4 de agosto de 2008

Delfos - A coroa de louros


Era um dia de glória.
Estava no sopé do Monte Parnaso, umas centenas de metros acima do nível do mar.
Reza a lenda que os Deuses terão largado, das extremidades do mundo, duas águias e estas ali se terão encontrado. Concluíram então, ser aquele o umbigo do mundo.
Na curiosidade de mexer na história, acariciei levemente a pedra onde as águias terão pousado.
Das profundezas saíam gases que faziam a pitonisa entrar em transe e dizer coisas imperceptíveis mas que os homens julgavam entender. Ouve-se o oráculo e entende-se como se quer, acreditando num mundo melhor.
Ali existiu a antiga cidade de Delfos. Dela, restam apenas ruínas de templos, com Apolo na primeira fila e a pista onde se realizaram os primeiros jogos olímpicos da Grécia Antiga, por sinal a mais bem conservada.
Depois, corri nela, equipado como outrora outros o não fizeram (corriam nus) e ganhei a visão duns olhos que às vezes não querem ver.
No anfiteatro, palco de literatura dos Jogos Píticos, descansei numa escaldante e polida bancada de pedra e revi-me no teatro da vida.
Cinquenta e um graus à torreira do sol, não me impediram de trilhar os caminhos que me estavam a levar ao Olimpo.
Ao longe, a montanha recortada nos céus, revelava a silhueta adormecida de Agamémnon, esperando por mim, nos picos do Peloponeso.
Os Deuses eram muitos e havia preces para todos.

2 comentários:

Anónimo disse...

... e Mao sorria, adivinhando um tacho de arroz servido em cinco tijelas (anéis) de pechisbeque.
jc/.:)

Osvaldo disse...

Caro amigo Kim;
Alem das belas fotos, esta bela história da Mitologia Grega, para nos fazer sonhar com o Olimpo... e em tempo de Jogos Olimpicos, este post não poderia ser mais actual.
Um abraço.