24 de fevereiro de 2010

Júlio Amaro - mais além

Meu querido Amaro

Faz hoje três anos que partiste.
Quando novos projectos se conjecturavam no litoral da vida. Quando o leque de amigos se alargava a todos os sectores, Quando a tolerância mais se instalava em ti. Quando tinhas ainda muitos segredos por desvendar.
Lembro o olhar de soslaio que me deitavas quando a esperança era uma dúvida e a certeza uma constante. A fronte baixa e o tronco curvado eram já sinónimos dum homem derrotado prestes a descobrir o que jamais alguém descobriu.
Há dias procurei-te entre um amontoado de cruzes e ali estavas num canto frio junto a um muro já moribundo, sob uma pedra nua, tão despojada de ti. Júlio Amaro! Apenas!
O grande Júlio Amaro não era mais que um a menos na contagem dos vivos, tão certo como o final de todos nós.
Petrifiquei com tamanha visão. Tu, outrora tão pleno de tudo, hoje páramo de solidão.
Inconformado e triste, olhei para dentro de mim e desejei não ser esse o meu fim.
Quero que de mim nada reste. O fogo imolar-me-á e do meu corpo finito não renascerão mais as cinzas.
Amigo Amaro, espera-me no Jardim das Tulherias, no segundo banco à direita.

21 comentários:

Anónimo disse...

Meu querido amigo...
Abraço-te

Isabel

Anónimo disse...

Meu querido amigo...
Abraço-te

Isabel

Osvaldo disse...

Kim;

Certamente que o Júlio te esperará no Jardim das Tulherias com o banco bem asseado e com um montão de novidades para contar. Porque lá onde ele se encontra,... a vida continua.

Um abraço Kim e bjs para L&L

da Ana e Osvaldo

Je Vois la Vie en Vert disse...

Claro que o teu amigo Júlio está a tua espera no Jardin des Tuileries, bem como no de Tabuaço e em todos os jardins que escolheram !

Sabes, que eu até gostei desta campa, bela na sua simplicidade !
A minha última morada, gostava que fosse num grande relvado, só com uma cruz branca mas infelizmente, em Portugal, não há. Isto é o que idealizo mas afinal.... meu caro amigo Kim, tu que tens Fé, esqueceste que aí só está um corpo que é a película que temos na terra ? Todo o belo interior, a alma do teu amigo está muito bem tratada onde está !

Um beijinho amigo da

Verdinha

Zé do Cão disse...

Kim

às vezes apetece-me dar um pontapé nisto tudo.

Estamos os dois numa de nostalgia.
Tens de voltar à terra da Sardinha, do Moscatel e das Laranjas, para correr com estes pensamentos escuros.
Olha, vamos a Troia e lá mostrar-te-ei como a vida é bela.
Um abraço

Laura disse...

Decerto esqueceste de prestar atenção a uma vozinha que vinha de lado, daquele lado onde por vezes sentimos arrepios inesplicáveis, como se alguém nos tomasse pelo braço, pela mão, e nos dissesse coisas lindas, palavras amigas, palavras de esperança no porvir! Era o Júlio junto de ti, feliz por o teres visitado...Com corpo ou sem corpo sepulto, a nossa alma voa na direção que vai levar, mediante o viver, proceder, na terra, na mente!
E decerto não ouviste o Júlio dizer-te que; está bem, ou vai andando cada vez melhor, porque todos temos oportunidades de perdão, de resolver os assuntos, e mais ainda, de resolver o que ficou por resolver e aí entra o amanhã, aquele amanhã onde eu, ele e tu e todos voltarão a renascer no Planeta terra e vivereis como tiver de ser, em pobreza ou riqueza, mas pagando todas as dívidas acumuladas, porque o ser humano é fraco, e por vezes toma atitudes de julgar os outros e querer que os outros vivam de acordo consigo! Puro engano, deixai viver cada um à sua maneira, não vos queirais imiscuir naquilo que só a cada um diz respeito, seja a forma de viver, de amar (mesmo que sintais que vive em pecado!)porque com a medida que medirdes sereis vós medidos amanhã!
Querido Kim, honro a tua forma de ser, de viver, nunca te censurei nada, mesmo quando as coisas parecem ser de outra forma, a vida é tua, apenas te desejo todo o bem do mundo para ti e os teus! sei que me amas da forma que amas, com a ternura e o amor de um grande e querido amigo! Pago-te na mesma moeda, sejamos justos; amor com amor se paga, que frase mais linda!
Admiro-te como ser humano e admirei o gesto lindo de ires visitar o teu amigo à campa, mas não te rales com o que vês por fora na beleza de certas campas e o luxo ostensivo de outras, porque a maioria dos ricos foi devassa, l corrupta (a maioria) e se entre pedras brilhantes o seu corpo descansa agora, as suas almas podem jazer na maior imundicie, tal e qual a que criaram na terra, tal e qual aquela a que obrigaram os seus irmãos a sorver!
Palavras que escuto dentro de mim, palavras que sinto e sei verdadeiras.
Quanto a mim, se houver euros na altura, já pedi para ser cremada, e que deitassem as minhas cinzas metade aqui metade lá...lá na minha terra amada.
Vou procurar um poema sobre isso.
Amo-te Kim, deixa-me dizer-te que te amo à frente de todos,de coração aberto, porque estou a sentir a ternura do Júlio , neste momento e pelos meus olhos correm lágrimas, as lágrimas de saudade que ele chora por ti!Sou sensitiva, se não sabias, ficas a saber!
Laura

Laura disse...

Aqui está, foi escrita quando comecei a dar os primeiros passos na Poesia, e como escrevo o que sai de dentro, doa a quem doer, ficou em verso o meu pedido de ser cremada!...


Quando eu morrer, por favor
Não me enterrem
Deem-me ao fogo ardente
Que arde sem queimar
meu corpo, incadescente.

Quando eu morrer, por favor
Não me enterrem
Peço-vos filhos queridos
E aos meus amigos
Deixem que arda até ser pó
depois repartam ao meio.

Deitem metade na terra que me recebeu
em seu seio!! (Valença)
E a outra metade, levem-na
Ou peçam a qualquer viandante
Que vá para a minha terra distante (Luanda)
E me espalhem, sobre a terra
sobre o mar...
Pois foste tu, Luanda
A única terra, que mais profundamente
Me soube amar!

Está publicada no resteas, em 2007! Há 3 anos que comecei a minha escrita, mais de mil poesias guardas, e muitas ainda escondidas, porque o amor e a dor não são para mostrar a todos!
Enlaço-te no meu abraço. Laura a tua dolce menina (foste tu que me deste o Dolce, que amei!)que adora ser amada por vós, os amigos dos blogues, lógico, só alguns!

Laura disse...

E como disse uma amiga minha ao ler o Poema acima, a minha querida Nôr, a que é vizinha da Isabel, Laura, mesmo depois de morrer ainda vais dar trabalho a meio mundo! Já viste, os teus filhos têm que andar á procura de quem vá para Angola, para te deixar lá as cinzas! Respondi que até eles lá poderão ir, ver e sentir como o meu amor pela terra Angolana era e é real!
Ehhh Kim, daqui nada corres comigo daqui. Um dia bom a todos,e dei também o meu abraço apertadinho ao Júlio! laura

Maria disse...

É o que quero para mim, amigo. Quando há oito anos o meu pai morreu e quiz ser cremado, foi um choque para todos, menos para mim. É isso que quero. A chama purificadora, e depois, se conseguirem, deitem-nas ao meu rio.
É muito mais triste ir ao cemitério limpar o gaveto onde estão os ossos da minha mãe do que pensar que ele, estará sempre no meu pensamento, como um monte de cinzas brancas como o seu cabelo e não como os ossos, que fiz questão de lavar e embrulhar num lençol de linho branco.
Há 38 anos, que no dia 25 de Março, é o mesmo macabro ritual: abrir caixão, mudar lençol, limpar a urna, limpar gaveto, por flores.
Doi muito mais, do que comprar uma só flor e pô-la junto ao retrato do meu pai. Não há nada mais triste do que um cemitério e uma campa, onde já nada resta dos que amamos.
Beijinho, Kim.
Maria

Maria disse...

Não marco encontro ao meu pai. Ele está sempre comigo, saberá onde estou.
Beijinho
Maria

Parisiense disse...

O tempo passa, mas a recordação e a saudade fica.

E isso faz-nos continuar a nossa batalha pela vida.

Ele lá estará no Jardim das Tulherias á tua espera.

Bisous mion ange.

Anónimo disse...

Amigo Kim, talvez dos Post's mais bonitos que aqui li.

Abraço
Pantas

P.S- Ontem fazia 43 anos um Amigo de Infancia ( meu e do Rui ) que partiu faz 20 anos diz 28-02

Laura disse...

inexplicáveis, ressalvo, no primeiro comentário

sentimos arrepios inesplicáveis,
as minhas desculpas pelo erro imperdoável.
laura

Dad disse...

Belíssimo post de um amigo.
Fiquei comovida ao ler-te.
É bom saber-se que depois do desencarne os amigos continuarão
e lembrar-se de nós com amor.

Beijinho grande,

Teté disse...

Os familiares e amigos que partiram vivem sempre dentro do nosso coração! Até ao dia de sermos nós a partir e possivelmente sermos relembrados com saudade por aqueles que ficaram... C'est la vie!

Beijocas, KIM!

Maria Clarinda disse...

Um abraço...grande!Jhs

Laura disse...

Já agora, conhecendo mal a terra ams as Tulherias não são fora daqui? França, por aí?
Ora bota explicadura.
Abraço da laura

Kim disse...

Laura
Situa-se em Paris!
O Jardim das Tulherias é um jardim lindisimo e enorme. Fica ao lado do Louvre e foi nesse jardim que um dia me sentei, com o Júlio Amaro, a comer uma ssnduiche, como de resto foram quase todas as nossas outras refeições enquanto lá estivemos, durante uma aventura francesa do Amaro. Mas isso é outra "estória"
Consultei entretanto a Net e verifiquei que ali existiu um grande palácio, onde moraram vários soberanos, incluindo Napoleão.
Um dia um extremista louco deitou fogo ao palácio e dele nada restou, apenas ficou o jardim.
Bj

Laura disse...

Era isso, bem me parecia que era lá fora, embora aqui copiem nomes pomposos, era isso. Que bom que estiveram lá os dois e pelos vistos, não morreram de fome por comer sandes...É a vida senão nada haveria para recordar.
Beijinho a ti e ao Júlio, sempre, Boa noite, e tive um amigo chamado Júlio, faleceu na África do Sul, um grande amigo, mas a vida leva-nos os amigos da alma se não for de uma forma é de outra!
Laura

Laura disse...

Anseio ouvir a outra história do Júlio e tua, contada ao pormenor, gosto de saber da vida dos amigos, o que foi, o que não foi e como te sei bem agora, feliz fico porque se coisas más ouve, é sinal de que tudo se ultrapassou, são escolhos do caminho!...
Abraço e quem sabe um dia estaremos nalgum dos nossos passeios com o grupo e vamos sentar-nos naquele banco do vosso jardim das Tulherias, olha, quem sabe... as viagens são mais baratas agora, do que daqui ao Algarve.vamos aproveitar?
jinho da laura

Anónimo disse...

Amigo JR Um Grande Abraço.
O.R.