23 de junho de 2010

Júlio Gomes - o toureiro, o amigo!

Andava eu pungido num dia que nunca chegava quando entre “chocas e capotes” ouvi um nome que me era familiar – o Director da Corrida - Júlio Gomes,
Aconteceu na passada semana, no Campo Pequeno. A corrida de touros que ali acontecia era presidida pelo meu amigo Júlio. Perplexo por tão inusitada realidade desviei o olhar, os sentidos e a ânsia, para o aparelho de TV que à minha frente costuma debitar o que se passa no mundo mas do qual só retenho o que as minhas paixões desejam. De resto o “maldito” computador absorve-me uma boa parte do dia, da tarde e da noite, umas vezes porque tal faz parte do quotidiano, outras porque a evasão mental nos leva para mundos bem diferentes.
Mas vem isto a propósito de finalmente haver descoberto onde parava este amigo desaparecido do meio onde vivemos a nossa infância, na Amadora.
Só alguns “rapazes” da minha idade se poderão, eventualmente, lembrar do toureiro Júlio Gomes O Júlio foi um toureiro de renome internacional, sem no entanto ter atingido o seu fastígio em Portugal. Radicou-se na Colômbia e passou a tourear na América Latina, onde após o abandono das lides se dedicou à criação de cavalos.
Passaram entretanto muitos anos e nunca mais ouvimos dele falar.
Bastas vezes tenho comentado com o meu habitual grupo de amigos o quanto desejaria voltar a encontrá-lo e tê-lo no nosso Almoço Anual.
Pode ser que agora que descoberto está, a pesquisa e a cognição farão o resto.
Esta foi a foto possível, tirada directamente ao ecrã e, claro que o Júlio é o galã de cabelos brancos e casaco da mesma cor.
Meu caro Júlio, em breve te faremos um "pega de caras" e de abraços, "porque tudo o mais são tretas".

16 comentários:

Je Vois la Vie en Vert disse...

Caro amigo Kim,

Oxalá possas reencontrar este teu amigo de longa data !
Quando estive na minha terra, estive umas horas com uma amiga que esteve comigo num colégio interno durante mais menos 2 anos. Fizemos uma romagem ao nosso antigo colégio, cujas freiras e uniformes desapareceram, que passou a ser misto e sofreu um grande incêndio. Mais ainda deu para virem muitas lembranças ao de cima e sentadas num banco no grande jardim com árvores centenárias onde brincávamos, falamos aos cotovelos. Reencontraram-se as 2 pre-adolescentes exactamente como se o tempo tivesse parado, só com um percurso de vida diferente mas a empatia/amizade continuava intacta.
São momentos da vida que devemos saborear porque não sabemos se um dia vão repetir-se.

Beijinhos

Verdinha

Laura disse...

Ehhh, só tu para teres essa sorte. Encontrar um amigo no pequeno écran, é coisa boa, deves ter ficado de boca aberta... e coração enternecido e acelerado pensando no grato momento de dar aquele abraço que cura as saudades da ausência.
Que o consigas, o mundo nem é tão grande assim... e eu que o diga.
Beijinho da dolce.

Maria disse...

É bom ver amigos antigos. Levam-nos à infância de novo.
Beijo
Maria

Anónimo disse...

Seve disse...

Ó Kim, nós éramos muito miúdos, sei que ele era uma pessoa muito simpática e falava sempre muito bem comigo não poderei contudo dizer que seríamos amigos mas recordo-me perfeitamente do Júlio Gomes, era amigo sim mas do irmão dele (o António Calmeirão) um homem bom.

Osvaldo disse...

Kim;

Teus amigos, nossos amigos são...

Que encontres o Julio e que as memórias de infância sejam revividas à volta de uma sardinhada ou mesmo uma caldeirada.

Um abraço para ti extensivo ao Júlio.

Osvaldo

Teté disse...

É sempre bom reencontrar amigos.

E criar cavalos é uma profissão muito nobre... comparativamente com a anterior!

Beijoca, Kim!

Parisiense disse...

Espero que consigas encontrar o amigo.
Quanto ao toureiro .... detesto touradas, sempre detestei.....sempre achei que estavamos no tempo dos romanos em plena arena . Detesto mesmo.

Bisous mon ange.

Zé do Cão disse...

É pá; tiraste-me as letras da caneta.
É caso para dizer que antes da pega de caras, ele fará uma "manuelina" e um rabojador entrará em cena, fazendo uma vénia com um pare de bandarilhas.
Que seja um almoço, jantar ou ceia a lembrar os vossos bons velhos tempos.

abraço
(eu devo um almoço)

Laura disse...

Bom, como diz a parisiense..o amigo sempre, touradas num entram aqui ca pariga..matar para nos alimentarmos...que remédio, mas para gaúdio das gentes ávidas de sangue...NÃO!

Beijinho e boa almoçarada..laura

Fa menor disse...

Também tenho amigos a quem perdi o rasto e que gostaria de reencontrar, por isso, como eu o entendo!

Anónimo disse...

Grande Noticia QUIM!
Sabes que entrei pela segunda vez na minha vida no Campo Pequeno. Foi na Quinta Feira e fiquei mesmo no enfiamento do Director da Corrida. Quem me diria a mim que era o Júlio que ali estava (?)
Notei-lhe os cabelos brancos (como os meus) sem saber que era o "Da Gomez" :)
Combina lá isso porque gostava de o rever também.
jc/.

Luis Serrano disse...

Que Bela notícia! Conheci o Julio nos anos 70/80. É para mim um amigo inesquecível. Frequentavamos o Restaurante Zeppelin aqui no Barreiro. Como amigos comuns menciono estes: Adolfo (Ex-Benfica, Armando Soares, Vitor Salgueiro, todos felizmente em circulação. e eu, que sou o Luis Serrano.(mais conhecido por serranito) Um forte abraço ao Julio que espero fazê-lo um dia destes pessoalmente. E um obrigado ao patrão deste blogue.

Luis Serrano disse...

Faz hoje, dia 2 de Novembro de 2010, 40 anos de alternativa o nosso amigo Júlio Gomes. Prabéns !!!

Luis Serrano disse...

Hoje Jantei e convivi com o meu amigo Julio Gomes. Que alegria !!!

Kim disse...

Olá Luís.
Que bom! E falaram dos velhos amigos?
Abraço

Anónimo disse...

Conheci o Sr. Julio Gomes ontem em Fajarda-Coruche.
Se o quiser encontrar é só per guntar pelo «toureiro».
Pessoa muito educada com quem tive o prazer de partilhar dois dedos de conversa e um copo de tinto!