14 de novembro de 2008

Resposta dos professores


E NOS BOLETINS ESCOLARES, ESCRITOS PELOS PROFESSORES:

1) Chegou ao fundo, mas continua a escavar....

2) Em progressos rápidos para o zero absoluto!

3) Tem as pretensões de um cavalo de corrida e os resultados de um burro.

4) Participa muito... no bom ambiente da turma.

5) Por vezes volta-se para olhar para o quadro.

6) Dorme na aula, sobre o teclado ou o tapete do rato, segundo a urgência.

7) Só acorda para ir tomar café ao intervalo.

8) Alguns progressos, mas continua nulo.

9) Por vezes deixa de ir tomar café para ir às aulas.

10) Faz enormes esforços... para se aproximar da janela.
11) Num boletim do 12º ano: "Sabe ler, em breve saberá escrever".

6 comentários:

Osvaldo disse...

Caro Kim;
Esta é provávelmente uma das piadas mais aproximativas da realidade. Aliás, penso que neste teu post a anedota já suplantou em verdade a actualidade do nosso ensino.
De quem é a culpa!!!, será da crise?... e se é da crise,... qual delas?.
Um abraço, caro amigo.

Anónimo disse...

Kim:
Faltou dizer que: O aluno já não bate ao professor. Manda lá os pais.
O aluno, já não usa navalha de ponta em mola, usa pistola.
Quando insulta, não é só o professor, insulta a família toda.
O aluno, já não fuma em locais fechados, só se droga.
Isto, fui eu a imaginar, mas não está longe da verdade.
Maria2

carla mar disse...

Muito poderia ser dito, mas aos poucos toda a sociedade tomará conhecimento do mal estar que se vive na educação.
A educação é a base de toda a cultura de um povo, e as regras que a orientam são um problema nacional.
Acima de tudo, neste momento, penhoram-se os pilares de sustentação de uma sociedade: A EDUCAÇÃO (um erro que terá consequências muito sérias no futuro).

Beijo meu ;)

Verdinha disse...

Boa Kim ! Gostei muito !
Nesta crise, o melhor é rir !
Beijinhos verdinhos

BLOGADOR disse...

Os miúdos e os graúdos que frequentam as escolas do ensino público nacional - via ensino e via profissional, são gente que apesar de não parecer, na sua maioria têm muita cultura geral, absorvida pela internet e pelos variadíssimos canais temáticos televisivos. O que obriga os professores a estar muito bem preparados nas matérias a leccionar, porque os alunos têm um espírito muito crítico e ainda bem.
Mas a par disto, uma grande percentagem destes "miúdos" são oriundos de bairros problemáticos e oriundos de famílias em que um ou ambos os "digníssimos" progenitores se demitiram da função de pais.
Ora, os professores que têm cada vez mais de estar em constante actualização e aperfeiçoamento dos seus conhecimentos, têm também de exercer a função de educadores e de polícias dos "meninos" e de alguns pais dos "meninos".
Para "completar o ramalhete", vem o ministério da educação "carregar" os professores de reuniões, mais reuniões, mais algumas reuniões e ainda mais reuniões, de turma, preencher "toneladas" de fichas de avaliações e ainda avaliar os colegas. E o ministério faz isto deliberadamente para arranjar um "bode expiatório" para o insucesso escolar, quando sabe muito bem que o problema é de cariz sócio-económnico, mas o que importa são as estatístas para "Europa ver".
Portanto, também nesta matéria o país continua a viver "mergulhado" numa grande mentira mas para a maioria da população isso não interessa nada. Desde que os árbitros não roubem os seus clubes de futebol, o país "vai de vento em popa".

Anónimo disse...

Mas depois lá temos os tais psicólogos como por exemplo, Daniel Sampaio e, sobretudo, esse grande CROMO Eduardo Sá que dizem bacoradas deste tipo: se a criancinha bate no pai não há que replicar há que explicar!!!!!!!

Seve