24 de setembro de 2011

Zé do Cão - um homem a descobrir!




Habituei-me a ouvir falar dele, tanto a Norte como a Sul, ora em terras lusas, ora em terras de Vera Cruz.
Daquilo que dele ia lendo, Zé do Cão era uma espécie de bon-vivant, com memórias cheias de "partidas" presenteadas ao longo da vida, a todos com quem de perto privou e não só. O cognome era sugestivo, mas mais seria ainda se fosse Zé das Mulas. Terá preferido a lealdade do primeiro em detrimento do pejorativo do segundo.

Habituei-me a imaginar como seria a sua verdadeira imagem, já que a foto que enunciava o seu blog não passava dum simples desenho dum camponês alentejano com um canito a seu lado, do qual, com mutação havida, hoje só resta o canídeo.

Habituei-me a perceber que a vulnerabilidade deste homem era perfeitamente penetrável e apetecia-me descobri-lo.

Não foi difícil chegar ao Zé. Passaram já três anos, mas lá cheguei e por lá fiquei, entrando no seu mundo, onde, entre Palmela e a Galiza se vai deliciando com as especialidades gastronómicas de que é adepto ferrenho.

E descobri uma personagem interessantíssima, riquíssimo de vivências atribuladas e estórias mil.

Cavalheiro, dos pés à cabeça, é um verdadeiro gentleman a tempo inteiro.

Este Zé mexeu comigo, pois nele me revejo em tempos imemoriais e dele guardarei as memórias partilhadas quando o arcano Anael não mais estiver em mim.

A ti meu amigo, reservo a certeza de te sentir presente.



16 comentários:

Maria disse...

Amigo Kim
Este Zé que, eu só vi uma vez, caiu-me no goto.
Acho um piadão às histórias dele e, foi uma boa surpresa tê-lo conhecido.
O Zé é um senhor. Afável, de conversa fácil, tocando todos os assuntos com interesse e muita sabedoria. Gosto das histórias, gosto dos seus comentários delicados, gosto dele, pronto.
Um beijo para cada um da
Maria

Diamantino disse...

Caro Amigo Kim! Partilho da sua opinião sobre este amigo comum, com quem me cruzei pessoalmente por duas vezes. Acho muita graça às histórias dele contadas no blogue. Versam habitualmente partidas por ele pregadas aos amigos e colegas. Pessoalmente também é assim, um contador de partidas, algumas quase inarráveis. Como aquela da poia de m… que ele colocou na gaveta onde um colega guardava o lanche.

Um abraço amigo.

Magia da Inês disse...

°º✿
º° ✿Olá, amigo!
✿♥ ° ·.Eu também sou fã de Zé do Cão e das histórias que ele escreve... linda homenagem a um amigo.
°º✿
º° ✿✿♥ ° ·.Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil

nacasadorau disse...

Gostei imenso de conhecer finalmente o rosto do Zé do Cão e não só.

Tivemos em tempos idos, um "desentendimento" por causa das pulgas da Dona Antónia Adelaide Ferreira.
Parece anedota, mas ele deve lembra-se do que falo :)))
Agora riu-me mas na altura fervi em pouca água e ataquei o Zé e mordi no cão e tudo :)))

É bom guardar através deste texto, do vosso encontro, outra imagem.
Muito bom mesmo.

Beijinhos a ambos.

Je Vois La Vie en Vert disse...

E verdade, Kim, o nosso amigo Zé é o que contas dele.
é bem verdade que ele é um gentleman e estar na sua companhia é bem agradavel !
Beijinhos da minha terra longiqua para os dois.
Verdinha

José María Souza Costa disse...

CONVITE

Primeiro, eu vim ler o seu blogue.
Agora, estou lhe convidando a visitar o meu, e se possivel seguirmos juntos por eles. O meu blogue, é muito simples. Mas, leve e dinamico. palpitamos sobre quase tudo, diversificamos as idéias. mas, o que vale mesmo, é a amizade que fizermos.
Estarei grato, esperando VOCÊ, lá.
Abraços do
http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

BlueShell disse...

Um belo texto de homenagem a um bom amigo!
Então esse é o "nosso" Zé do cão, hein???
E com todos esses atributos (apenas adivinhava alguns).
Muito bem, gostei da "revelação"!

deixo beijo.

Osvaldo disse...

Kim;

Como sempre a fazer justiça aos "justos" do nosso tempo.

O Zé, que sempre que vem ter connosco esquece o cão em casa, é uma figura ímpar, agradável, com uma simpatia invulgar, bom comunicador e um daqueles amigos que gostamos sempre de ter por perto e que nos enriquece não só com a sua amizade mas com o "montão" de histórias reais que tem para nos contar.

Hoje o Zé, por toda a a amizade demonstrada e fidelidade aos encontros, é uma figura integrante e integrada no GT.

O Zé do Cão é daqueles amigo que queremos ter e sentir por perto. Obrigado Zé do Cão,... obrigado Kim por continuares a revelar aos outros, pessoas que merecem todo o nosso apreço, estima e amizade.

Um abraço para ambos.

Osvaldo

Ps.- Acabamos de chegar às terras Alpinas.

Janita disse...

Olá Kim!

Já me tenho cruzado com os comentários teu amigo Zé do Cão, aqui no teu blog.
Agora aguçaste-me a curiosidade e irei fazer-lhe uma visita com muito agrado.
Gosto, quanto te vejo homenagear aqueles que estimas, pois sei que o fazes com o coração.
Pois se a especialidade do Zé for contar histórias, tem aqui uma leitora atenta e interessada.
Beijinho para ti e outro para ele.
Janita

Teté disse...

Só encontrei o Zé uma vez, num almoço com muita gente, tive pena de não ter oportunidade de falar mais com ele, pois estava noutro canto da mesa... Mas gostei dos poucos minutos em que conversámos, porque aqui da blogosfera já o conhecia há um tempo!

Há pessoas assim, com quem dá gosto conversar ao vivo e não só no mundo virtual! :)

Beijoca para ti, Kim, e outra para o Zé! :D

Fernanda disse...

Kim!

Tens bom gosto :)
Também eu adoro o que a Maria José Areal escreve.

Hei-de ir ao Zé do Cão.
Espero que ele não me solte o cão !!!

Beijinhos

Zé do Cão disse...

Mas o que vai para aqui meu DEUS.
Eu sou lá merecedor duma homenagem destas. O Kim tal como eu, não passa de uma criança grande (que raio de comparação; ele é um GRANDÃO, um Gulliver, e eu não passo de um pigmeu). Recordas do espantalho alentejano de Borba, da festa das Castanhas, que serviu muito tempo para representar a figura do Zé Cão, publicitando o Azeite da Região. Eu também recordo o nosso primeiro encontro no almoço da Parede em que conheci
tanta gente boa e com quem trocava comentários nos seus blogues. A MARIA que me reconheceu imediatamente sem ter visto anteriormente qualquer fotografia minha, todos os outros presentes gente boa maravilhosa, a Fotografa
e a sua Mana, de ti Amigo já estava mais identificado, mas o Osvaldo e a esposa, a Verdinha e o marido, a Teté, a adorável Laura e tantos mais que não esqueço.
Quero aqui confessar, que tinha um uma vontade, um desejo enorme
de conhecer uma personagem que me fascinava o MOUA. Que homem maravilhoso, que vontade férrea de viver,que amigo dos amigos, que poeta, que escritor, que homem sábio e comunicador. Daqui, das terras de Azeitão vai a minha mensagem, para que esteja muitos anos entre nós, gostamos muito dele e faz-nos falta.
A todos que desejem visitar o meu cantinho, tenho a porta aberta, espero-os. Sou um mortal com virtudes e defeitos como todos os outros, sinto-me honrado com as palavras do Kim e aos amigos que comentaram este texto, o meu abraço forte...
Kim, foste um maroto, hei-de vingar-me. Nem que seja derrotar o teu "Benfas". A vingança serve-se fria.


Parisiense disse...

Kim, mas estavas a espera de quê????
Zé de seu nome, só isso já indicava a personagem em si, n'est-ce-pas!!!! ahahah
Pois é os Zé(s) são assim....:))

Só tu para render homenagem aos teus amigos assim tão bem...nada mais a acrescentar....
Beijokitas

São disse...

Partilho inteiramente a opinião aqui expressa acerca desse maravilhoso ser humano que é o nosso querido amigo Zé.

Conheço milhares de pessoas, até pela profissão que exerci. Mas, de coração, este Senhor é uma maravilha de sensibilidade e cavalheirismo, que merece toda a felicidade do mundo.

Aqui lhe deixo o meu apertado e grato abraço, desejando-lhe saúde e felicidade junto aos seus.

Green Knight disse...

Tive o prazer de partilhar a mesma mesa com este, grande senhor de nome estranho.
Não vou repetir, o que já foi dito,mas não deixo de acentuar, que possui um trajecto de vida riquissimo e dá prazer escutá-lo.
Um abraço de um seguidor atento
jrom

elvira carvalho disse...

Bom, não há muito tempo que descobri o Zé. Achei piada ao canito, que vi não me lembro em que blogue. Cliquei em cima e fui até ao seu blogue. Aí como sempre que entro num blogue novo, li os três últimos textos e adorei. Depois o Zé é um quase vizinho e falava uma linguagem que eu conhecia bem. Daí a ficar seguidora foi um pulinho. Curiosidade de conhecer o Zé? Bom tinha alguma mas nada por aí além. Imaginava-o mais ou menos como a fotografia mostra.
Parabéns por esta homenagem a um amigo.
Um abraço e bom Domingo