1 de outubro de 2012

História do corneteiro




Nos primeiros tempos da fundação da nacionalidade - tempo do nosso rei D. Afonso Henriques - no fim de uma batalha o exército vencedor tinha direito ao saque sobre os vencidos.
(Saque - s. m. : acto de saquear. Roubo público legitimado).


Pois bem, após uma dessas batalhas, ganha pelo 1º Rei de Portugal, o seu corneteiro lá tocou para dar "início ao saque" a que as tropas tinham direito e que só terminaria quando o mesmo corneteiro desse o toque para pôr “fim ao saque”.

Mas, fruto de alguma maleita ou ferimento, o dito corneteiro finou-se, antes de conseguir tocar o "fim ao saque".

E, até hoje, ninguém voltou a tocar, anunciando o fim do saque.
Afinal a culpa é mesmo do corneteiro!...
Não haverá por aí alguém que conheça o toque ?

Nunca vi tanto saque, do 25 de Abril para cá. Até lá, só Alves dos Reis!
Agora ... é fartar vilanagem!

12 comentários:

rosa-branca disse...

Olá Kim, então meu amigo os corneteiros que cá temos não precisam de toque. Vale tudo e é pela calada. Assim não correm o risco de algum se finar. Gostei desse texto hilariante e até estava a precisar de rir, nem que seja amarelo. Beijos com carinho

Juba disse...

É bem verdade o que dizes, bom amigo.
Nos tempos modernos, nós somos os vencidos, não obstante a maioria ter votado nos saqueadores. O filha da mãe do corneteiro finou-se, e quando alguém aparece e tenta afinar alguns toques logo os saqueadores se unem e dão-lhe com a corneta. Até quando pergunto eu? Uma coisa é certa, os merdosos, são muito valentes, mas já mandaram vir polícia especial da "estranja" . ver correio da manhã de hoje.

Juba disse...

Aproveito o teu blogue para daqui saudar a Rosa-Branca.
o meu abraço

Maria disse...

Belíssimo post, Kim amigo!
Beijinho grande
Marie

laura disse...

Lindo, lindo...todos os corneteiros deviam ter um sucessor... mas nestes gajos que por lá andam não vejo nenhum a jeito...

Gostei, nem sabia da história (ahhhh)


beijinhos.

laura

Teté disse...

Pois, parece que não há corneteiro para dar o toque final e, mais, os que há já não se lembram da música... ;)

Beijocas, Kim!

elvira carvalho disse...

Gostei. Mas os desgovernos que nos vão saqueando dia a a dia nem precisam corneteiros.
Um abraço

BlueShell disse...

Aha...corneteiros...precisam-se...e com urgência!!! Senão nem o "coiro" se nos salva!

beijo , meu querido amigo.
BShell

Green Knight disse...

Instrumentos há por aí quem toque muitos!...Agora o tal corneteiro, finar-se naquela hora, foi mesmo traição à Pátria.
Como é que isto vai parar?..."Se calhar a toque de caixa", como dizem na minha terra.
jrom

Anónimo disse...

O Gaspar em serviço

xl

Janita disse...

Olá Kim!
Já andava com saudades!
Recebi via e-mail uma história de um corneteiro que me parece um pouco idêntica.
Não há direito, esse corneteiro finar-se antes do toque final. :)
Acho que o teu anigo Green tem razão, isto agora só vai a toque de caixa.

Beijinho, querido Kim.


SEVE disse...

Inda por cima a maioria (essa e não só) ladrões autorizados!