29 de março de 2011

Cão - a quanto obrigas

Claro que este maravilhoso animal não obriga a nada. E não obriga porque faz parte do bom senso de que tem um animal de estimação e companhia, dar-lhe o tratamento que a sua dedicação e fidelidade merecem. É muito bonito, já para não dizer moderno, ter um cão e eu bem gostaria de ter um, não em apartamento mas sim em moradia. Até aí eu entendo. O que já não entendo é a facilidade com que se leva o animal à rua e aí se utilize a casa de banho pública, qual relva de jardim ou passeio, sem se puxar o autoclismo. Por outras palavras, sem se fazerem desaparecer os respectivos dejectos. Infelizmente há ainda muita gente que não se mune do imprescindível saquinho plástico, para que quem vier atrás não pise. É elementar e faz parte das boas regras de educação e respeito pelo próximo. Admiro imenso as pessoas que sacrificam o seu bem estar, às vezes ao frio e à chuva, para levaram o canídeo à rua, coisa que o meu egoísmo sempre negou. Certamente que alguns dos amigos que aqui me lêem são donos dum ou mais cães e terão opiniões diferentes mas estou certo que todos estarão de acordo quanto à impunidade que ainda existe quanto à praticabilidade deste acto cívico. Às vezes - se o cão é o melhor amigo do homem, já este não é o melhor amigo do cão.

17 comentários:

Anamaria disse...

tenho seis cães,mas meu jardim é bastante grande e eles não saem de casa. São higienicos, os cães. Vão sujar bem longe de onde dormem e como dormem pertinho da casa, não há problemas. Mas, devia ser lei: dono de cão é obrigado a levar saquinho para recolher a sujeira deles, na rua. Lei com multa. Só assim as pessoas aprendem!

Je Vois la Vie en Vert disse...

Concordo inteiramente contigo mas, entre nós, acho que os portugueses melhoraram muito. No início da minha vinda para Portugal, deitava-se as coisas no chão, cuspia-se em plena rua, não havia reciclagem do lixo nem aqueles saquinhos oferecidos para recolher os dejectos dos cães. Sem obrigação nenhuma, muitas pessoas zelam para não incomodar os outros e para respeita e proteger a terra.
Na minha terra, infelizmente, há tantas regras de separação do lixo, tantos impostos para isso, tantas obrigações (como de ter que se deslocar de carro a um sítio único onde tem contentores próprios para cada espécie de lixo - e como fazem os idosos ? ) que as pessoas acabam por guardar o lixo em casa ou o depositam em qualquer sítio à escondida. Ainda por cima a recolha nem é feita todos os dias, depende das câmaras.
Bom, isto não tem bem a ver com os cães mas afinal sim : acho que as pessoas estão tão fartas das regras impostas e veem tanto lixo espalhado pelas ruas que não se importam com mais algum... Cada vez que volto à Bélgica, fico triste por ver a sujidade que existe agora e que não existia dantes. Também é preciso dizer que a Bélgica foi invadida por muitos povos que não se importam com as regras que acabou por mudar os seus hábitos...
Acho que antes de multar é preciso educar.
Beijinhod
Verdinha

Maria disse...

Kim
Quando o meu "Nabão" ia à rua, agora as artroses não o deixam ir à rua, era o dono que o leveva, junhtamente com os respedtivos sacos para apanhar o que ele fazia.
Agora vai à varanda, onde tenho um balde e uma esfregona, faz o que tem a fazer, nós limpamos bem e, está o caso arrumado. Dá trabalho mas, ele merece.
Está velhinho, tem as pernas de trás doentes mas, vale a pena.
É uma alegria chegar a casa e, tê-lo à espera, feliz e acolhedor.
Amigo fiel e certo, que nos olha com uma ternura verdadeira, que vive as nossas alegrias e tristezas. Nem quero pensar que um dia o perco. Está muito velhinho.
No entanto, acho uma falta de respeito pelos outros, ver dejectos espalhados pelos passeios e ruas.
Beijo
Maria

Laura disse...

Olaré, devia ser proibido ter cães em apartamentos, eu tenho, claro, digo isto porque os pobres deviam adorar um quintal, correr, escavar buracos enormes, arrancar as flores..há quem tenha casas e os tenha acorrentados porque estragam o jardim...o Shaka levo-o ao xixi o resto é o manel e o nuno que vão para outro lado e levam saco, vai dar a volta com ele e ele corre, brinca, e vem todo contente pelo exercício... se sou eu levo o saquito sempre, nada custa, mas vejo muita gente a olhar disfarçado a ver se alguém está a ver...e pimba, é nas ruas, passeios, e é feio sim senhor, parece que não sabes como é a nossa raça..a maioria...e os fiscais devem estar ocupados a beber o cafézito deles, a cervejinha, enfim...

Um beijinho da dolce.

Parisiense disse...

Pois eu tenho uma linda Cookie, que faz as suas necessidades no jardim....mas tem um cantinho que lhe é destinado....e ela sabe.

Também acho que os donos é que são os culpados....porque eles coitados fazem as necessidades onde os deixam fazer.

Bisous mon ange.

Anónimo disse...

Ai que bonito que é
Passear o cãozinho pela trela
Mas não se esqueça do saquinho
Para apanhar a cagadela


(com música do pingo doce venha cá)

Por um Portugal livre de dejectos

XL

Céu Arder disse...

Oi, Kim!

É um deleite ler-te...
Escritor, sim, e em todos os pontos e vírgulas!

Ando numa ocupação constante, por conta de meus afazeres, mas o que existe de BOM, a gente jamais esquece.

Fui ao meu primeiro blog "Poema & Cantos" e vi lá seu comentário, hoje.

Surpresa, vim dizer-te. E aproveitei, para ler-te...

Repito: um deleite!

Abraços
da Céu

Céu Arder disse...


Kim!

Tive de voltar...
Na ânsia de me desculpar, esqueci-me do principal que é comentar o texto.
E diaga-se de passagem, é um de meus assuntos prediletos, porque tenho uma cadela pastora; chama-se Bia e posso dizer que é "minha filha" por tanto que nos amamos...

Adotei-a aos 30 dias e hoje está com 10 anos.
Vou fazer um post com ela, lá no Poemas & Cantos"...
Fiquei inspirada pela tua crônica magnífica sobre esses donos de cães sem consciência.

Minha Bia é muito limpa e construiu seu próprio banheiro lá no canto do muro. Está sempre linda, cheirosa e ENORME...


Um abração canino, para o amigo!

Anónimo disse...

Concordo:"cócó de cão é para apanhar do chão";E pontas de cigarro não se atiram para a rua".
Muito oportuno.Despertar é ensinar!

Ter um cão foi uma experiência
maravilhosa.Recordo-a com grande frescura de memória,"cheguei a sentir-me culpada por lhe dar tanto afecto:" (Ainda a sinto).
Bem-haja
Anali

Teté disse...

O que acho piada em posts sobre este tema, é que aparecem logo uma série de donos de cães a afirmar que com eles não é assim, limpam todos escrupulosamente os dejectos do bicho! Resta saber então a quem pertencem os que ainda pululam nas ruas e jardins... Será que são só de cães vadios? :)))

Mesmo assim, acho que a coisa tem melhorado um pouco nos últimos anos. Lembro-me de passar em ruas aqui do bairro, em que tínhamos de andar aos SSS no passeio para não pisar tanta porcaria. Ainda há lá muita, mas na verdade em menor quantidade... e não será só porque alguns cães já morreram! ;)

Beijocas, Kim!

RS disse...

A hora dos cocós dos cães sem saco de plástico é entre as cinco e as seis da manhã. Os donos têm vergonha de ser vistos.
Eu, por vezes tenho de sair a essas horas e lá está o "desfile" canino. Por vezes interpelo os donos. Baixam a cara e seguem.

Júlio disse...

Perguntei a um vizinho meu que passeava seu caõzinho, se não ia apanhar o que animal acabava de fazer, respondeu-me com ar muito ofendido, "com quem é que pensa que está a falar!?"

Não lhe respondi à pergunta em concreto, optei por lhe perguntar se não tinha vergonha, mas fiquei a saber exatamente com quem estava a falar...

Júlio disse...

Perguntei a um vizinho meu que passeava seu caõzinho, se não ia apanhar o que animal acabava de fazer, respondeu-me com ar muito ofendido, "com quem é que pensa que está a falar!?"

Não lhe respondi à pergunta em concreto, optei por lhe perguntar se não tinha vergonha, mas fiquei a saber exatamente com quem estava a falar...

Júlio disse...

Perguntei a um vizinho meu que passeava seu caõzinho, se não ia apanhar o que animal acabava de fazer, respondeu-me com ar muito ofendido, "com quem é que pensa que está a falar!?"

Não lhe respondi à pergunta em concreto, optei por lhe perguntar se não tinha vergonha, mas fiquei a saber exatamente com quem estava a falar...

Céu Arder disse...



O Julio (é também o nome de meu amado pai português)demonstrou a "tolerância dos sábios", no seu comentário acima...

Realmente, o "senhor" em questão deu-se a conhecer pela atitude de lambisgoio... *rs*

armalu,blogspot.com disse...

Os animais são amorosas os donos é que não prestam.

Anónimo disse...

VERDADE OU MENTIRA?

O ESCÂNDALO do Santuário de Fátima em relação ao abate de animais é conhecido de muitos, mas ninguém ainda conseguiu parar esta crueldade.
http://casegas.blogspot.com/2011/03/o-escandalo-do-santuario-de-fatima-em.html?spref=fb

XL