11 de maio de 2011

A Feira do Livro - e eu!

Findara o dia. Igual ao de ontem, do mês passado, de há muitos anos.
O 746 levava-me directamente ao Parque Eduardo VII e não hesitei um segundo em nele entrar e ir até à Feira do Livro.
Às vezes, sabe-me bem deixar de lado as mordomias e o conforto burguês a que nos vamos habituando, usando a nossa carripana para tudo e para nada. Quando a isso não sou obrigado, é-me grato entrar num qualquer autocarro e sair onde me apetecer. Assim fiz desta vez, só que havia a diferença dum destino traçado.
No autocarro entretive-me a ler os
rostos dos velhos que iam entrando. À esquerda, à direita e quase colados no meu olhar, ei-los a desfilar me na mente, imaginando a beleza que outrora cada rosto daqueles terá encerrado. É estranho que os problemas da vida me deixem ainda tempo para reflectir sobre uma realidade, já tão próxima da que à minha frente galopa. Mais estranho ainda é que consegui também saltitar nas suas vidas e nos seus problemas.
Provavelmente não terei acertado. Certamente constatei uma realidade. Passamos ao lado uns dos outros sem que o ego se transporte para a margem oposta.
O rei está na barriga e eu já começo a ter alguma. Que pena!
Quando não tiver para onde olhar, restam-me “os amigos” que adquiri, à espera que o impulso os devore.

Às vezes - eu e todas as espécies de feiras, falamos a mesma linguagem!



12 comentários:

Zé do Cão disse...

Carago, gostei deste texto. Será da minha barriga ? Seria por ter conhecimento da Feira do Livro, por ele?
O mais provável é por ter tido o mesmo sentimento.
Não querem lá ver, agora que estamos todos bem na vida, agora que finalmente sentimos a igualdade a fraternidade que nos prometeram e mais uma data de coisas a acabar em "dade", como por exemplo "idade", antevejo o arrumar de «botas».

Abraço amigo Kim

Janita disse...

Olá Kim!
Que beleza de texto escreveste. Deliciei-me a ler.
Não achei nada estranho que tu te tenhas debruçado na "leitura" do rosto daqueles velhos que seguiam no mesmo autocarro.
É assim que eu te imagino: atento e receptivo a tudo! Vendo com os olhos da cara e do coração, o mundo que te rodeia, e até aquele que mais distante está!
Tu, rei na barriga?- Ná...podes ter é alguma bejequita a mais!

Esses "amigos" que adquiriste na Feira do Livro, são tesouros valiosos que te esperam, sem perder a paciência nem a lealdade.

É assim que os vejo e os sinto.
Tenho a certeza que tu também.

Beijinhos meu querido Kim.

(PS: Adorei o alegre cantar do Melro)

Parisiense disse...

Este ano ainda não tive tempo de ir a feira nehuma do livro...
Estou mesmo a precisar de me acalmar e parar de correr....:)))

Boa leitura.
Bisous, mon ange.

Je Vois la Vie en Vert disse...

Olá Kim,

Conseguiste recuperar a tua mensagem ! Eu não consegui tive que refazer a mensagem que tinha deixado no blog do coro mas felizmente, tinha guardado o teu comentário !
Os autocarros são uma espécie de livros, descobre-se um pouco da vida das pessoas olhando para eles, estudando os seus comportamentos. É outro estilo de cultura.
Amanhã vamos juntar a música à cultura cantando na Feira do Livro !
Bom fim de semana !
Beijinhos
Verdinha

Anónimo disse...

Zé do Cão deixou um novo comentário na sua mensagem "A Feira do Livro - e eu!":

Carago, gostei deste texto. Será da minha barriga ? Seria por ter conhecimento da Feira do Livro, por ele?
O mais provável é por ter tido o mesmo sentimento.
Não querem lá ver, agora que estamos todos bem na vida, agora que finalmente sentimos a igualdade a fraternidade que nos prometeram e mais uma data de coisas a acabar em "dade", como por exemplo "idade", antevejo o arrumar de «botas».

Abraço amigo Kim


Publicada por Zé do Cão em Às vezes - fim de semana a 12/5/11 07:50

Anónimo disse...

Gosto das tuas fotos.
Gosto igualmente desta fotos escritas, a imagem é nítida e clara.

Um beijinho

Isabel

SEVE disse...

Que bela mensagem!

Maria disse...

Kim
Noutros tempos gostava muito da feira. Vinha de lá carregada com sacos de livros. Agora, só de pensar em subir o Parque, fico estafada. Aproveito os descontos nas livrarias e assim, tenho feira todos os dias.
Tenho saudades do búlicio da Feira, da espera dos autores para arranjar um autógrafo mas, o corpo já não deixa.
Beijo
Maria

Magia da Inês disse...

Passei para uma visitinha...
Boa semana!
Beijinhos.
°º♫
°º✿ Brasil
º° ✿♥ ♫° ·.

Teté disse...

Eheheh, isso é mais no passeio até à feira do livro... onde por sinal também fui ontem! E nem imaginas a caloraça que por lá apanhei... :)

Mas voltei feliz para casa, que é o que importa!

Beijocas, Kim!

Janita disse...

Olá Kim!
Passo para te deixar um abraço.
Então como é que vai essa leitura?
Agora que está bom tempo,sempre que possas, refastela-te ao ar livre e desfruta da companhia desses amigos.
Beijinhos
Janita

Laura disse...

Como te conheço bem, imaginei-te refastelado a olhar atentamente os sinais em cada rosto... E acredito que metes conversa com facilidade, não tens vergonhas nem receios, és o Kim que conheço e pronto.

Velhos amigos com quem passamos horas interessantes são os livros, levam-nos a mundos distantes e a entrar na casa de gente como nós.

Um beijinho da laura