26 de março de 2010

As escolhas do Seve - O tigre branco

O Tigre Branco é uma publicação de 2008 e é um dos livros mais corajosos e inteligentes da última década. O autor, indiano radicado nos EUA, descreve o percurso de vida de Balram, um jovem indiano, pobre nascido entre os mais pobres. No entanto, Balram desde cedo revela a inteligência e a ambição que o levarão a galgar os degraus do sucesso até se tornar um empresário de sucesso na “nova” Índia.
O livro está escrito em forma de cartas ao primeiro-ministro chinês, reforçando desde o início o paralelismo entre as duas grandes potências emergentes no novo quadro geo-político e económico mundial.
Vale a pena ler a Índia aqui descrita, a mais inacreditável injustiça social e um autêntico reinado de corrupção.

Uma sociedade apodrecida pela ganância que vai acentuando as diferenças entre aquilo que o autor considera serem as “duas Índias”: a da Escuridão, onde os pobre se digladiam por uma sobrevivência precária e a da Luz, onde a ganância domina a vida de uma classe capitalista sem escrúpulos.
As antigas tradições daquela velha Índia, daquele mundo encantador de Deuses que convivem em paz e harmonia com os homens, parecem ter desaparecido. No espírito do autor, todo esse misticismo não passa de folclore para mostrar aos ocidentais.

15 comentários:

Teté disse...

Li há uns três anos outro vencedor do "Man Brooker Prize" (2006) - "A Herança do Vazio", de Kiran Desai - que foca igualmente os problemas da sobrevivência na Índia de hoje, onde, ao contrário, ninguém consegue ser realmente bem-sucedido, com empregos precários e ilegais em NY, onde ficam sujeitos a ser repatriados. Gostei muito do livro, até porque me deu a conhecer facetas que desconhecia completamente.

Se apanhar este por aí, é caso para ponderar a sua leitura... :)

Beijocas!

Maria disse...

Vou tentar ler o livro. A Índia diz-me muito. Por isso, tenho seguido com toda a atenção, os postes de Antunes Ferreira, onde se fica a conhecer a antiga Índia Portuguesa, como é actualmente, seus costumes (alguns muito influênciados por nós), os monumentos que lá deixámos, e eles tão bem conservam. Mas vou ler o livro, sim, amigo Seve.
Beijinho Kim
Maria

Laura disse...

Bom, a verdade é que já não leio á muito, andar por aqui tira-me o folego e aqui aprende-se também, acho que só vou recomeçar a ler, quando a minha alma estiver no patamar certo, naquela de felicidade como tu sabes...enfim.Aquele abraço e outro ao Seve, da laura

Paula Raposo disse...

Estou a lê-lo neste momento.
Beijos.

Cristina disse...

Bom fim de semana,Kim.Até muito brève!!!
Bisous.

Osvaldo disse...

Caro Seve;

Como ando em atraso na leitura, tentarei "infiltrar" esse livro entre os dois que estou consumindo neste momento.
Deverá valer a pena pelo entusiasmo com que o Seve fala do livro. Confesso que não conheço essa publicação mas vou tentar descobrir. Talvez em francês a Editora tenha-lhe dado outro titulo.
Um abraço aos dois.
Osvaldo

Green Knight disse...

Como está escrito o Seve é bom concelheiro sobre literatura.
Já li alguns livros que ele me
sugeriu,chegou o momento de voltar.
Para mim a India e o Tibete,são
fontes de conhecimento.
Estou a terminar um livro que é uma viagem física,antropológica e espíritual,à India.
"O Homem que Procurava o
Sentido da Vida",de Ramiro Calle.
Beijocas e bom fim de semana.
Mariana

Anónimo disse...

“a mais inacreditável injustiça social e um autêntico reinado de corrupção."

"Uma sociedade apodrecida pela ganância que vai acentuando as diferenças”

“onde os pobre se digladiam por uma sobrevivência precária “

“onde a ganância domina a vida de uma classe capitalista sem escrúpulos.”

PORTUGAL?????????????

ACERTOU!!!!!!!!!!!!!!!!!

O CAPITALISMO É IGUAL EM TODO O MUNDO!!!!!!!!!!

QUANTOS POBRES SÃO PRECISOS PARA HAVER UM RICO?????

FR

Anónimo disse...

“a mais inacreditável injustiça social e um autêntico reinado de corrupção.

Uma sociedade apodrecida pela ganância que vai acentuando as diferenças”

“onde os pobre se digladiam por uma sobrevivência precária “

“onde a ganância domina a vida de uma classe capitalista sem escrúpulos.”

PORTUGAL?????????????

ACERTOU!!!!!!!!!!!!!!!!!

O CAPITALISMO É IGUAL EM TODO O MUNDO!!!!!!!!!!

QUANTOS POBRES SÃO PRECISOS PARA HAVER UM RICO?????

FR

Anónimo disse...

“a mais inacreditável injustiça social e um autêntico reinado de corrupção.

Uma sociedade apodrecida pela ganância que vai acentuando as diferenças”

“onde os pobre se digladiam por uma sobrevivência precária “

“onde a ganância domina a vida de uma classe capitalista sem escrúpulos.”

PORTUGAL?????????????

ACERTOU!!!!!!!!!!!!!!!!!

O CAPITALISMO É IGUAL EM TODO O MUNDO!!!!!!!!!!

QUANTOS POBRES SÃO PRECISOS PARA HAVER UM RICO?????

FR

francisco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bichodeconta disse...

Mea culpa, mea culpa mea máxima culpa, não me posso pronunciar sobre o que não conheço..Vou resolver essa questão, vou ler e depois direi de minha justiça.Seguramente é uma boa obra, só isso explica a escolha de pessoas bem informadas, bem formadas e inteligentes..Um abraço, Ell

Anónimo disse...

Considero um dos melhores livros que li nos últimos tempos e a passada semana li o último lançamento deste autor "Entre os assassinatos", a ler também sem reservas. Aliás já o transmiti ao meu amigo Severino. Neste momento estou a ler "Barranco de Cegos" do nosso Alves Redol que tão esquecido tem andado.

Anónimo disse...

Seve disse...
Pergunta o FR

QUANTOS POBRES SÃO PRECISOS PARA FAZER UM RICO

Curiosamente já Almeida Garrett perguntava e respondia a esta questão e sabem quando: no século XIX
Portanto esta é uma luta como a do Constantino JÁ VEM DE LONGE

Nota:-Conhecem certamente a fama do Constantino?

Parisiense disse...

Como em tantos outros países.....
È a isto que chamam um grande país.....grande em tamanho, pequeno para o seu povo.

Beijokitas