10 de agosto de 2007

A boîte


Aquela noite era igual a tantas outras.
A única diferença é que eu estava a rever amigos que não via há muito.
Tinha chegado há poucos dias de Paris. O Xico Luís, hoje XL e o Júlio César, hoje JC, desafiaram-me a beber um copo numa boîte meio-rasca, perto de nossas casas e acessível ao nosso bolso.
As mulheres não eram bonitas nem feias. Eram aquilo que os nossos olhos queriam ver. Os meus, vinham cheios de mulheres charmosas e elegantemente vestidas. Não que fossem mais lindas que as portuguesas, apenas mais aprontadas e produzidas.
Já não sei porque carga de água, O XL lembrou-se de me apresentar a elas, como sendo um amigo francês, a passar uns dias em Portugal.
XL, apresentou-me mais ou menos assim: - Voici mon ami Alain, jdfuin fyilin viendu Paris France dyuitet jureu oui oui linsuer huteriy, trés bien.
Claro que, nem ele sabia o que estava a dizer, nem elas percebiam o que ele dizia. Eu, ia ouvindo os comentários, sujeitando-me ao que dali saísse. Entrei no jogo, e lá fui respondendo em francês, o que o XL se encarregava de fingir que traduzia, para as cortesãs.
Lembro-me que eu levava vestido um elegante fato verde, que ainda tenho, e que me assentava na perfeição, há vinte cinco quilos atrás.
Naquela época, em Portugal, não era muito normal dançar sozinho. E, dançar não era propriamente o meu forte. Apenas o fazia para atingir um fim ou para me sentir integrado no ambiente.
JC e XL, lá iam secando os copos, em animada conversa com as meninas, falando de mim e sem me perderem de vista. Claro que elas não sabiam que eu percebia tudo o que diziam. Apenas fingia que não.
Oui para aqui, oui para acolá, lá me fui abanando e sacudindo, ao ritmo dos êxitos da década, como era habitual no meu ambiente parisiense. Abrandei quando uma desavergonhada cortesã, comenta sobre a minha pessoa:
- É pá, o puto é giro, mas … tem pinta de paneleiro!
A abanar-me daquela maneira, não podia esperar outra coisa!
Desde então, mesmo em dias de calor, não me abanei nunca mais!

5 comentários:

Anónimo disse...

Ó Kim abana abana que o teu abanar tem graça que de paneleiro não tens nada.Beijos da Maria

Anónimo disse...

Agora os aparelhos de ar condicionado
resolvem o problema do calor...

I.R.

Anónimo disse...

KIM!
Um dia ainda te vejo com esse tal fato verde, quem sabe vc e o JC, arrumam uma festa de época chamada "ERAMOS TODOS JÓVENS" e tem que se ir vestido a carater.

SPUK

Anónimo disse...

Seria engraçado.Ainda tenho alguns vestidos dessa época,umas mini saias que agora não me servem nem nas orelhas,mas, sempre se arranjava qualquer coisa parecida,mas, era horrivel só de ver a figura tão diferente de 48Kg para 85 o que vale é que isto está bem distribuído,senão tinha mesmo aspecto de baleia.Dieta meninas para no jantar aparecerem com corpinhos bem feitos senão o nosso amigo Kim obriga o pessoal a passar fome.Bom fim de semana e beijocas.da Maria

carla mar disse...

o verde é a cor dos vencedores!