25 de julho de 2008

Hasta siempre Cuba


Reinava ainda Fidel.
Da janela do meu quarto, no Hotel Tryp Habana Libre, em Havana, vislumbrava um largo circundado por um maciço arbóreo, repleto de gente.
Curioso em saber o que ali se passava, desafiei o Bruno a dar uma olhada naquilo.
Descemos! Cá fora, à porta do hotel, um corrupio de jovens, sedentos de pequenos mimos capitalistas, abordava tudo o que era turista. Como de costume, tínhamos algo para lhes oferecer já que de Lisboa havíamos levado um pecúlio de coisas simples para nós, luxuosas para eles.
Perguntei então a um deles a que se devia aquele ajuntamento. Era apenas a loja mais famosa de gelados de Havana. E para comer um gelado daqueles não importava que fossem necessárias algumas horas para o saborear. Afinal não havia muito para fazer e comprar um gelado era já um ritual obrigatório.
Completamente abananados com o que víamos, decidimos ir até junto do balcão para ver o aspecto dos gelados, já que não tínhamos a menor intenção de os comprar, pois tínhamos à nossa frente aquela tão grande quantidade de povo. Ficaria para outro dia, pensámos. Mas não. Surgido, não sei de onde, um jovem (militar?) aconselhou-nos a avançar e a ser servidos à frente de toda a gente. Era mesmo assim. O turista tinha prioridade e preço diferentes.
O cubano pagava pelo gelado, três pesos (vinte cêntimos) enquanto o turista pagava pelo mesmo gelado, três dólares, ou seja, quinze vezes mais. Achei bem. Não pela prioridade, mas pelo modo de vida dum povo onde o sol abunda, mas não para todos.
Até o grito da revolta ecoa diferente.
A título de curiosidade este hotel serviu de quartel-general aquando da revolução que levaria Fidel ao poder, era eu uma criança.
Que povo maravilhoso este, que vive e morre com um sorriso nos lábios!

13 comentários:

BLOGADOR disse...

Um país onde um turista passa à frente na extensa fila de pessoas porque pode pagar um gelado a um preço 15 vezes superior ao normal, não pode ser um país feliz para os seus cidadãos viverem, independentemente do regime político vigente.
Mas provavelmente, os alemães pensarão o mesmo em relação a Portugal: um país onde os administradores de topo ganham em média 35 vezes mais que o ordenando mínimo nacional, enquanto a média da UE a 15 é de 5 a 7 vezes, não pode ser um país justo para os seus cidadãos.

Anónimo disse...

ADORO QUANDO ESCREVES AS TUAS MEMORIAS.

SPUK

Anónimo disse...

Kim:
Como eu gostava que "Cuba Libre", não fosse apenas nome de bebida!
Maria

Anónimo disse...

Ok Kim qual será pior: estar na fila algumas horas para comer um gelado ou estar na fila dez anos para se ser operado?

Ou quereres um médico e só se tiveres dinheiro porque se não vem cá daqui a tantos meses......

E será que Cuba Libre equivale a Cuba antes de Fidel? A Cuba do Fulgêncio Batista, em que Cuba era um casino dos Américas?

Que achas Kim?

Seve

Kim disse...

Amabas são más. Antes e depois.
Já foi um casino dos americanos como já foi uma colónia da URSS. Venha o diabo e escolha.
Oh Seve, não te esqueças que há ditadores de esquerda e de direita!
E até do centro. A ditadura reina por todo o lado, até no lar de muita gente.
É que eu sou contra qualquer tipo de ditadura e de falta de liberdade. Não me posso agarrar aos cuidados médicos e à igualdade (por baixo) para acreditar em qualquer tirano que queira mudar o mundo.
Sabes o que acontece a um cubano RESIDENTE, se disser que não está de acordo com o regime de Fidel (agora Castro)?
Não é bonito estarmos aqui os dois com opiniões diferentes sem ninguém nos enclausurar?
É a isto que eu chamo liberdade e ... quem a tem chama-lhe sua.
O que eu gosto é do povo, não do regime!

Anónimo disse...

Bom Fim de Semana em liberdade.É
como eu gosto de viver...
Filas para gelados só no Santini em Cascais...
beijinhos
bela

Osvaldo disse...

Caro Kim;
Excelente a reportagem memória.
Pobre povo que na sua terra dá (se não leva)sempre prioridade aos outros.
Esse povo, que passa a vida com um sorriso nos lábios, será para mostrar alegrias, ou esconder tristezas ?!...
Enquanto isso, o "Patrão dos Charutos de Havana" nem precisa ir para a fila para comer um gelado, porque este lhe é servido em primazia e numa bandeja de prata.
Áh,... esta dita democracia.
Parabéns pelo artigo.
Um abraço

jrom disse...

Cada vez mais estou com as histórinhas da Branca de Neve, Gata Borralheira, ou Principe Valente.
Sabiamos que a Bruxa Má existia e os maus. Bastava uma hora de leitura com entusiasmo e o mal sucumbia.
Vejam bem as coisas que me davam para ler. Agora não sei onde está o bem nem o mal,escondem-se

Anónimo disse...

Ja li tanto disparate sobre Cuba e a Revolução cubana que nem vale a pena atiçar mais. Estive em Cuba e não vi nada disto. Vi o que vejo cá. Aliás no Algarve a subserviência é maior...porque até a nossa própria lingua traímos com tudo escrito em Inglês. Mas tudo bem. O Kim vê as cidades e os Povos com os olhos dele e eu com os meus. Hasta la Victória siempre! Pátria o Muerte Che!
:) jc

Anónimo disse...

COMANDANTE:
o bankete terminou.
espero ordens.
che(z) moi.

Anónimo disse...

Kim não se trata de ditadores de esquerda ou de direita, agora quando se visita um país e se vem com queixinhas e só para se dizer, porque é um regime de que não se gosta, que há filas para um gelado em Cuba é, sinceramente, anedótico!

Eu também sei avaliar o que é mau e o que é bom mas o que te pergunto é: aonde é que há liberdade?

E sabes bem que gosto do melhor, ao fim e ao cabo, o que toda a gente gosta, seja cubano, angolano, americano ou alentejano!

Será que um país é livre quando o seu 1º. ministro e o Presidente da República glorifica um governo em que o Povo (de Angola) morre à fome e os dirigentes são uns autênticos trogloditas que arrebanham tudo e não deixam nada....

Referes que não te podes agarrar aos cuidados médicos mas, para não pareceres ridículo, não te agarres às filas dos gelados, para vilipendiar um povo que há mais de 40 anos luta não contra Fidel mas contra um bloqueio infame e vergonhoso que os donos do mundo e da liberdade lhes têm imposto!

Seve


26/7/08 20:05

Parisiense disse...

Ainda não fui a Cuba mas é um dos meus proximos destinos.....
Vamos ver se devagarinho as coisas se compoem para lá.......desde que não vire a rebaldaria que está a virar este n/Portugal!!!!!!!!!

Anónimo disse...

A propósito já foste ao Dubai? Então quando lá fores certamente virás a falar da maravilha que são aqueles centros comerciais, aqueles lindos edifícios, só é pena é que não saibas como é que eles foram feitos......deverias ter visto ontem comentário sobre os trabalhadores que os cosntruiram, indianos/paquistaneses/chineses, autêntica escravatura, num país de suprema liberdade, o supra-sumo do ultra-liberalismo......

Autêntica escravidão da idade média, imposta pelos guardiões da liberdade:-Ingleses/Franceses e, fundamentalmente, os polícias da liberdade:EUA.

Seve