4 de março de 2008

Caracas - nunca mais!


Venezuela – Caracas – Praça Simon Bolívar

Este país que Hugo Chaves pretende endireitar era assim

Preparava-me para sair deste país. Nos bolsos, moedas e notas várias de outros países atrapalhavam qualquer pagamento. Era preciso mirar e remirar cada uma para ver se correspondiam à moeda local – o bolívar. Havia que gastar os últimos trocos, coisa que não foi difícil, em garrafas de Rum e Sambuca.
No Aeroporto Internacional de Maiquetia, os agentes da policia alfandegária, não tinham aspecto de bons amigos. Mesmo assim, o caminho era só um. Havia que por eles passar.
Ao mostrar o passaporte para verificação questiona-me o agente:
- Está tudo em ordem, só falta comprar um bilhete para o Baile Anual da Policia.
- Um bilhete para o baile? – respondi.
- Sim, são só 50 bolivares!
- Mas eu já não tenho bolívares, gastei tudo!
- Não tem? Então não passa!
Por momentos pensei que brincava, mas o olhar ameaçador, confirmava a obrigatoriedade de adquirir tal ingresso. Outros que passavam, iam pagando. Era com se de uma taxa se tratasse.
Pensei duas vezes. A medo entreguei-lhe dez dólares. Sem nada dizer, guardou-os e sinalizou-me com o indicador qual o caminho a seguir.
Parti!
Em Caracas - 36 graus!
No corpo - um frio de arrepiar!

6 comentários:

Anónimo disse...

Ah ah ahaha também não gosto dos bófias mas as venezuelas são umas brazas

Anónimo disse...

Mas afinal o Hugo Chavez não é assim, não é assado, afinal o homem quer endireitar (endireitar??) o país?

Mas afinal a Venezuela era um país ou uma imitação???? Será que o Chavez é tão mau como já aqui li????? ou será só por ser amigo do Fidel?

Seve

Anónimo disse...

Devemos estar solidários,com esses países da América Latina,porque cá na Europa, estamos ao mesmo nível.
Muita esperteza,pouca inteligência,e muito atrazo

Anónimo disse...

Desse País, ouvi histórias lindíssimas
Um tempo em que os Portugueses se faziam irmãos nos encontros de Domingo
Um tempo de muito trabalho e uma espera ansiosa pelo encontro desafogado com o futuro.
Um País com perigos,com calor, com muita beleza mas, mais que isso "foi" um País de esperança.

Isabel

Kim disse...

Oh Seve, o Salazar também era um gajo muito porreiro, para a Mocidade Portuguesa, para a Acção Nacional, para a sopa dos pobres, para os cofres do Estado etc etc.
Hugo Chavez pensa assim - quem não é por mim, é contra mim.
Há problemas sociais que só se resolvem com extremismos.
Dizimam-se uns milhões e sobram os melhores, desde que sejam da nossa cor.
Democracia - não!
Aqui mando eu(ele)!

Anónimo disse...

Oh Kim O Salazar era quase tão bom como o Fulgêncio....conheces?

E afinal a Venezuela aonde tu estiveste ainda lá não "mandava" o Chavez..pois não? era melhor do que agora?
Pela tua peça parece que não!

O que eu sei é que o Chavez foi eleito democraticamente e o que o Sr. Bush defende é a democracia, portanto se não gostas do Chavez terás de pedir ao Bush que o tire de lá, que ele rapidamente trata do assunto; só que o petróleo.....percebes.......

Eu, sinceramente, não tenho uma especial simpatia por Chavez mas não acredito nas primeiras atoardas que a imprensa manda para o ar; ou, pelo menos, desconfio!
Daí nunca ter acreditado que o Iraque tivesse armas atómicas, e por isso pergunto: quantas das pessoas bem intencionadas acreditaram que o Iraque as tinha mesmo? são certamente muitas das pessoas que também agora estão a emprenhar pelos ouvidos relativamente a Chavez. Sim porque eles só nos dão a ler o que "eles" querem!

O Bush já fez alguma coisa para libertar a Ingrid Bettencourt???? pois, como certamente saberás, o Chavez já fez!!!!

Será talvez uma acção mais humanitária do que invadir o Iraque mas como não lhes cheira a dinheiro.......

Seve