2 de março de 2007

Cinzas dum blog cremado




Vai longe o tempo que Júlio César, publicava no seu extinto blog, uma mensagem para o seu grande amigo. Abel, o pai.




(June 15th, 2005)

Nunca te fiz um desenho, meu velho. É hoje o dia.
Lá, se é que há lá e podes ver, aqui te deixo um traço de circunstância.
Sei que poderás sorrir da lembrança mas, sabes, há momentos em que me lembro das nossas conversas e das tuas "noites de muitos dias sem dormir".
Fica o desenho para o "reencontro impossível".
O teu camarada vai estar na clandestinidade do espaço. Lá, onde se vão juntar as vozes dos que teimam em não morrer.
Por aqui a vida segue.
Até qualquer dia.

6 comentários:

Anónimo disse...

obrigado QUIM.
abraço AMIGO.
jc

Anónimo disse...

A falta que aquele Blog faz...
Poucas palavras que diziam tanto...
I.R.

Anónimo disse...

Concordo!
Também sinto falta do blog do JC, por vezes irreverente, por vezes contestador, por vezes emotivo, mas sempre sincero, mas, muito, muito agradável de ler.

Volta JC.

Spuk

cristina disse...

Emotivo este texto.
Bom fim de semana!

carla mar disse...

BEIJO BOM c saudades, p ti JC...
adorei a foto do teu pai :)
quero ler-te...

Anónimo disse...

JC a Maria ordena que entres novamente com um novo blog,A tua imaginação não tem limites.beijo