2 de julho de 2010

As escolhas do Seve - O homem duplicado

Admito que Saramago não seja um escritor de leitura fácil (tal como era polémico, mas acreditem a polémica é das situações que mais contribuem para o progresso do homem e da humanidade) mas é um escritor soberbo (com ou sem vírgulas…...), ele é um artista das palavras, tal como CR7 é um artista da bola, como o nosso António Silva era um comediante impagável, como o nosso António Villaret era um declamador notável, como o nosso Kim é um artista da amizade, como, afinal o nosso JC é efectivamente um belíssimo actor.
Creio, contudo, que este não será um Saramago difícil, não será talvez o seu melhor livro, mas mesmo assim uma óptima leitura com um final surpreendente, em que as últimas páginas me deixaram acordado até altas horas da madrugada.
Leiam e digam-me depois se as letras portuguesas (e consequentemente a nação) não devem muito a este notável Português.

19 comentários:

Maria Clarinda disse...

Olá Kim...há muito que não andava pela blogosesfera, mas hoje aqui me tens, e resolvi amanhecer junto aos amigos. Obrigada pela partilha. Jhs

Maria disse...

Não conheço o livro. Mas vou lê-lo de certeza.
Obrigada pela dica, Seve e Kim.
Maria

Parisiense disse...

Porque sugeres vou exprimentar ler esse.....mas se me acontecer como ao ler "Memorial do Convento", ou o "Evangelho Segundo Jesus Cristo", ou ainda "Todos os Nomes".....do qual comecei e nunca consegui ler mais que uma duzia de páginas......até te bato....hahahah

Bisous mon ange et bon Weeck End

Zé do Cão disse...

Toma lá que é para saberes.

Prepara por isso os custados, olha que a Parisiense é mulher do norte.

Abraço

Cristina disse...

Bonne fin de semaine, Kim.
A tout bientôt,bisous.

Verdinha disse...

Sorry, mas não tenciono gastar os meus tostões para ler um livro que não vou ler...
Mas se alguém quiser oferecer-me o livro, poderei substituir o 1/2 comprimido (que tomo de vez em quando quando não consigo adormecer) por algumas linhas, com ou sem pontuação, e de certeza que virá o sono rapidamente !

Beijinhos, Kim

Verdinha

Osvaldo disse...

Se o Seve aconselha o livro, até acredito que seja uma leitura interessante (para alguns), porque certamente não nos aconselharia não importa o quê,... mas sinceramente, dou preferência aos autores nacionais!.

Um abraço Seve e ainda havemos de abrir um Don Perignon Vintage lá em terras do Dão, a acompanhar uma boa sardinhada.
E quem disse que uma boa sardinhada não merece o melhor champagne?!...

Um abraço Kim e bjs para L&L e para Setembro tudo está no bom caminho (ou nas boas (!) estradas monárquicas de Tabuaço!...).

da Ana e Osvaldo

Laura disse...

Obrigada Seve amigo, mas jurei que nunca mais queria ler este escritor. Não gostei de alguns livros que comecei e não é agora que vou começar a gostar...
Pode ser o expoente máximo da Literatura, mas, acredita que não vou conseguir ter bons momentos.

Isso, isso Osvaldo..o Seve podia ir ter connosco a Tabuaço...prefiro água da fonte da Ribeira da Moa... e dar um abraço apertadinho ao Seve...mas venha lá um cadito de champanhe para comemorar no próximo Setembro..e ainda lá estive há uma semana..soube pela vida e como viste consegui muito bem ir lá dar e andar plas estradas Monárquicas de Tabuaço...com o Moa ao lado!
Beijinho da laura

Mariazita disse...

Olá, Kim
Acontece-me uma coisa engraçada. Quando me falam nalgum livro de Saramago a minha resposta imediata é: adorei esse livro!
Ontem, em conversa com a minha filha, tive oportunidade de verificar isto mesmo. Estávamos em frente duma montra que expunha os livros de Saramago, e começamos a ver de quais tinhamos gostado mais.
Tanto eu como a minha filha lemos os livros todos dele. Não conseguimos decidir de qual gostámos mais :)))
A Jangada de Pedra é óptimo; Ensaio Sobre a Cegueira é uma maravilha; O Homem Duplicado é belíssimo... etc., etc., etc. Até mesmo Terra do Pecado, o primeiro livro que Saramago escreveu, é bom.

Não digo mais nada. Parece-me que vou ser crucificada :))) mas não posso dizer o contrário do que sinto, e a verdade é que ADORO os livros de Saramago.

Uma noite feliz. Beijinhos

Laura disse...

Exactamente que se deve dizer o que se sente, logo, acho bem, ninguém precisa de fazer de conta, gosta? que óptimo, detesta? tanto pior...mas cada um seja uno.
Kim, por onde andas?????
Beijinho da dolce.

Anónimo disse...

Depois de reler o que por aqui vai e ter recebido este ensinamento por e-mail não resisti de o trancrever para a qui, pois acho que vem mesmo a propósito.

LIBERDADE-TOLERÂNCIA -RESPEITO POR TODOS,
O MUNDO SERIA MELHOR
_______________________

Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente,
quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado.
Ele vira-se para o chinês e pergunta : - Desculpe, mas o senhor acha mesmo que o defunto virá comer o arroz ?
E o chinês responde :
- Sim quando o seu vier cheirar as flores !!!...

« Respeitar as opções dos outros, em qualquer aspecto, é uma
das maiores virtudes que um ser humano pode ter.
As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente.
Nunca julgue. Apenas compreenda ».

Teté disse...

Bom, como nunca consegui ler nenhum livro dele não vou comprar. Mas se porventura me o oferecerem - recebo sempre livros de presente no Natal e no aniversário - hei-de verificar se ao menos esse consigo... ;)

Obrigada pela sugestão!

Beijocas a ambos!

RS disse...

Está na lista.

RS disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Laura disse...

Querido anónimo que não posso afiançar, mas quase que juraria que sei quem é!minha querida nina!...

É isso que digo e repito para mim, e é isso que faço, não podemos anular-nos como seres humanos e concordar com tudo, lógico, mas, um pouco de sabedoria não fica mal a ninguém...e se aliada à sabedoria deitássemos uma pitada de bondade, ah, cada vez melhor, melhor, melhor...
Por isso tento respeitar todos, só que quando vejo alguém que gosta de polémicas por tudo e nada e manda bocas que acabam por magoar alguém, quem tem vontade de voltar?

Mas o homem ainda hoje pensa que é e será sempre o melhor, logo...Haja calma que aquele que for um bom homem será sempre amado como tal...os que se fartam de escrever mau grado o orgulho e a pretensa sabedoria, sem pensar que magoam, ah, isso cairá sobre os seus ombros mais cedo ou mais tarde!

Bela lição anónimo, belíssima.
aquele apertadinho abraço da laura, não importa que sejas quem penso, ou nem sejas, a lição cheia de sabedoria chega-nos do País dos provérvios... e das frases bem escritas...

laura

Francisco Rosa disse...

- « Respeitar as opções dos outros, em qualquer aspecto, - Concordo
- é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter.- Não sei se é das maiores, mas é uma virtude

- As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente.- Concordo 100%

- Nunca julgue. Apenas compreenda »-Discordo 100%, esta posição conduz à carneirada, se carneirada é forte, mudo para rebanho
Se cada pessoa não tivesse julgado, avaliado, formado juízo a cerca de Saramago, como escritor, como político, crítico das religiões, etc, não haveria opiniões divergentes livremente expressas, mas uma silenciosa compreensão ou talvez não existi-se Saramago
XL

Laura disse...

XL o que ri perdida com o termo; se carneirada é forte, mudo para rebanho... Boa, boa...

Não formei juizo, apenas não gostei do que li, apenas e tão somente isso. Mas sei que nalguns aspectos o homem que ele é, era alguém de que gosto como pessoa, pois era um bom amigo!(do seu amigo)

Um abraço da laura.

Fátima disse...

Olá KIM. Passei mais uma vez por aqui e apeteceu-me também deixar um comentário a propósito do tema. Na minha opinião, Saramago é sim uma pessoa com muito valor, reconheço que, com um estilo de escrita menos acessivel a todos. Mas é o dele e cada um tem o seu. Também na minha opinião, o problema para que dele não gosta será, ou um preconceito de "cor" e/ou incapacidade para o entender. E já agora, deixa-me dizer-te que também gosto muito dos poucos textos teus (que ainda li) e da forma como expressas os teus sentimentos.

Fátima disse...

eh pá isto ficou aqui um bocado atabalhoado... mas, para bom entendedor, meia palavra basta.