias aos que na Terra seriam os representantes da sua Casa.

Se nunca tivesse havido esse impedimento vindo não sei de onde, acredito que hoje na Igreja Católica não haveria penúria de Padres. Aliás, não sei se existe uma outra brancho do Cristianismo em que essa aberrante decisão é aplicada.

As minhas homenagens ao Padre Saoul e meus sentimentos profundos aos seus filhos.

Abraços amigo Kim, extensivos à L&L,
Ana e Osvaldo

Conversa Inútil de Roderick disse...

Não tem lógica nenhuma os padres não se poderem casar! É contra-natura!

Maria disse...

Kim:
Já tinha ouvido falar deste Padre. Grande homem! Assumiu às claras, aquilo que muitos fazem às escuras.
Devia ser um ser de excepção. Cada vez entendo menos porque é que a Igreja nega aos padres a possibilidade de ter uma família.
Que Deus o tenha, porque o mereceu.
Um grande abraço e beijinho.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Cao amigo,

Este exemplo prova que afinal a Igreja não está assim tão fechada visto ter aceito o casamento do Padre Saúl Sousa.

O casamento facilitava vários problemas que encontram os padres mas como o casamento é uma união de 2 pessoas, será que a esposa aceitaria tudo ? Não podemos esquecer que ser padre não é um emprego mas um sacerdócio.

Uma pessoa que decide dedicar a sua vida a Deus não o faz num "coup de tête" e existe sempre a possibilidade de sair.
Não será que muitas coisas acontecem por falta de humildade das pessoas em
reconheceram que falharam, que não são capazes de continuar ou não estão prontas ?

Ainda existe a possibilidade de ser diácono que já administram quase todos os sacramentos.

Caro Osvaldo,
Jesus disse aos apóstolos para seguí-lo e ir aos 4 ventos espalhar a palavra Dele. Tendo uma família, era impóssivel para eles, tinham que deixar tudo atrás deles.
Mas isto acontecia noutros tempos e a Igreja podia rever certas "leis" mas, como eu disse mais acima, é sempre difícil encontrar uma pessoa que aceita partilhar este sacerdocio, que admite que Deus passa em primeiro lugar e mais ainda neste nossa época em que uma pessoa casa e descansa como troca de roupa. Que exemplo seria para os outros ?
"Multiplicai-vos" não se aplicava aos Apóstolos, Jesus pediu-lhes para abdicar de tudo.


Caro Roderick,
Desculpa-me mas o celibato não é contra-natura, é uma escolha.
Estás a falar da sexualidade
provavelmente, conheço casos de pessoas amigas que conseguiram, não sem alguma dificuldade - a vida não é só facilidades - , superar a falta dela com força psicológica.

Acho que casos como o Padre Saúl e a sua família são excepções que são de louvar !
Os meus sentidos pêsames para esta família que conseguiu encontrar a harmonia em Deus.
O Padre Saúl fez tudo para se aproximar de Deus e já está ao pé Dele.

Beijinhos (a todos) da

Verdinha

Anónimo disse...

Mais uma vez apelo à vossa paciência.
Comentei no anterior.
Errar é humano.

The new Priest

Kim disse...

NEW PRIEST - Para um católico não praticante, está muito bem informado sobre versículos da bíblia!
Infelizmente todos julgamos e todos seremos julgados, mas nada nos impede de emitir a nossa opinião que é sempre divergente da outrém.
OSVALDO - Tens razão. Se os padres se pudessem casar tudo seria diferente.
RODERICK - a abstinência sexual é algo que só uma mente poderosa consegure dominar. Isso, só por si, já é contra natura.
VERDINHA - O celibato a que os padres estão sujeitos não é uma escolha. É uma imposição de algo que escolheram como são tantas outras que também não são cumpridas. O que importa perceber é que o padre é um homem como todos os outros, logo sujeito às tentações onde cai e a seguir pede perdão.
MARIA - De facto o Padre Saul era um grande sacerdote. Se eu tivesse sido padre era assim que eu gostaria de ter sido.

Teté disse...

Mas há outros casos de padres laicos em Portugal, não é verdade? Assim um pouco ao contrário, primeiro foram padres e depois acabaram por decidir casar, mantendo a autorização da Igreja para continuar a celebrar missas, em alguns casos...

Lamento a perda do pai do teu amigo e percebo a tua admiração por ele!

Quanto ao celibato dos padres, só posso concordar que é anti-natura e quem perde mais com isso é a própria Igreja, que afasta eventuais bons católicos do ordenamento...

Beijocas!

Je Vois la Vie en Vert disse...

Meu caro amigo Kim,

Esta era uma discussão - saudável - que podia durar bastante tempo.

Quando o assunto-religião foi posto na mesa ao lado do belo bacalhau do restaurante Tabua d'Aço, eu estava conversando com outras pessoas na outra ponta da mesa e não deu para ouvir a vossa.

Conheces-me bem e sabes que vivo a minha Fé de uma maneira especial, mais por sentimentos do que por dogmas e confesso que tenho muitas falhas de informação sobre o assunto Igreja. Tento aceitá-la com os seus defeitos mas rejo-me mais pelo meu coração.

Se tivesses seguido o caminho que te tinhas traçado na Igreja, tenho a certeza que tinhas sido um grande sacerdoce, também !

Mas não deixas de ser um Grande Homem e um Excelente amigo !

Beijinhos, meu Grande Amigo !

Verdinha

Parisiense disse...

Concordo contigo.....não tem nenhuma lógica essa do celibato dos padres.
Os apóstolos não eram casados????
Essa é mais uma invenção da igreja actual e como dizia um padre amigo meu " nós aceitamos as suas regras, por isso não temos que reclamar".

Bisous, mon ange.

carla mar disse...

um beijo apertado como um abraço

c

Jorge Sousa disse...

Obrigado JR

Jorge Sousa

*Lisa_B* disse...

Boa noite amigo Kim,
em 1º lugar lamento a sua partida os meus pêsames a todos que o amavam pois os grandes homens e mulheres partem e ninguém fica preparado para tal mesmo quando a idade é avançada custa muito a separação.

Quanto ao resto...a igreja é o que dela fizerem. Sou contra os padres não poderem casar porque só quem não sabe nada do que é ser homem e como funciona o corpo do mesmo pode pensar que viverá em total abnegação é impossível e que ninguém se iluda do contrário.Pensem em colocar mulheres no sacerdócio e farão até favor a muitas.
Boa semana beijinhos com carinho.

Laura disse...

Sacerdócio forçado, era antes, antes, quando os pais enfiavam à força as ninas nos conventos, conventos onde os padres tinham entrada pela porta da frente, revolvam-se as terras à volta dos conventos e veja-se quantas ossadas pequeninas ali se encontram, e por vezes, duas, a da mãe e do filho, porque ficaria mal às familias...e a muitas, o nome que lhes davam era desonradas, que mentes humanas tão baixas, tão pobres, quando um acto de amor, de união entre duas almas que se amam (digo que se amam!) é a coisa mais bela da vida, é a unica certeza de viver em harmonia para o ser humano... Quantos padres se formaram assim, à força, e não conseguiram lutar contra a castidade, outra palavra que nem devia existir...porque o ser humano veio para ser livre e amar a quem quiser...Ainda nos dias de hoje essa eterna palavra abunda, e, faz a infelicidade de milhares de seres!...
Cada um é livre sobre o seu próprio corpo, razão porque sempre fui contra a ordenação de padres, sem eles proprios saberem que, teriam de cumprir a palavra e ser castos...tardiamente eles viam o erro, pois só querer e tentar amar a Deus, não é possivel, vivendo num mundo como o nosso...Só mesmo aqueles que sentem na alma a semente a germinar, a semente do sacerdócio...
Sei de filhos de padres, sei de mulheres de padres, as criadas, as comadres, mas, nunca as acusei minimamente, porque as entendo, entendo agora com a idade que tenho, porque antes, ouvia-se a palavra pecado em todo o lado...
Que Deus tenha o Padre Saul em descanso, porque Deus entende o homem...e a mulher, e não é pelo acto de amor em si (pecaminoso como as mentes baixas lhes chamam) que seremos julgados, mas sim por tentarmos julgar os outros, medi-los pelos nossos padrões!...
Somos livres.
Padre Saúl, um homem guerreiro que viu a sua vocação, e seguiu o caminho que quis, e sendo Pai, qual o problema? Acredito que Deus já o tem do seu lado, porque as almas boas, são isentas de pecado!...
Um abraço Kim, e beijinho terno, da pariga de Braga...laura

Nunca quis nem quero impor ideias, aqui escreve-se livremente e cada um poderá ter a sua opinião...

Cristina disse...

Uma grande pensamento para o teu amigo...
Beijinhos, Kim.

Anónimo disse...

KIM

Quanto ao padre ser um homem como todos os outros tudo bem.
Não percebo é as tentações.
Por exemplo; estou em frente do cofre do Rockefeller, está aberto, milhões de dólares à minha espera, vem a tentação – catrapus. Bem, esta situação é fácil de resolver: “porque ladrão que rouba a ladrão tem 100 anos de perdão”
Outra tentação: um homem, padre ou não, uma mulher, atraente, mesmo muito atraente, vem a tentação – catrapus. Têm que pedir perdão? A quem? Porquê? Se ambos livremente se completaram e viveram momentos de felicidade!?
O que é isso das tentações??


Assembleia da República, no dia 3 de Abril de 1982

Já que o coito - diz Morgado -
tem como fim cristalino,
preciso e imaculado
fazer menina ou menino;
e cada vez que o varão
sexual petisco manduca,
temos na procriação
prova de que houve truca-truca.
Sendo pai só de um rebento,
lógica é a conclusão
de que o viril instrumento
só usou - parca ração! -
uma vez. E se a função
faz o órgão - diz o ditado -
consumada essa excepção,
ficou capado o Morgado.

( Natália Correia - 3 de Abril de 1982 )

FR

Laura disse...

F.R. por acaso já tinha lido, sobre a Natália Correia, dirigindo-se a um deputado qualquer, já não lembro o nome, e, acredite que me ri a bom rir, pois foi bem dito e bem feito ehhhhhh...

As tais das tentações de homem e mulher, ora pois, concordo a mil por cento, se os houvesse... Todo o ser é livre e assim se deve sentir...
Beijinho da laura.

Unknown disse...

Caro Kim. Enviei-lhe um mail. Peço por favor que veja, pois nao sei se seguiu correctamente. obrigada fatima Caetano