11 de julho de 2008

Sorvete - uma miragem


- Bom dia minha senhora, posso tirar-lhe uma foto?
- Oh, o meu tempo já passou! Há por aí tantas raparigas bonitas, porque é que quer tirar-me um retrato?.
- É que há muito tempo que não via uma pessoa da sua idade comer um gelado fora duma esplanada e sentada no chão e ainda por cima por cima, com um calor destes, vem preparada para a chuva.
- Olhe senhor, todas as segundas feiras costumo vir a esta feira (Fundão) com o meu homem, mas hoje ele estava aflito com os bicos de papagaio e então ficou em casa. É que, vir à feira é melhor coisa que me podem dar. E sabe uma coisa? Quando era cachopa, aquilo que eu mais gostava era dum sorvete, mas isso era coisa de ricos. Hoje isto já está um bocadito melhor e então como ninguém estava a ver, não me aguentei.
E olhando o horizonte do céu, como se procurasse O divino perdão, penitenciou-se baixinho – “mas … que o meu homem não saiba de nada”.

10 comentários:

BLOGADOR disse...

Excelente instantâneo social!
Tanto quanto sei, a vida levou o Kim para actividades de negócios (neste momento, no ramo dos seguros), mas estou convencido de que o país teria lucrado bastante, se tivesse enveredado pelo caminho da política.

Rita Loureiro disse...

Achei um máximo a menina de idade avançada a deliciar-se com o gelado,quero chegar a idade dela ou mais, e fazer o mesmo,pareçe ser bem disposta e feliz.

Bjs kim,gostei muito

carla mar disse...

GELADOS E XUPA-XUPAS... ADOROOOO :)

não há marido que me impeça de papá-LOS.

Anónimo disse...

Desde sempre, como o sorvete, e adoro, quando ele começa a derreter, e quase a escorrer pela mão...
Não há idade para o fazer, são os pequenos prazeres da vida
...esconder do marido...o que deseja?
bjinhos
bela

jrom disse...

uma grande lição.
Não é necessário muita coisa para se tirar prazer da vida

Anónimo disse...

Gostos pequenos e prazeres tão grandes!!!

Momentos tão simples e com tanto sabor
Bom fim de semana com sabores intensos

Isabel

Anónimo disse...

Como é fácil ser feliz para quem é simples! Como eu amo esta simplicidade! Como gostava de ser assim!
Outra coisa: político, o Kim???
Ele que tem tanta sensibilidade, tanta poesia, na alma, ser político?
Não estou a ver.
Maria2

Anónimo disse...

muito bom, a ingenuidade das pessoas e a sua simplicidade, tornam as pessoas realmente um ser especial...
claudio gabriel

Kim disse...

Político, talvez não. Mas acho que seria um bom padre.
Quis o destino que não fosse nem uma coisa nem outra, apesar de andar lá perto.

Anónimo disse...

Numa casa portuguesa fica bem
pão e vinho sobre a mesa.
e se à porta humildemente bate alguém,
senta-se à mesa co'a gente.
Fica bem esta franqueza, fica bem,
que o povo nunca desmente.
A alegria da pobreza
está nesta grande riqueza
de dar, e ficar contente.

Quatro paredes caiadas,
um cheirinho á alecrim,
um cacho de uvas doiradas,
duas rosas num jardim,
um São José de azulejos
mais o sol da primavera,
uma promessa de beijos
dois braços à minha espera...
É uma casa portuguesa, com certeza!
É, com certeza, uma casa portuguesa!

No conforto pobrezinho do meu lar,
há fartura de carinho.
e a cortina da janela é o luar,
mais o sol que bate nela...
Basta pouco, poucochinho p'ra alegrar
uma existência singela...
É só amor, pão e vinho
e um caldo verde, verdinho
a fumegar na tigela.

Quatro paredes caiadas,
um cheirinho á alecrim,
um cacho de uvas doiradas,
duas rosas num jardim,
um São José de azulejo
sob um sol de primavera,
uma promessa de beijos
dois braços à minha espera...
É uma casa portuguesa, com certeza!
É, com certeza, uma casa portuguesa!

REVOLTEM-SE MULHERES HUMILHADAS!

BV