27 de abril de 2013

PAI - uma saudade tão diferente!

                                                   (no serviço militar - aos 21 anos)

Não pai, tu não completarias hoje noventa e dois anos, mas sim uma vida inteira - a minha. Tu apenas atingiste um estado mais adiantado da vida.
A que nem sei se viveste. A que te passou ao lado como se mais nada houvera. A que te fez temer o futuro, que é hoje o meu presente. A que foi tua afinal.
Fico a pensar nos mimos que te diria, se não tivesses hoje olhos de quem não existe. E escolho recordar-te na fogosidade da vida, já que na outra te remeto para os momentos cinzentos da mesma. Sim, que pai meu não é homem de pantominices e o filho não lhe segue as pisadas.

Tu, que não gostavas das cores poéticas do ser humano, pelo pragmatismo que colocavas  em tudo, deixa-me contrariar-te e dizer-te que afinal também foste o meu poema. Desculpa lá!
Como eu gostaria de ter sido um pai como tu! Tão presente! Tão amigo! Tão quase sem defeitos!

Pai, perfeito escopo da decência, obrigado por teres feito de mim um homem feliz!

Tarde se descobre como faz falta um pai!

11 comentários:

ematejoca disse...

Que texto comovente e belo sobre o teu pai, que era um pai perfeito e um homem muito bonito.

Desculpa, Kim, eu ser fútil, mas a beleza é para mim uma espécie de arte.

Luminoso fim-de-semana!

São disse...

O teu pai era um homem muito bonito.

Se , muito mais importante do que o exterior, foi um pai exemplar, então, parabéns a ti e a ele!

Feliz fim de semana


Kim disse...

Teresa e São!
O meu pai era de facto um homem bonito também exteriormente.
Se voltarem ao post que publiquei antes deste, ele é a mesma pessoa que fala com espelho, numa fase em que já não sabia qual era o seu reino.
Tenho imenso orgulho em ambos os meus pais, porque viveram apenas para os filhos,o que é extraordinário.
E quantos filhos podem dizer isto?
Felizmente alguns, eu sei!

ᄊム尺goん disse...

Sabe, ontem eu vi este vídeo que te deixo o link e fiquei emocionada. senti muuuita saudade do meu paizinho que qdo hospitalizado e ja naquela fase de transição, eu chegava para ficar com ele, ao lhe pedir a bençao, eu perguntava: o senhor sabe quem sou? e ele sorrindo dizia: sei sim, você é o meu anjinho, a que coloca musica (cantos gregorianos). foi comigo que ele se desligou desta vida e foi encontrar-se com a minha mãe (ele me disse: anjo, você esta vendo o meu amor, a Nina, ela esta linda num vestido florido, ela veio me buscar)

[contém 1 abraço emocionado)

http://www.youtube.com/watch?v=XXfmmui7WBw

Catarina disse...

Gosto de afirmar que o meu pai era um homem muito bonito. Assim como um Paul Newman. : ) Não chegou a viver a meia idade. Ainda tenho saudades dele. Compreendo perfeitamente os sentimentos que nutres pelo teu pai que tb era “uma boa figura de homem” .
Abraço

Teté disse...

Infelizmente, descobri isso cedo demais! E hoje, quase 29 anos volvidos desde que o meu partiu, ainda lhe sinto a falta.

Mas gostei muito desta tua homenagem ao teu pai.

Uma grande beijoca, Kim!

Verdinha disse...

Também me emocionei ao ler as tuas palavras ao teu pai, pela sinceridade delas e por me lembrar do meu pai e da minha mãe que partiram em 2011.
Este homem bonito deixou uma bela herança : 3 filhos com os valores em que acreditava.
Os meus pais também viveram apenas para os filhos e com 90 e 93 anos, tiveram o descanso merecido.

Bom fim de semana, meu amigo !
Beijinhos
Verdinha

Janita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Janita disse...

Mais uma vez me deixas com os olhos húmidos, com as tuas recordações e homenagens àqueles que tanto amaste e já partiram, Amigo Kim.
Fica-nos sempre a ideia que poderíamos ter feito mais do que aquilo que fizemos, mas tu foste um filho exemplar e deste aos teus Pais todo o amor e assistência possível. A saudade, essa, viverá contigo até ao fim.

Um grande abraço e um beijinho, querido Kim.

papoila disse...

Bonita homenagem, aprecio muito as pessoas que publicamente sentem vontade de mostrar ao mundo o quanto alguém foi importante nas suas vidas.
Ele teria adorado saber que foi um excelente pai.
Vendo a foto e lembrando o post do Café da minha Vida, devo acrescentar que os Homens aí de casa são todos lindos :)))

Maria disse...

Amigo:
O teu pai foi para ti, aquilo que o meu foi para mim. Um pilar de força física e moral, que nos amparava enquanto foram vivos. Agora, sem essa força, são as recordações que nos amparam.
Abraço-te comovidamente.
Petite Marie