7 de outubro de 2008

João Ermida - E depois do adeus!

A RTP 1, transmitiu hoje …

Nunca dele tinha ouvido falar e já me tinha esquecido de exemplos assim.
O Dr. João Ermida era um homem sem tempo. Madrid, Rio de Janeiro, Londres, Nova York, Tóquio, Lisboa, eram o seu mundo e a alta finança o seu espelho.
Um dia entrou numa igreja e dois dias depois demitiu-se, mandando a fortuna às urtigas.
Hoje, estuda a paz interior e ameniza o resto dos dias dos que já muito viveram.
Às vezes – pequenas (grandes) coisas mexem comigo e emudecem-me.


João Ermida nasceu no Porto, a 8 de Janeiro de 1965. Em 1987, iniciou o seu percurso profissional como operador de Bolsa,
No final de 1988, junta-se ao Citibank Portugal para integrar a sua equipa de mercado de capitais. Em 1993, inicia a sua carreira no Grupo Santander: primeiro em Portugal, depois no Brasil e, já em finais de 1998, em Espanha, com a responsabilidade global de Tesouraria e Mercados Financeiros. Em Maio de 2003, demitiu-se da Instituição.Actualmente dedica-se a projectos de cariz social que visam ajudar jovens e idosos mais carenciados. Desenvolveu o método e escreveu o livro Verdade, Humildade e Solidariedade, sobre o qual dá palestras às empresas e escolas de gestão.

11 comentários:

carla mar disse...

João Ermida, o homem que sofreu de ataques de pânico, durante 11 anos.


“(...) nunca encontrei pessoas más no trabalho. Encontrei sim, muitas pessoas condicionadas que se tornaram maus elementos com o tempo. Acredito, como dizia o padre Américo, que não há meninos maus. O que existe são seres humanos condicionados. Estou certo que essas mesmas pessoas se podem modificar, principalmente se observarem que a empresa onde trabalham inicia uma prática de valores mais ajustada à realidade. Aqueles que entendo serem os mais importantes ao mundo dos negócios e que são, precisamente, aqueles que mais se encontram arredados do mesmo: a Verdade, a Humildade e a Solidariedade".

Tenho o livro (e sopa!).

Beijinho meu ;)

jrom disse...

Quem me conhece sabe que sou um homem rico e ainda espero enriquecer mais.
Sou de origens muito humildes,mas que me deixaram uma fortuna colossal,as armas para enriquecer nos valores humanos,ainda estou a meio caminho,ainda espero melhorar.
Crise económica? o que é isso? Comparado com os seres humanos que pensam ter quatro metros e eternos não significa nada.
Quando as pessoas estão em pé de igualdade,despidos de bens aí sim, tornam-se humanos e solidários.
Será que esta espécie é mesmo inteligente?

Anónimo disse...

Ah! ganda João Ermida! Deu-lhe um click e já está.
Ao Teixeira Pinto (ex-bcp) tambem. Pinta, escreve poemas e até edita livros dos outros numa pequena editora que criou.
Agora é moda virar solidário.
Não acredito muito nessa gente Kim!
jc/.

Parisiense disse...

Tambem nunca tinha ouvido falar...mas há males que vem por bem.....ou seja as vezes com coisas "más " na vida é que damos valor a outras do qual nem sequer paramos para pensar.....

Beijokitas

Anónimo disse...

Pois.
A lista de arrependidos vai aumentar.
xl

Anónimo disse...

Há pessoas que, levam tempo para se encontrarem e, encontrarem o seu verdadeiro caminho.
Há quem nunca se encontre.
Há outras, que sabem sempre, quem são e, para onde vão.
Estes são raros.
Como diz na Biblia: "muitos são os chamados, poucos os escolhidos" e, destes, alguns tapam os ouvidos, para não ouvirem essa chamada.
Homens, como João Ermida, dão-nos a esperança ou, a ilusão, de que afinal o mundo não é tão mau, como parece.
Maria 2

susana disse...

Caro joão
Ao ver a sua entrevista, muitas vezes julguei que era eu a relatá-la, mas, ao mais pequeno pormenor...Tive esses terríveis ataques de pânico, não quero imitá-lo pelo tempo que tive, porque concide quase com o seu,tive que procurar um Psiquiatra e fiz também Psicoterapia e que me ajudou bastante, apesar de, por vezes quando estou mais fragilizada ter um medo enorme de sair de casa, porque tenho medo que voltem! È uma insegurança total. Também já cheguei ao aeroporto e não fiz a viajem, já abandonei o carro num semáforo já fui muitas vezes ao hospital enfim...Mas superei muito quando tive de acompanhar a minha mãe na sua doença no IPO, passando os dias lá durante um mês e dando apoio aos que nem sempre tinham visitas, dos seus familiares.Daí eu me identificar consigo e com o tema do seu livro.
Um Grande Abraço

Anónimo disse...

Oh Kim, será que depois da sopa no comunismo haverá sopa no capitalismo?

Seve

jan carlo landi disse...

Meus caros trabalhei diretamente com o Joao Ermida no Banco Santander por um ano e meio. Impressionante como as coisas que fazemos acabam por se voltar contra nós!! Esse ex vice-presidente do Banco Santander Brasil era de uma arrogancia e pose insuportaveis. Agrediu e humilhou varias pessoas ao meu redor. Pena que ele demorou 12 anos para descobrir uma verdade que eu sempre soube: os verdadeiros valores são a familia, a dignidade, humildade...nos nao somos nada nesse mundo sem essas verdades essenciais. Hoje eu sou portfolio manager de um hedge fund em NY. Passei maus bocados na vida. Dei a volta por cima. Mas NUNCA, NUNCA esqueci estes verdadeiros valores

Anónimo disse...

Impressionante é ter passado uma vida a ter ataques de pânico e actualmente encontrar-se a trabalhar nesta mesma área.
Acabaram os ataques de pânico!
Claro que foi tudo um aproveitamento e marketing para vender livros e ganhar notoriedade.
Podia ao menos ter procurado gente com mais credibilidade.
Charlatões e mais charlatões....

Judite Sequeira disse...

Comprei o livro para o oferecer ao meu filho do meio, na altura a estudar economia na FEP. Cheguei a casa e a curiosidade despertou-me o interesse. Li o livro num ápice. Super interessante.Também já sofri de ataques de pânico.Também não me acomodo com aquilo que me incomoda.Também eu acredito em mim. Creio que não possamos mudar o mundo, no entanto podemos sempre mudar o nosso mundo. Obrigada, João Ermida!