13 de setembro de 2010

Fumar or not fumar

Fumar é uma escolha! Um vício! Um prazer!
Para quem não fuma e é alérgico ao tabaco, é um verdadeiro suplício.
Para quem já fumou, sabe que tal acto é um verdadeiro prazer.
Para quem está entre as dez e as onze, tanto pode lidar com gregos como com troianos.
Se é certo que o tabaco incomoda, também o é saber que o fumador é tratado como um proscrito.
Atentemos na foto e vejamos a humilhação a que uma pessoa se sujeita. Convenhamos no entanto que é tão mau, para quem não fuma estar ao lado dum tabagista, como para quem fuma estar ao lado dalguém que nem lhe suporta o cheiro.
É que, é muito fácil estar do lado do contra, seja ele qual for, só que o nosso egoísmo apenas nos faz olhar para as nossas opções.
Eu, que já fumador fui, ainda hoje tenho saudadinhas dumas boas fumaças. Assim a saúde o aconselhasse e o medo de males maiores no ar não pairasse.

O que faz mal não é fumar, o que faz mal é o exagero!
Parafraseando um amigo, dizia-me ele – eu vou morrer doente e tu vais morrer com saúde.
Assim fosse! Tão simples como isto!

10 comentários:

Mariazita disse...

Na qualidade de ex-fumadora posso dizer que foi a melhor opção que tomei nos últimos dois anos (quase, faltam 20 dias para fazer 2 anos). O tabaco estava a prejudicar a minha saúde. Foi uma decisão difícil, adiada várias vezes, mas finalmente "deu-se o clic" - como costumo dizer - e deixei!
Conheço algumas pessoas que na mesma situação ficam absolutamente insuportáveis - tornam-se anti-tabagistas ferrenhas (e incomodativas!!!)
Não sei porquê - talvez porque sou, por natureza, tolerante, não me incomoda minimamente que fumem ao pé de mim.
De qualquer modo compreendo que possa ser muito desagrável, para quem não fuma, ter que suportar o fumo do tabaco.
Mas... se vamos a falar de direitos... penso que os direitos são iguais, e a convivência tem que ser feita na base da compreensão e da boa educação.
E que não se esqueçam, os não fumadores, que não é fácil deixar de fumar; pelo contrário, é muito, muito difícil. Eu ainda hoje fumo em sonhos ;)))))))))))))

Boa semana. Beijinhos

JE VOIS LA VIE EN VERT disse...

Olá amigo Kim,

O fumo não só me incomoda pelo cheiro mas provoca-me logo uma falta de ar, sendo asmática de infância. Eu nunca fumei a não ser a vez em que experimentei à escondida aos 11 anos e uma vez com uns cigarros especiais da Paula Raposo só para a fotografia... Estás a pensar "especiais ?" Não, não eram charros ! Não sei bem se não tinham sabor a chocolate ou a café...
O Leo que já fumou (mas pouco) agora também fica com a mesma irritação dos brônquios.
Realmente é chato o ostracismo dos fumadores mas é uma questão de saúde e de liberdade. Eles é que escolheram prejudicar a sua saúde. Não têm direito em prejudicar a saúde dos outros.
As férias foram boas ? Vais contar-me isso em pormenor, em breve, espero eu !
Beijinhos
Verdinha

Zé do Cão disse...

Então será por isso.
Para mim que não fumo, que nunca senti o real prazer de sentir o paladar do tabaco, não compreendo como há tanta gente que diz que é impossível parar. Mas... quando apanham um cagaço e sentem o medo de
se transformarem num dos utilizadores vitalícios do jardim com tabuletas, o largam imediatamente e deixam de poder olhar para ele.
O meu melhor amigo, o Albano que foi protagonista de alguns dos meus contos, sofreu atrozmente pelo facto de ter sido fumador até 20 anos, acabando por falecer.
Um abraço, meu grande amigo, para a Mariazita, uma beijoca grande amiga, ambos ex-fumadores

Teté disse...

Bom, como fumadora a grande alteração que senti quanto este anti-tabagismo militante ganhou forma de lei, foi que se acabaram as tertúlias de 6ª - a cervejaria de bairro pôs lá o dístico vermelho e todas deixámos de lá ir, passando a encontrar-nos noutros locais ou em casa de cada uma. Mas deixou de ser a mesma coisa, que aquele era o poiso, os outros tem de se combinar, nem sempre apetece... e ali bastava aparecer!

Não sendo fundamentalista - vou a restaurantes onde não se pode fumar, embora prefira os outros, mesmo com espaços diferenciados - a história de ir beber um copo ao fim da tarde com as amigas e não poder fumar, corta metade das conversas, com o corrupio para a porta... :)

Mas o fundamentalismo continua e depende um bocado dos fiscais encarregues de impor a lei - este ano, no Algarve, numa esplanada aberta e arejada também era proibido fumar, porque o fiscal insistiu, enquanto noutras se podia fumar normalmente.

Alguém morre saudável? Há sempre qualquer coisa que falha, não é?

Beijocas, Kim!

SEVE disse...

MARK TWAIN ao fazer setenta anos:-impus-me a seguinte regra de vida:
-não fumar enquanto durmo;
-não deixar de fumar enquanto estiver acordado e
-não fumar mais de um cigarro de cada vez.

Maria disse...

Kim
Sou fumadora assumida desde os 15 anos. Sinto prazer em fumar, acalma-me e ajuda-me a manter-me calada quando não quero responder.
Deixar de fumar, não deixo. Tento não incomodar ninguém que não fume, e nunca fumo ao pé dos meus netos. Dou-me ao trabalho de ir fumar para a varanda para não chatear o João (ex-fumador), não fumo em locais proibidos. Só me chateiam alguns não fumadores, sobretudo os que já o foram, querem convencer que só não deixo de fumar porque não quero. Eu não quero mesmo. Não precisam de mo repetir tantas vezes.
Se me fizer mal, é comigo. Sou dona da minha vida e não abdico de uma das poucas coisas que ainda me dá momentos de prazer.
Gostei do texto.
Beijinho
Maria

Andre Moa disse...

Caríssimo Kim,

Aqui está um tema que me leva ao rubro. Tal como a ponta de um cigarro aceso. Fumei durante dezassete anos. Fumava como um cavalo, dizia eu, até que me dei conta de que estava a ofender os inocentes equídeos, que nunca fumaram na vida. Já não fumo há trinta e quatro anos. Já vi morrer o meu maior amigo, com um cancro nos pumões, porque muito fumou. Já vi morrer uma grande amiga com um cancro nos pulmões, pelo muito fumo de tabaco que ingeriu, passivamente, em reuniões de trabalho e na sala de professores do liceu onde leccionava, ela que nunca fumou.
Quem é que nesta história é e não é fundamentalista? Os que fumam para dar alimento a um vício arreigado, arrogando-se o direito de conspurcar o ambiente à sua volta e colocar em perigo a saúde dos chamados fumadores passivos? Porque é que a nossa querida Maria não fuma ao pé dos netos? Porque, é óbvio, os respeita, os ama e não quer ser a causa de alguma doença grave próxima ou remota que os possa vitimar. Hoje em dia, com os conhecimentos que qualquer um de nós já possui quanto aos malefícios do tabaco, não pode falar-se em direitos iguais. Os valores, logo os direitos, em causa são de dimensão bem diferente: o "direito" dos fumadores resume-se a satisfazer um vício (chamem-lhe prazer, se quiserem ser contemporizadores e enganar-se); o direito dos não fumadores é tão só o primeiríssimo dos direitos humanos: o direito à vida, o direito à saúde, o direito a um ambiente salutar, a não serem incomodados por quem se contenta e compraz em lançar para as fuças dos outros umas bafuradas de fumo venenoso. Não é fácil deixar de fumar, como não é fácil deixar de injectar heroína, ou a um alcoólico deixar de consumir álcool. Não é fácil, mas não é impossível. Haja vontade firme de emenda, que hoje em dia, felizmente, já vai havendo ajudas eficazes. Não queiram os fumadores lançar no ar uma nuvem de fumo por forma a confundir e julgar iguais valores de dimensões abissalmente diferentes e de grandezas que ninguém ignora ou ousará questionar.
Abreijos
André Moa

JE VOIS LA VIE EN VERT disse...

Um beijinho de parabéns ao meu amigo benfiquista.
Verdinha

Maria Soledade disse...

Olá Amigo Kim;Eu me confesso uma fumadora inveterada.Sigo à risca as regras do Seve.

Fumo porque quero,porque me dá prazer,porque o cigarro é uma boa companhia.Só é chato quando resolve fazer "estragos", mas se não for ele, alguém os fará no seu lugar.Tenho visto fumadores a morrerem velhinhos e não fumadores a morrerem também(novos), com cancro dos pulmões!!!Nós fumadores estamos mais sujeitos?Supostamente sim,mas não é uma certeza absoluta,porque certezas ninguém as tem!...

Sinto-me ostracizada sim.Pareço/emos uns criminosos que andamos a matar tudo quanto é gente boa!!...Sejamos razoáveis porque tudo o que cheira a fundamentalismo é muito doentio...

*******Atente-se à quantidade de fumaça que apanhamos na fuça de um escape de automóvel.Aí,nuns escassos minutos, quantos cigarros fumamos?!!!!!

Beijinho Kim

******Ah, já agora:Porque estará tanto tempo o presunto no fumeiro?!!!

Laura disse...

Ahhh, o que me ri com a nossa Sol... a pariga tem razão. Atentem no fumo do escape do carrito que levamos com eles nas fuças quer queiramos ou não, pode ser proibido mas eles andam ali... Boa Sol, só tu para te lembrares disto.

O presunto precisa de fumo para ficar saboroso, curado, logo, bora lá fumar mais um maço de AC (em Luanda) aos 17 no Cine S. Paulo eu e a Landa, pagamos o maço a meias, parece que custava 50$00 ou menos que isso, e havias de ver aqui a je a botar fumo plos olhos, engasganço, mas a fazer de conta que já era uma fumadora inverterada, ah o mais bonito foi d emanhã quando o pai foi ao escritório da empresa e um funcionário dele lhe disse que viu a laurinha a fumar no cinema...escusado será dizer o resto...Bom, o raspanete foi tão à maneira que ainda hoje não me atrai...mas fumei muitas vezes ao longo da vida, pura mania, o vicio nunca o tive, domei-o...mas se fumei mais de 50 cigarros em toda a vida, já foi muito.

beijinhos da laura e aquele abraço apertadinho...